3 comentários:
De Q.Governe sem €€ q. escondeu em offshore a 23 de Setembro de 2011 às 10:11
Maria Rita

Esperem pel resultado eleitoral.Vai ter valores superiores ao das ultimas eleiçoes.
Eu se vivesse na Madeira,votava no jj. Tudo do bom e do melhor a custa dos cubanos qual o problema.

O sistema que permitiu este buraco éque deve ir a tribunal.
Jardim diz que nao enriqueceu na politica, o outro diz o mesmo ....
porque tem a massa em porto seguro no estrangeiro.

Os paraisos fiscais, permitem que haja estes pobres servidores da causa publica...

---------------------------------

ana

Cá por mim, reeleja-se a criatura e deixe-se que governe a ilha em tempo de vacas magras,
com o aumento de impostos e demais cortes financeiros que se esperam ver, legitimamente, aplicados.

De contrário vai continuar vociferar que se transformou em mártir!
Que governe sem dinheiro!
Será a verdadeira "DESMAmadeira". E a frio.

P'ra ele e p´ró povo madeirense e continental aprender de vez, que a democracia tem de ser exercício de cidadania consciente e responsável

e passa, sem se esgotar, pelo momento em que, livremente, se fazem escolhas e se depositam boletins de voto.


De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 21 de Setembro de 2011 às 14:37
Hoje recebi uma anedota por email.
A anedota não era nova, bem velhinha até... Mas desta vez li essa anedota e desta vez esta lembrou-me factos recentes da política nacional...
Porque há pessoas na política e no comentário político que parecem que não ter memória... ou então chegam sempre a conclusões extraordinárias...
Vou contar a anedota, e depois fazer uma pergunta, tá?

«Três amigos conversam sobre ter sorte e um diz:
- Tive sorte porque acabava de atravessar um túnel e este caiu... ainda levei com umas pedras em cima, por pouco não fiquei soterrado.
Diz o outro:
- Eu ia de carro, atravessei a passagem de nível sem guarda e surgiu o comboio que me levou a traseira da viatura... por sorte não fui esmagado.
Diz o terceiro:
- Sorte?! Sorte tive eu! Ontem fui às putas, a minha mulher estava lá e não me viu!...»

Sabem o que Sócrates, Alberto João e Oliveira e Costa têm em comum?
Pois é, têm isso mesmo que pensaram. Podiam ser estes ou outros nomes, mas estes servem perfeitamente para ilustrar o que sinto!
Vêm que sorte que temos em agora termos o Passos e o Cavaco?


De País do burro a 21 de Setembro de 2011 às 12:31
A máfia também sabia de tudo

O Presidente da República, que [continua em silêncio e] hoje analisa com o primeiro-ministro o caso das "dívidas ocultas" da Madeira, inteirou-se da situação financeira da região durante as audiências concedidas aos partidos no final de Julho, antes de marcar a data das eleições regionais.

A "grave" omissão de dívidas, que a Procuradoria-Geral da República vai mandar analisar, era também do conhecimento dos representantes do Ministério Público junto da secção regional do Tribunal de Contas (TC) da Madeira. (daqui)

Qualquer semelhança com a Grécia será mera coincidência.
O poder em Portugal não está nas mãos de uma associação de malfeitores.
Somos governados por exemplos impolutos de responsabilidade, que gozam de total governabilidade e exercem o poder com o maior sentido de Estado.

O povo vota e paga. E eles mandam.
-------------------------------------------------------

Um país feliz: "se o burro não puxa, a carroça não anda"

1. O Tribunal de Contas está a investigar um novo buraco de 220 milhões de euros nas contas da Madeira. Esse é o montante de um recente empréstimo contraído pela Empresa de Electricidade que o governo de Alberto João Jardim desviou para pagar despesas de funcionamento.

2. O Primeiro-Ministro mantém toda a confiança política em Alberto João Jardim e o Presidente da República, que interrompe férias para fazer comunicações ao país sobre as suas paranóias de perseguição, não o faz para tomar posição sobre os desvarios confessados pelo homem de confiança do primeiro e seu Conselheiro de Estado.

3. O processo cível do BPN contra vários ex-administradores do antigo Grupo BPN/SLN sofreu um revés no início deste mês: a juíza do processo considerou que a acção é da competência dos tribunais do comércio, argumento que fora apresentado pela defesa dos réus, e absolveu na primeira instância Oliveira Costa, Dias Loureiro e outros antigos responsáveis do Grupo BPN/SLN.

4. A economia portuguesa deverá ter o segundo pior desempenho da Europa neste ano e no próximo, sendo também, a par da Grécia, a única que o Fundo Monetário Internacional espera estar em recessão nestes dois anos.
...


Comentar post