De André a 17 de Abril de 2011 às 17:39
Se o metero não tivesse chegado a Odivelas e não esteja já o tunel feito até ao aeroporto e os carris a serem colocados tinham-se poupado centenas de milhões de euros.

a CP vendeu uma data de velhas automotoras e locomotivoas e carruaganes à Argentina. Se as não tivesse vendido e nunca tivesse comprado os alfa pendulares também teriam poupado uma porrada de massa. Aquilo para os gauchos serve, porque não havia de servir ainda mais vinte anos para os portugas. Por acaso são mais finos que os argentinos?

A Carris anda com autocarros articulado novos a 350 mil euros cada. Só dez unidades custam 3.500.000 de euros. Porque não foi comprar na Europa em 2ª mão e mvez de dar dar trabalho ao Salvador Caetano na sua fábrica de carroçarias.

Os catamarans que atravessam o Tejo são luxo. O povo não merece isso, mas sim os velhos cacilheiros de merd@.

Para que é que os gajos do Porto e Matosinhos precisam de um metro. Porra, andem a pé.

E o pessoal de Almada. Andem também a pé.

A linhe da da Refer de Lisboa-Porto foi renovada. Não devia ter sido. Peto de Santarém os comboios andavam a 3o à hora. Não é uma boa velocidade? Fod@a-se o pagode, que espere e ande a pé. O que é preciso é o Metro, CP, Refer, Transtejo, etc. terem lucro.

Os gajos dos autocarros privados foram comprar lá fora viaturas com 700 mil km e andam aí muito bem. Para ir para Loures e o c@ar@lho dão muito bem. A malta da zona dos saloios precisa lá de autocarros seguros que travem bem não capotem?

Como disso o querido SALAZAR, o principal é as finanças do Estado, o resto que se fod@a o pessoal.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres