Manif. de trabalhadores - - O que está em causa ?

O QUE ESTÁ EM CAUSA ! 

 

    As próximas manifestações convocadas pela CGTP, nomeadamente a 1 de Outubro, estão a ter uma adesão assinalável de várias entidades associativas do mundo do trabalho! Todavia, é impressionante constatar a passividade e a indiferença que grassa em muitos locais de trabalho! São muitos os trabalhadores que olham para o evento como mais uma manif, «os de sempre», algo rotineiro que não tem nada a ver comigo!
É espantoso porque isto significa que uma grande parcela dos trabalhadores portugueses não se apercebe do que está a ser debatido neste momento na concertação social e quais as consequencias das decisões que vão ser tomadas com a nova revisão da legislação do trabalho!

    O que está em jogo é uma questão de fundo que diz respeito a toda a sociedade e em particular aos assalariados, quadros ou simples trabalhadores não qualificados! Quando acordarmos, daqui a um ou dois anos, o mundo do trabalho será ainda pior para todos, inclusive para os funcionários públicos!
    Alguns, os mais precários, dirão que para pior não poderão ir mais! Pura ilusão! A ladeira, mesmo para eles ainda não chegou ao fim! Os mais seguros e os que se acham muito competentes e que valem por si, não sabem bem o que os espera ao longo da sua carreira, em particular se não existir uma contratação colectiva dinamica!
    Claro que na base desta indiferença e passividade de muitos também estão as fragilidades e erros sindicais! Ainda ontem li um papel volante de uma estrutura sindical apelando á manifestão que, para além de uma linguagem estafada e gasta, batia sempre naquilo que é um erro enorme: meter sempre o PSD/CDS e PS no mesmo saco!

    Afinal querem alargar a base social para uma grande manif ou querem sectarizar com a desculpa de que uns são os pecadores e os outros são os santos? É um erro táctico de carácter político com origem partidária e que neste momento cria de imediato urticária a muitos trabalhadores!
    Quem elabora documentos destes deveria ser demitido do movimento sindical! É um sectário e não vê mais nada para além da sua seita!
O momento actual exige um outro discurso e dinâmica sindical! A maior fragilidade do movimento sindical está nos locais de trabalho! os trabalhadores vão mudando e os sindicatos devem perceber isso!

    No dia 1 de Outubro (sábado às 15:00) lá estarei !  (e no dia 15 também) !

 



Publicado por Xa2 às 07:08 de 30.09.11 | link do post | comentar |

4 comentários:
De .Assédio moral no trabalho / mobbing ... a 3 de Outubro de 2011 às 17:47
ASSÉDIO COMO FORMA DE GESTÃO!
Artigo que analisa o assédio moral em trabalhadores que sofrem de lesões de esforços repetitivos (LER) relacionadas com o trabalho no sector do calçado.
A lógica do assédio moral e organizacional, como técnica de gestão, destrói a solidariedade e impede que os trabalhadores construam colectivamente formas de resistencia.

( Ver artigo em: http://www.fundacentro.gov.br/rbso/BancoAnexos/RBSO%20123%20Saúde%20mental%20do%20trabalhador_o%20assédio.pdf )

Resumo
Este artigo analisa como o assédio moral se configura na vida dos portadores de lesões por esforços repetitivos/distúrbios osteomusculares relacionados ao
trabalho (LER/DORT). Participaram do estudo, realizado em 2007, 20 trabalhadores acometidos por LER/DORT de uma indústria do calçado em Campina
Grande-PB. Empregaram-se entrevista semiestruturada e análise de conteúdo.
Os resultados apresentam um quadro de assédio moral interpessoal e organizacional que está bem configurado nas histórias de adoecimento dos trabalhadores e nas suas trajetórias de busca de ajuda para seus problemas de saúde.
O assédio moral interpessoal e organizacional se evidencia em virtude de todos os aspectos de humilhação, exclusão e pressão que recebem no ambiente de trabalho, sob forma de coação, subversão, chantagem e rebaixamento.
Para não terem que sofrer com o desemprego, alguns preferem pedir demissão, outros suportam as dores, ultrapassando os limites do corpo. A lógica da produção de assédio moral e organizacional destrói a solidariedade e impede que os trabalhadores construam coletivamente formas de enfrentamento do trabalho.

