De DD a 20 de Março de 2011 às 23:17
A visão do "sociólogo" Rogério Fonseco tem muito de errado, voltado só para o umbigo nacional, porque não considera a problemática da concorrência mundial e abertura das fronteiras europeias a países gigantescos que possuem dezenas de cidades com tantos habitantes como Portugal como é a China, Índia, Brasil, Indonésia, etc.
Para além disso, a UE abriu-se aos ex-países comunistas que salários de miséria. Reparem que o salário mínimo na Rep. Checa é de 319 Euros (Expresso de ontem) e os restantes salários estão na proporção, apesar de terem a Skoda, a Kia, a Hyundai, a Porsche e muitas outras fábricas.
Os alemães atravessam a fronteira aos milhões para esse imenso bordel que é a Rep. Checa onde se furnica por pucos euros e exploram o trabalho dessas gerações altamente instruídas e industrializadas.
A Roménia, a Polónia, a Eslováquia, a Rep. Checa e a Bulgária tornaram-se nas prostitutas da Alemanha, Áustria, Holanda, etc. apenas a troco de terem taxas de desemprego 2 a 3% menos que a nossa, mas sem verdadeiros Estados Sociais e com ordenados muito mais miseráveis que os portugueses.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres