4 comentários:
De Zé T. a 12 de Maio de 2011 às 12:44

Culpas ? Claro que há ...
O que não há é Culpados / Responsabilizados...

porque neste país de tansos abúlicos e carneirada,...
a Justiça não funciona e a maioria dos eleitores- cidadãos não pensam
(e ou não votam ou votam ''útil'' sempre nos mesmos 'centrões', apesar do que fizeram ou deixaram fazer), nem exercem os seus deveres nem direitos ...
estão alienados com futebol telenovelas religião e circo (des)'informativo' ... a que juntam migalhas de pão.

Claro que há responsáveis pelo que se passou/passa na nossa política e economia nos últimos 30 anos, ou nos últimos 12 ou nos recentes 4 anos...
mesmo que não sejam levados à Justiça/prisão ...

- seja porque compram/manipulam a justiça/direito ...
- seja porque compram/manipulam os partidos e órgãos de soberania (para além de 'irresponsabilidades políticas' e permissivas compatibilidades...),
- seja porque compram/manipulam os mídia/TVs/jornais/academias,
- seja porque compram/manipulam o topo e organismos públicos e para-públicos/participados (empresas, fundações, institutos, ...parcerias),
- seja porque prevalece uma cultura de desculpabilização e de fuga aos deveres cívicos (de participação, vigilância, exigência e assumpção de responsabilidades com as respectivas consequências)
- e de uma errada sobre-valorização do egoísmo/privado relativamente ao serviço, património e interesse público/comum .


De [FV] a 12 de Maio de 2011 às 12:18
Está à vontade, use e abuse... o problema é que o vídeo não está disponível.


De Izanagi a 12 de Maio de 2011 às 14:40
Não esteve, mas já está.
O que mudou foi o resultado das sindagens.
Mas nada de positivo. Continuam , os eleitores, a apostar sobretudo nos dois partidos que conduziram o país á falência. É um povo masoquista.


De um fartar vilanagem a 12 de Maio de 2011 às 15:52
Não só é masoquista como, também, sente culpas no cartório. O comportamento (excluindo alguns dos mais fragilizados , não todos porque alguns também se habituaram à mama e não querem outra coisa) do pagode tem sido, igualmente, do "fartar vilanagem".

Frase, igualmente, furtada (não roubada, o que suporia alguma violencia) já não sei bem a quem.


Comentar post