De . a 13 de Maio de 2011 às 10:56
"Vem aí um novo PREC", alerta Major Tomé
Rui Boavida *, JN, 13.5.2011

A crise da dívida vai criar um novo PREC em Portugal, com o povo a revoltar-se nas ruas, diz Mário Tomé, o coronel que insiste em continuar a ser "major para o povo" e que inventou a frase "os ricos que paguem a crise".
Em entrevista à Agência Lusa, o "major - coronel" - Tomé, antigo líder da União Democrática Popular (UDP), reforça que nunca como agora fez mais sentido a ideia de pôr os ricos a pagar a crise.

"Não sei se é altura de dizer os ricos que paguem a crise. Que é altura de o fazer, é. (...) Esta crise tem de ser paga por aqueles que beneficiaram dela, que são exatamente os mesmos que a provocaram, e que é a grande finança, a banca. O país inteiro -- e não é só aqui -- trabalha só para a banca e para os seus altos assalariados e para as grandes empresas, que pagam milhões aos Mexias", afirma.

"Eu não sei se esta 'troika' -- ou tríade -- internacional, servirá de base programática para impor a finança e por um só partido. Se calhar é uma especulação, mas sinto-me tentado a pensar nisso", acrescentou Mário Tomé, referindo-se à missão do Fundo Monetário Internacional, Banco Central Europeu e Comissão Europeia, que negociaram as condições para que Portugal receba o empréstimo de resgate de 78 mil milhões de euros.

Para Mário Tomé, a crise de dívida soberana que exigiu que Portugal pedisse a ajuda financeira internacional é apenas mais um passo na democracia global de hoje, que esmagou "as conquistas de um século e tal, conquistadas com muito sangue, muito sofrimento, muita luta" e que criará um novo PREC, Processo Revolucionário em Curso.

"Estamos à espera que o PREC recupere a sua dinâmica. Ele vai vir aí. O PREC para mim é a grande referência, e o PREC é a luta das pessoas. E com o mínimo de violência", diz.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres