De Zé T. a 25 de Março de 2011 às 11:11

- '' Economia e Política Nacional e Europeia '' -

- Quem manda ? ou quem está a fazer que manda (sendo 'pau-mandado' de outros atrás da cortina)?

Governo português não manda... é mandado ... por...
pelos ''mercados'', pela UE e pela 'srª Alemanha' ...
- E este/as são mandadas por quem?

GOVERNOS (e parlamentos) são mandados pela FINANÇA através de seus muchachos e lóbis...
que compram políticos e partidos e marketing e sondagens e comentadores e académicos e jornalistas e TVs...
que elegem/fazem eleger deputados e governantes... que mandam em países e 'uniões'...

- E até quando vamos continuar a deixar ser MANDADOS por muchachos e lóbis ...? !!
ao serviço da alta finança (especuladores, bancos, seguradoras, fundos soberanos e de pensões manipulados por agiotas e agências de 'rating' ...) 'nacional'/ 'internacional', pior: sem pátria nem Lei... ? !! nem JUSTIÇA (apenas a que o dinheiro compra), nem verdadeira Democracia ? !!

- O que FAZER (micro-programa de governos) ?
Actuar na raíz do problema - forçar os nossos representantes (partidos, políticos, governantes, UE...) a comprometerem-se claramente com um programa (''preto no branco'', ''a fazer'' e ''a não fazer'', sem rodeios nem grandes/complicados discursos que dizem tudo nada e o seu contrário...) e consequências políticas e civis se o não tentarem cumprir. Com um programa do tipo :

1 . impedir a fuga aos IMPOSTOS e torná-los mais justos (os com maiores rendimentos devem pagar mais impostos), com tendência para a sua simplificação e harmonização Europeia; e, a nível da UE, pressionar para acabar com ''offshores''/ paraísos fiscais, acabar com as manipuladoras ''agências de rating'', intervir, regular e controlar fortemente o sistema financeiro !

2 . dotar a UNIÃO EUROPEIA (confederada ) de meios adequados, nomeadamente: orçamento comum, impostos comuns, parlamento com verdadeiros poderes legislativos, ... forças armadas comuns;

3 . reduzir ou eliminar GASTOS sumptuosos e mordomias de deputados, governantes (e autarcas) e administradores públicos (ou de instituições ou empresas participadas ou com isenções e subsídios públicos);

4 . Simplificar, reduzir e tornar transparente : BUROCRACIA (licenças/ autorizações e processo de tomada de decisões mais automatizado); sistema de impostos e taxas; sistema de subsídios e isenções; rendimentos património e contas de todos os cidadãos empresas e outras instituições;

5 . Simplificar e tornar eficiente a legislação e a aplicação da JUSTIÇA: expurgando lacunas, repetições, contradições, dúbias interpretações, ... e dando primazia ao essencial e não ao ''processo'' (civil e criminal, com ''tecnalidades'' que são a maior fonte de adiamentos, prescrições, anulações, ... e de 'não justiça');

6 . Controlar e limitar/impedir as IMPORTAÇÔES (e passagem...) de bens e serviços de países e territórios com práticas de ''dumping internacional ambiental e social''
(daqueles países e sociedades que não cumprem regras de segurança e higiene, não pagam salários decentes, não têm sistema de pensões e saúde mínimas, não permitem liberdade de expressão, associação e sindicalismo, ... não cumprem acordos internacionais como a 'carta de Direitos Humanos'' e o ''protocolo de Quioto''/ambiente, ...).

7. ...


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres