1 comentário:
De DD a 2 de Março de 2011 às 22:30
Muitos destes casos tem a ver com os proprietários e com a justiça que leva anos e anos a resolver qualquer assunto. Vejam só os 13 anos para acusar um indivídui de rapto do Rui Pedro, cojos pormenores foram conhecidos desde o início.
Não sei será este o caso, mas tenho a certeza que se a CML fosse a proprietária, já aquilo não existia e estava transformado num prédio de oito ou dez andares.
Por outro lado, se há um prorietário particular, o valor do terreno daria para uma boa indemnização a dar aos locatários para sairem. Provavelmente há outros problemas como a titularidade do espaço e direitos de herança antigos e registos inexistentes nas conservatórias, etc. É o que acontece com casas muito antigas, cujas matrizes não foram sendo atualizadas ao longo de muitas décadas.


Comentar post