3 comentários:
De Xa2 a 22 de Setembro de 2011 às 12:39
Política responsável ... ou outra coisa.

Responsabilizar politica e economicamente quem o elegeu (em democracia), obriga os ELEITORES a serem mais informados, responsáveis e vigilantes, i.e. obriga-os a pensar e/ou a PAGAR.

Responsabilizar o ELEITO ..., num estado de direito (e de direita), só através do que existe/prevê a Lei (que neste caso sobre a má gestão/dolo nada refere pois os eleitos políticos, no exercício do seu cargo, são inimputáveis !; já quanto à ocultação incumprimento de algumas regras pode ser 'multado' apenas !).

Daqui se depreende que...

. se os portugueses querem continuar a viver em Democracia e num estado de Direito,

-- têm de fazer algo para obterem JUSTIÇA também no domínio político...

-- têm de VOTAR (e talvez de modo diferente),

-- têm de EXIGIR mudanças LEGISLATIVAS (à A.R. e aos dirigentes dos partidos),

-- têm de se UNIR, ser Cidadãos Activos Responsáveis e estar vigilantes,

-- têm de mexer-se e deixar de ser enganados com ''pão e circo'', ...


. Como alternativas ...

-- nada fazer e continuar a ser ESPOLIADOS e gozados;

-- fazer uma REVOLUÇÂO;

-- caminhar para a Barbárie.


»» CIDADÃOS, façam as vossas escolhas !



Xa2, Luminaria


De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 22 de Setembro de 2011 às 15:17
Importa-se de me esclarecer o seu comentário?
1) Quando diz que temos de fazer «algo», o que é?
1a) esse algo é o marido da alga?
1b) Ou comer um «FerrerRoché» como no anúncio da senhora quando diz: apetece-me «algo»...
1c) A que algo se está a referir?
2) Quando diz «votar de forma diferente» a que se refere?
2a) Ir à urna a fazer o pino no dia das eleições? Ou de costas, tipo «gay»?
2b) Pegar no voto e fazer um «avião» e atirá-lo pela janela?
2c) Meter o voto no bolso e ir à casa de banho?
3) Quando escreve «temos que exigir»...
3a) Está a pretender que vamos todos cantar para a porta da AR, queremos mais, muito mais... e fazer beicinho?
3b) Ou basta ir à AR e pedir: »Faz favor», tá? Faz lá se não eu choro...
4) Unir e vigilantes...
4a) Com cola? Tipo cientistas ao tecto?
4b) Fazer vigília à porta da AR?
4c) Ou colamos uma vela à estátua do leão nas escadas da AR?
5) Pão e circo?
5a) Pão já vai faltando...
5b) E palhaço já andamos todos a fazer à que séculos...

E então explicar-me melhor as alternativas indicadas.
Porque de revolução não entendo nada, pensava que já tinha sido feita e que estávamos em democracia e quem se revolta contra a democracia... ai, ai, leva tau-tau!
De Barbies não entendo nada
Só entendo mesmo a primeira hipótese a de ser parvo e espoliado. Essa já começo a andar habituado!


De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 22 de Setembro de 2011 às 10:32
Na governação do país (ou duma região) a ocultação de informação apenas pode dar origem a uma contra-ordenação.
O que se passou na Islândia, de levar a tribunal os dirigentes que a afundaram, no Portugal actual: «Jamais», como diria o outro... A lei não prevê.
Na Madeira temos um Jardim que, competentemente ou não, sabe o que faz... com os dinheiros públicos, com os que tem (orçamento) e com os que não tem (ocultando).
Em Paris, temos um português «desocupado», que almoça em restaurantes de luxo, e que paga, para além do seu repasto, o de todos os outros que o «cumprimentaram» nesse local...
Não há dúvida que a «crise» quando chega não é para todos e que a justiça em Portugal para alguns, se chegar alguma vez, só se for a «divina» no além, porque a terrena para existir, tinha que estar legislada e não está.


Comentar post