4 comentários:
De Maria Henriques a 19 de Outubro de 2011 às 17:56
O medina é apenas um dos do baralho cavaquista que se alimenta do saque.

Quanto ao resto é assim;-os constantes ataques a sócrates têm a mesma raiz:à esquerda , porque a esquerda fez merda pensando ganhar com isso, à direita , porque a direita pensou ganhar e para isso fez merda.do ponto de vista da merda são os dois iguais.


De Faladura de barriga cheia e dourada.. a 3 de Outubro de 2011 às 13:38
. Os privilégios
(-por Daniel Oliveira, Arrastão)

"A batalha está longe de estar ganha e é necessária uma extraordinária determinação, mas também muita lucidez. O que Portugal não pode fazer é deixar tudo na mesma, manter todos os privilégios e todas as ineficiências e esperar sair-se bem deste combate sem quartel" (roubado ao Tiago).
Assino por baixo as palavras de António Borges,
diretor do departamento europeu do FMI, ex-vice-governador do melhor PPR que se conhece em Portugal - a que chamamos Banco de Portugal - e ex-vice-presidente do Conselho de Administração da Goldman Sachs.

Estarei é a pensar nos PRIVILÉGIOS que ele TEM e defende
e não nos nossos DIREITOS, que ele quer DESTRUIR.
Por isso, hoje estarei na Avenida da Liberdade.


De Economistas'' ? e estruturas político-ec a 3 de Outubro de 2011 às 11:50
O que é um bom economista?

Para os "guardas/apóstolos" da ortodoxia, um bom economista é aquele que publica artigos em inglês nas revistas de prestígio e mostra uma capacidade de construir modelos abstractos com elegância matemática, partindo da hipótese que os mercados obedecem em permanência a forças de equilíbrio.

Se tiveres a infelicidade de pensar que as matemáticas constituem apenas uma simples ferramenta de análise,
que é preciso ter em atenção as relações de força presentes em toda a actividade económica,
ou pior se pretenderes mobilizar a história, a ciência política ou a sociologia para explicar os fenómenos económicos
e se ainda estiveres decidido a sublinhar a tendência dos mercados a derrapar, o melhor é ir procurar trabalho algures....


(Tradução livre e apenas de uma parte pequena do artigo Qu'est-ce qu'un bon économiste ? de Cristian Chavagneux em L'Economie politique de Julho de 2011.
A piada do inglês reflecte a nacionalidade francesa do autor. (ou a sobrevalorização do inglês no mundo actual e em especial entre os seguidores do pensamento anglo-saxónico, do liberalismo e capitalismo desenfreado)

# posted by Joao Abel de Freitas
--------------------

ESAME – Estrutura de Acompanhamento dos Memorandos ('acordos' com a Troika)

Estava a reler o relatório da Inspecção Geral das Finanças sobre a Madeira e deparei-me com uma sigla que desconhecia - ESAME

Por curiosidade fui saber o que era. Olhei para a composição. Li os curricula e pensei para mim, a sigla está mal pensada. Deveria ser antes exame. Acho é gente muito capaz para ir a exame e depois....

A ESAME depende do Secretário Adjunto do Primeiro Ministro, Carlos Moedas, constituída por técnicos de fora da Administração pública, percebe-se na Administração é só incompetentes... portanto tudo de fora.

Mas outra surpresa, dei-me ao trabalho de adicionar os seus vencimentos e esta pequena estrutura custa ao País 29 889,73 € brutos. em salários/técnico.
Juntando uns pozinhos mais de outras despesas, a festa deve ficar no mínimo por 120 000.
Esta ordem de grandeza é apenas um dado de referência, mas não deverá ficar por menos:
umas despesas de representação, uns almoços aqui e ali, umas viagens, uns hotéis a pagar no estrangeiro, uns carros distribuídos, umas secretárias e outro pessoal de apoio e ainda despesas de funcionamento e comunicação.

Brincando, brincado vai -se a exame por 1 milhão e meio de euros/ano

Etiquetas: ESAME Carlos Moedas
# posted by Joao Abel de Freitas


De .Contra populismo rasca. a 28 de Setembro de 2011 às 11:04

contra o populismo rasca

(-por Miguel Cardina, Arrastão)


Nestes novos tempos em que a direita tem uma oportunidade de ouro para aplicar o seu programa histórico, temos direito a tudo.

Até à reemergência dos velhos e gastos oráculos.
Explicando ao povo no Casino da Figueira da Foz as razões pelas quais chegámos a esta "piolheira", Medina Carreira lá fez a sua conversa de taxista ressentido.
Afiançou, por exemplo, que neste país se "endeusam" as universidades e que, claro está, temos "doutores a mais".
E o Rui Curado Silva, cheio de paciência, lá demonstrou a falsidade desta ideia.
Com um gráfico e tudo.

tags: populismo


Comentar post