? «assédio moral no trabalho» ? :
toda e qualquer conduta abusiva (gesto, palavra, comportamento, atitude... organização do trabalho, modos de gestão, avaliação ou direcção...) que atente, por sua repetição ou sistematização, contra a dignidade ou a integridade psíquica ou física de uma pessoa, ameaçando seu emprego ou degradando o clima de trabalho. Caracteriza-se por sua natureza agressiva, processual, pessoal e mal-intencionada ... elevando ao extremo a marginalização do sujeito.

... há uma clara omissão das organizações sobre a questão do assédio moral e que isso ocorre de forma silenciosa. “Prevalece, quase sempre, certa outorga de poderes (não controlados) concedida a um gestor empreendedor”, na maioria das vezes, responsável por resultados e que “indiretamente reconhece como normais os estilos mais agressivos no campo da competição”.
...“os comportamentos tirânicos, o assédio, a perseguição a um subalterno são frequentes e integrados ao modo de gestão”. ... uma tentativa de subjugar o trabalhador para que ele se submeta ao máximo aos imperativos da produção.

Da parte do agredido, acrescentam-se vários estágios,
como renúncia, confusão, dúvida, estresse, medo
e isolamento:

O assédio moral decorre de um desvio no exercício
do poder nas relações de trabalho. Essa situação
cria um ambiente hostil, desestabilizador. Nesse clima
de medo, e no contexto de desemprego, o trabalhador
aceita mais passivamente as situações criadas e é
menos reivindicativo.


De Assédio tb Sexual no acesso ao Emprego.. a 4 de Outubro de 2011 às 15:45

ASSÉDIO moral e sexual às trabalhadoras e às candidatas a emprego está a AUMENTAR. ...
são «propostas, ameaças, avanços, aproveitamentos, ...(e algumas cedências por MEDO de Represálias ou necessidade absoluta do emprego)» de chefias e patrões sem escrúpulos ...

Relatos ''à boca pequena'' começam a chegar até aos centros de (des)emprego do IEFP ...
mas tanto as visadas como os técnicos e dirigentes do IEFP (sem provas concretas! e devido à situação/ Medo ...) não avançam com denúncias e inquéritos/inspecções ...
até porque todos sabem da ineficiência da nossa/deles Justiça...

parece que o único recurso dos pequenos ... está na ''JUSTIÇA de RioMaior'' ou ''de Fafe'' ...
numa espera sem testemunhas...


De CUIDADO com o anti-SINDICALismo !. a 30 de Setembro de 2011 às 13:40

. Cuidado com o anti-Sindicalismo !.

A IDEOLOGIA ANTI-SINDICAL !
Assiste-se nos últimos tempos a um recrudescimento da retórica anti-sindical e de acções concretas de ataque aos sindicalistas e à sua acção nas empresas !
Este antisindicalismo está estreitamente ligado a velhas teorias económicas ensinadas em algumas universidades que consideram os sindicatos um entrave à gestão e a uma mais rápida acumulação do capital.
Este Governo é a expressão em parte dessa ideologia!

Estas teorias espalharam-se depois por algumas redacções de jornais económicos onde proliferam os jornalistas que papagueiam as teorias das agências financeiras e dos «mercados» como se fossem sacerdotes de uma nova religião !
Nos últimos tempos alguns jornais de referência (?) em Portugal escrevinham editoriais dizendo que o Governo não deve ouvir os sindicatos e que estes defendem sempre o mesmo e que é preciso decidir sem ter alguém a atrapalhar e, enfim, muitas outras diatribes deste teor autoritário !

Mas, o mais grave é ouvirmos depois várias pessoas que, por escutarem apenas os papagaios, repetem também um conjunto de teses antisindicais tais como:
os sindicalistas não conhecem a realidade,
estão há muito tempo fora do trabalho,
só defendem os que têm trabalho,
obedecem mais aos partidos do que aos trabalhadores,
enfim e outros mimos que não valerá muito a pena inventariar.

Ora, a cultura e informação sindical em Portugal é muito fraca, inclusive nos trabalhadores sindicalizados.
Não se estuda sindicalismo nas escolas, com excepção de um ou outro curso.
Nas escolas de gestão o sindicalismo é em geral, abordado de uma forma superficial e sob um ângulo empresarial.
Esta matéria também não faz parte das leituras da maioria das pessoas... logo o que a maioria sabe são ideias feitas formatadas pela ideologia anti-sindical !

Significa isto que as práticas sindicais e os sindicalistas estão isentos de defeitos e de erros? De modo algum!
Existe sectarismo, oportunismo, partidarismo e carreirismo na vida sindical !
Apenas na vida sindical? Significa isto que o sindicalismo não se deve renovar ?
Claro que se deve renovar, mas ele está estreitamente ligado ao futuro do capitalismo !

O tipo de críticas que, por vezes fazemos servem apenas para desculpar o nosso não empenhamento na vida da empresa e de não ligarmos pevide ao sindicato.
Todavia, todos beneficiamos das lutas sindicais antes da democracia e agora em democracia !
Quando fazemos um contrato de trabalho, o salário que nos pagam, os horários, o seguro de acidentes, a categoria, as horas extra, enfim quase tudo passou pelos sindicatos e ainda passará se continuarmos num sistema democrático
!Eles são fundamentais para se construir uma sociedade mais justa !

Sendo assim é preciso sermos muitos mais críticos, estarmos mais informados e compreendermos que os sindicatos são fundamentais numa democracia !
A expansão da ideologia anti-sindical é um sintoma de que algo está a correr mal no sistema democrático e de que existem sinais de autoritarismo !
Foi assim nos anos imediatamente anteriores à ditadura de 1926 !
Cuidado portanto!

(- por A.Brandão Guedes, Bestrabalho, 27.9.2011)


De .. a 30 de Setembro de 2011 às 13:42

Patrões versus 'chico-espertos' do anti-sindicalismo


Há uns anos atrás (?1986-1990?), aqui em Portugal, um velho empresário voltou à sua empresa (que nos últimos anos deixara entregue a outros para gerir ...) pois esta estava com uma crise devido a uma greve selvagem ...
Ele reune os administradores/directores e pede-lhes para chamarem os representantes sindicais pois gostaria de falar com eles.
Respondem os admistradores/directores que não existiam, podiam até «orgulhar-se de terem ''quebrado a espinha'' aos sindicalistas na empresa»...

O empresário, furioso, desancou neles ...pois agora não tinham ninguém com quem dialogar e resolver o problema da greve selvagem.!
De seguida mandou os directores dizer a todos os trabalhadores que fossem de imediato inscrever-se no sindicato (da escolha deles) que a empresa pagaria o valor das quotas ... e que elegessem uma comissão de trabalhadores, pois o patrão queria dialogar com eles com vista à resolução do conflito laboral.

Entretanto, o esclarecido patrão ainda 'martelou' os administradores/directores, dizendo-lhes: seus burros armados em chicos espertos, antes quando havia um problema na empresa eu chamava os delegados sindicais, discutiamos enquanto almoçávamos e por altura do café já tinhamos chegado a um acordo, que era confirmado com um aperto de mão, e no dia seguinte estava tudo bem na empresa ...
agora, com a vossa asneirada de querer acabar com os sindicalistas, estão há dias e semanas com problemas, a produtividade a baixar, os fornecedores e clientes a protestar e a empresa a perder milhões ...
vocês é que mereciam ser despedidos !


Comentar post

DESTAQUE DO MÊS
14_04_botão_CUS
MARCADORES

todas as tags

CONTACTO

Email - Blogue LUMINÁRIA

ARQUIVO

Novembro 2019

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS
blogs SAPO