Segunda-feira, 14 de Março de 2011

Crise nuclear no Japão 

«O Governo teme uma nova explosão na central nuclear de Fukushima I, ao mesmo tempo que decretou o estado de emergência numa segunda central.

A Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) anunciou hoje que as autoridades japonesas decretaram o estado de emergência numa segunda central nuclear, em Onagawa (a norte de Fukushima) também afectada pelo sismo.

Isto depois de o Governo japonês ter assumido esta manhã que possa ter já acorrido uma fusão parcial dos bastões de combustível em dois reactores da central de Fukushima I, que fica a 270 km a norte de Tóquio, devido a falhas nos sistemas de refrigeração.

Ontem, uma explosão destruiu o edifício onde se encontra o reactor número um. E as autoridades temem que o mesmo suceda no reactor número três da central Fukushima I.» [DE]

Parecer:

Para além das consequências económicas que (a destruição feita pelo terramoto de 9ºrichter + o associado maremoto/tsunami) pode vir a ter, este acidente nuclear coloca muitas interrogações em relação à opção nuclear em regiões com elevado risco sísmico.   ..

Olhar o Japão a pensar em Lisboa (Portugal)

     ENERGIA NUCLEAR? NÃO OBRIGADO!

 «Um dia de imagens. Uma maré de tudo, que avança por campos cultivados como para nos mostrar o significado da palavra "inexoravelmente".

Os carros a vogar de pescoço mergulhado e traseira alçada, porque a indústria automobilística japonesa os faz de motor à frente.

O patinho de plástico e amarelo apanhado no remoinho de ralo de banheira que não são nem um nem outro: é um barco perdido no remoinho de toda uma baía.

Um comerciante agarrado à prateleira da sua loja, como se tudo a salvar fosse ela. Carros que desejamos vazios, sabendo que é voto piedoso: há luzes acesas. Os japoneses de Fukushima na emergência de saber que o horror nuclear não acontece só quando o homem quer.

Um aeroporto onde o lodo aterrou. Dois homens abraçados, encostados a um pilar, e, se calhar, foi a Natureza que os apresentou. A torre, símbolo de Tóquio, ontem símbolo de Tóquio ontem: com a antena torta. Num vídeo, a surpresa de no previdente Japão ainda haver um candelabro...

Em Cândido ou o Optimista, Voltaire pôs Cândido a chegar a Lisboa no dia do terramoto de 1755. O seu amigo Pangloss dizia-lhe que se vivia no melhor dos mundos e a prova era que Cândido acabava a comer pistácios apesar de toda uma vida infeliz. No fim do romance, Cândido, menos optimista, respondia: "É verdade, mas o melhor é cultivarmos o nosso jardim."

Os lisboetas viam as imagens de ontem com a suspeita de que não têm cuidado do seu jardim. » [DN, Ferreira Fernandes].

- via O Jumento


MARCADORES: , ,

Publicado por Xa2 às 13:13 | link do post | comentar

5 comentários:
De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 14 de Março de 2011 às 17:48
No Japão têm o TERRAMOTO, o MARMOTO, O VULCÃO e até a ameça NUCLEAR, mas têm a esperança de dias melhores.
Nós por cá temos o SÓCRATES, o CAVACO, o LOUCÂ e até o PORTAS ameaça, mas a esperança em Portugal tem o nome de COELHO...
Triste vida esta, hein?


De Zé T. a 15 de Março de 2011 às 15:59
Infelizmente, os japoneses hoje começam a ter muitas dúvidas quanto à sua vida/futuro ... e quem pode começa a pensar emigrar...
a radiação nuclear não é para brincadeiras nem afecta 'apenas' num determinado espaço e tempo (como o sismo+tsunami) ... a desgraça da radiação e seus efeitos contaminando o ar, água, alimentos, locais e objectos em geral... continua para o futuro (dos já afectados e dos seus descendentes, com doenças, lesões e deficiências graves) e pode ir até paragens longínquas (dependendo dos ventos...) e pode ainda agravar-se mais ... pois outras fugas radioactivas ou mesmo a explosão de reactores não está posta fora de causa.
Associada à utilização destas centrais nucleares falta ainda referir que, mesmo em situação de utilização sem acidentes, subsiste um grave problema: os seus resíduos radioactivos !
-onde são/estão a ser colocados?
-até que ponto estão a degradar o ambiente e a afectar as populações próximas onde foram depositados?
Sem dúvida que a opção nuclear é demasiado perigosa para ser tomada em consciêrncia.

Quanto a Portugal, o triste fado é outro ... é mais uma tragicomédia ... de ''pão e circo'' cada vez com menos pão e circo enfastiante.


De . a 15 de Março de 2011 às 16:30
NÃO HÁ A SEGUIR

À medida que as imagens e as notícias se sucedem, aumenta o nosso estupor com a catástrofe que assola o Japão.
Seiscentas mil pessoas deslocadas, meio milhão de outras retidas em abrigos, duzentas mil aconselhadas a não sair de casa, dez mil desaparecidas, perto de quatro mil cadáveres identificados.
E nem um ai.
Tóquio é desde domingo uma cidade-fantasma, com milhões de pessoas impedidas de regressar a suas casas desde sexta-feira, a electricidade racionada, duzentas linhas de metro encerradas, supermercados vazios, comércio de luxo encerrado por tempo indeterminado, turistas em fuga, bolsa em queda livre.
Mas o embaixador de Portugal, julgando estar ainda em Maputo, disse sem se rir que a normalidade é completa e os jardins estão cheios de crianças a brincar...

Sendai, cidade com um milhão de habitantes, desapareceu do mapa:
sem água desde sexta-feira, o aeroporto inutilizado, comboios parados, estradas esventradas.
E nem um ai.
Os russos vão evacuar as ilhas Curilas e Sacalina enquanto é tempo.
Tentando tapar o sol com a peneira, o governo japonês contradiz os números das autoridades internacionais de segurança nuclear.
Voltou o fantasma de Chernobyl.


Etiquetas: Catástrofe, Japão
posted by Eduardo Pitta, http://daliteratura.blogspot.com/ 15.3.2011


De .Grave Crise Nuclear. a 16 de Março de 2011 às 12:30
JAPÃO À BEIRA DE UMA GRAVE CRISE NUCLEAR

«O facto de o Governo japonês ter mandado evacuar todas as pessoas num raio de 20 quilómetros em torno da central de nuclear de Fukushima,
iincluindo funcionários da estação e o facto de ter reconhecido que
os índices de radiação estão a disparar e que já atingiram valores considerados nocivos para a saúde faz temer o pior sobre as consequências dos problemas naquela estação.

A Organização Mundial de Saúde afirma, num comunicado no seu site, que o Governo japonês está a tomar todas as medidas necessárias para proteger a saúde da população após as fugas de radioactividade provocadas pelas constantes explosões em vários reactores de Fukushima.

Mas a Agência Internacional de Energia Atómica, a quem o Japão já pediu ajuda para lidar com esta crise nuclear, como mandam os procedimentos internacionais, aponta os níveis de radiação em mais de 400 miliSieverts, quatro vezes mais do que o necessário para provocar cancro e 400 vezes maior que o limite legal.

E os serviços meteorológicos indicavam para hoje uma mudança da orientação do vento que se espera hoje que sopre no sentido de terra.
Teme-se que acelere a chegada da radiação a Tóquio, a 250 quilómetros de Fukushima.» [Público]

Se a contaminação aumentar e a nuvem radioactiva chegar a Tóquio está em causa a segurança de muitos milhões de japoneses.

PARALISADA 10% DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL JAPONESA

«Os danos provocados pelo terramoto e pelo maremoto e a catástrofe nuclear no Japão levaram já à paralisação de quase 10 por cento da produção industrial nipónica.» [Público]

Mais uma dor de cabeça para a economia mundial.

«As ondas de choque de uma crise económica japonesa andarão mais depressa e chegarão a mais paragens do que as do tsunami.»


De Nuclear ... absurdo a 16 de Março de 2011 às 12:04
O absurdo

A humanidade tem de gerar energia suficiente para satisfazer o seu bem-estar.
Esta afirmação, que nada tem de especial, inclui o conceito de estar bem mesmo quando, para gerar essa energia, se põe em risco a própria humanidade.

A argumentação é sempre a mesma.
Foram tomadas todas as medidas de segurança e ficou comprovado que o colapso é impossível.
Já se tinha dito o mesmo quando um simples iceberg tratou de realizar uma impossibilidade, ou a fusão de Chernobyl demonstrou que só é impossível o que ainda não aconteceu.

O Japão martirizado pelo abanão e pela água está a beira de voltar a lembrar gerações de má-formações, desta vez não provocadas pelo delírio bélico mas antes pelo modelo de bem-estar.
Oxalá não, que aquele povo não merece tanta provação.

A Alemanha já anunciou que irá encerrar as suas centrais com mais de trinta anos (presume-se que as outras não porque, dizem eles, são seguras).
Esperar-se-ia o mesmo em França e em Espanha mas as notícias não chegam.

E por cá, espreita-se a oportunidade .
Cavaco já levou um rotundo não há três anos, veremos o que aí vem.

LNT, [0.086/2011] A Barbearia


Comentar post

MARCADORES

administração pública

alternativas

ambiente

análise

austeridade

autarquias

banca

bancocracia

bancos

bangsters

capitalismo

cavaco silva

cidadania

classe média

comunicação social

corrupção

crime

crise

crise?

cultura

democracia

desemprego

desgoverno

desigualdade

direita

direitos

direitos humanos

ditadura

dívida

economia

educação

eleições

empresas

esquerda

estado

estado social

estado-capturado

euro

europa

exploração

fascismo

finança

fisco

globalização

governo

grécia

humor

impostos

interesses obscuros

internacional

jornalismo

justiça

legislação

legislativas

liberdade

lisboa

lobbies

manifestação

manipulação

medo

mercados

mfl

mídia

multinacionais

neoliberal

offshores

oligarquia

orçamento

parlamento

partido socialista

partidos

pobreza

poder

política

politica

políticos

portugal

precariedade

presidente da república

privados

privatização

privatizações

propaganda

ps

psd

público

saúde

segurança

sindicalismo

soberania

sociedade

sócrates

solidariedade

trabalhadores

trabalho

transnacionais

transparência

troika

união europeia

valores

todas as tags

ARQUIVO

Novembro 2019

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS