8 comentários:
De melhor detective privado a 29 de Novembro de 2011 às 01:42
boa noite mt obrigadao foi muito muito bom... aquele twit é mesmo da moda. considere-me fã nato neste site abraços


De Procuradoria lê o LUMINÁRIA? a 7 de Julho de 2011 às 10:45
Será que alguém na Procuradoria-geral anda a ler o Luminária?
É que foi hoje divulgado que a procuradoria vai, finalmente, reforçar a análise ao comportamento das agências de rating em Portugal tal-qualmente sugeriu, muito oportunamente aqui, Zé Pessoa
Talvez seja coincidência, visto que este post de Zé Pessoa ainda não teve honras de destaque no sapo como já sucedeu com um outro.
De qualquer modo, parabéns a Zé Pessoa e ao Luminária, sempre atentos e abertos ao debate. Continuem que são, com a vossa irreverência, um abanar de consciências adormecidas


De ''BASTA !! sr.Barroso/comissários NeoLib a 7 de Julho de 2011 às 14:24
Provavelmente foi isto a causa (retirado de comentário ''Recordar...'' ao post anterior «:Suicidar-se ou reagir aos 'mercados agiotas' ?. ''BASTA'' de inacção da CE / UE !!» ):
«...
---- José Reis, José Manuel Pureza, Manuela Silva e Manuel Brandão Alves, ''Introdução ao texto da DENÚNCIA facultativa (entregue na PGR e petição pública) CONTRA três agências de rating'', Abril de 2011 (http://ladroesdebicicletas.blogspot.com/2011/04/agencias-de-rating-texto-da-denuncia.html )
...»


De Uma atitude mafiosa a 6 de Julho de 2011 às 22:43
Naturalmente que um "embuste", conforme palavras de Zé Pessoa, é muito como a mentira nas palavras do poeta António Aleixo "para a mentira ser segura e atingir profundidade tem de trazer â mistura qualquer coisa de verdade ".
A Moody`s diz que até teve em conta as recentes medidas tomadas pelo governo de Coelho e companhia, e também a noticiada derrapagem " no deficit do 1º Trimestre . o que a Moody`s não explicou foi a coincidência " de vir a publico com a queda de quatro, vejam bem quatro níveis na notação da divida portuguesa na véspera do governo português ter de ir ao mercado a lançar novo empréstimo obrigacionista.
A verdade verdadinha foi a intenção de fazer subir as taxas de juro para beneficiar os seus próprios accionistas .
Como diz o autor deste post é, efectivamente uma atitude "mafiosa".


De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 6 de Julho de 2011 às 13:36
Gostava ainda de comentar (acrescentar aos meus anteriores comentários) o seguinte:
Na minha opinião, a medida tomada por o actual governo de reter 5o% do 13º mês não é uma medida tranquilizadora de qualquer mercado, antes pelo contrário.
E passo a explicar:
Quando um novo governo aplica uma medida destas (ir ao bolso dos trabalhadores) em vez de uma de medidas precisas de contenção nas despesas do estado e outras de investimento em criação de riqueza, mostra a sua total ineficácia para a solução dos graves problemas do País, logo mostra fraqueza.
Fiz-me entender?


De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 6 de Julho de 2011 às 12:26
Os abutres vivem dos cadáveres.
E quando estes não abundam à que criar as condições da antecipação da morte para que estes apareçam.
Estavam à espera de quê? De amigos?
Na política não há amigos só interesses.
E nas políticas económicas e financeira, idem.
Infelizmente este pensamento generalizou-se e invadiu a sociedade aminando até as famílias...
Precisa-se de um «grito» de revolta, de um dizer basta e não, não contem mais «comigo»!
E ñão basta dizer «que parva que eu sou» é preciso dexar de ser «parva»!


De João Mateus a 6 de Julho de 2011 às 12:24
Será que finalmente, estamos a começar a compreender os gregos?

É que eles há muito perceberam que, façam o que fizerem, estes "glutões" nunca irão ficar satisfeitos?

Ou será que afinal Sócrates tinha razão, que o que está em causa não é a Grécia, não é a Irlanda, não é Portugal, mas sim o Euro?

Enfim, responda quem souber?


De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 6 de Julho de 2011 às 13:29
Sim e não.
Sim concordo que o negócio das Agências é contrário aos interesses do Euro (e de Portugal).
Não, não concordo com o branqueamneto da governação de Sócrates. Ou como diria aqui o postante Zé Pessoa «Quem se põe a jeito facilita o embuste» e as políticas do último governo, despesistas, megalómanas, para não dizer «maldosas», que fizeram o déficite de Portugal disparar para números nunca anteriormente vistos, puseram POrtugal a jeito deste embuste.


Comentar post