De Pelas Primárias e pelo Debate/responsabi a 4 de Julho de 2011 às 11:33
O NÓ DO PROBLEMA DO PS

As duas narrativas implícitas nas moções de Assis e de Seguro podem ser semelhantes.
Mas quando se trata de tentar surpreender diferenças, quanto à vontade efectiva de uma mudança profunda no partido, temos que procurar para além dos textos.

Pelo menos nalguns distritos, é tal o peso dos pequenos poderes locais instalados,
entre os apoiantes de Seguro, que só uma fé inexplicável nos pode fazer acreditar que por essa via se chegue a qualquer mudança de fundo no PS.

Mas este é, ainda assim, um aspecto secundário, se o compararmos com o que está a ocorrer quanto às ELEIÇÔES PRIMÀRIAS como método de escolha dos candidatos do PS.
De facto, elas implicam um conjunto de metamorfoses tão profundas que, por si sós, deixam muito para trás o conjunto dos sinais de renovação, dados pelas duas candidaturas em todos os outros campos.

E, no caso das PRIMÀRIAS, enquanto Assis as trouxe decididamente para o centro do debate, COMPROMETENDO-se irreversivelmente com esse caminho,
Seguro limitou-se a algumas fugidias promessas de que no futuro se preocuparia com isso.

Podem ser muitas as razões que levem cada militante a optar por um por outro candidato, mas quem der centralidade ao imperativo de refundação do partido ( como preconizou Mário Soares) não pode deixar de escolher Assis.

Postado por Rui Namorado


De Refinada hipocrisia a 4 de Julho de 2011 às 11:59
“Pelo menos nalguns distritos, é tal o peso dos pequenos poderes locais instalados,
entre os apoiantes de Seguro, que só uma fé inexplicável nos pode fazer acreditar que por essa via se chegue a qualquer mudança de fundo no PS.”
Lisboa, tudo indicia, não lhe foge à regra eu próprio conheço um certo camarada que passa a vida a criticar terceiros, sempre, verbalmente, defendeu as primárias para tudo e mais alguma coisa, foi crítico, fortemente critico, a que o partido se abrisse a independentes e à dita sociedade, contudo por razões que só ele saberá (se é que sabe) propõe-se a organizar uma lista de candidatos ao congresso vinculando-se à moção de José seguro. Será coerência com a pretensão mal escondida de “assalto” a um qualquer lugar cuja forma tanto crítica a outros ou será contradição, consigo próprio o que na resultante vai dar ao mesmo?
Creio que, embora sendo novo, já não vai a tempo de arrepiar caminho. O vício já é grande e infelizmente universalizado, cristalizou-se.
Tem razão, tem toda a razão DC. O mal deriva dos próprios militantes, corromperam-se ideologicamente que é a corrupção mais profunda e perigosa.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres