De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 10 de Novembro de 2011 às 15:59
Como entendo o Otelo...
Ele, tal como muitos de nós, não sentimos que vivamos numa democracia... Como diriam os extintos e saudosos gatos Fedorento, isto que é uma espécie de democracia...
Vivemos numa ditadura democrática de doutos burocratas engravatadinhos que tomaram o poder usando aquilo que no antigamente se chamaria de regras da democracia, ou seja, usanda (manipulativamente; as regras do regime verdadeiramente democrático.
Nada é mais enganador do que a «verdade».
Também eu tenho esse amargo sabor de estar a ser diariamente enganado por esta espécie de democratas que governam não só o nosso cantinho mas , e infelizmente, as ditas democracias ocidentais... Era muito «mais fácil» a revolta parecessem como uns autênticos malandros e ditadores... mas não, infelizmente usam falinhas mansas, fato e gravata e dizem educadamente «dá-me lincença» e «muito agradecido» antes e depois de nos «irem ao c´_»!


De . RTP a "bem da nação" fascizada . a 17 de Novembro de 2011 às 10:09

Nacional cosmopolitismo

«O relatório ''da metade sobrante'' do Grupo de Trabalho para a Comunicação Social nomeado pelo Governo para "definir" essa misteriosa coisa que é o serviço público de televisão propõe que, erguendo-se gloriosamente no meio dos destroços que ficarem da demolição da RTP, a RTP Internacional (RTPI) passe para a tutela do... MNE.
Além disso, para o líder do tal Grupo, o economista João Duque - cujo currículo conhecido na matéria se resume a umas idas às TV para "debater" - a informação do canal deve ser "filtrada" e "trabalhada" visando a promoção de Portugal.

Coisa que, tomem nota os que têm o mau hábito de pôr questões, "não deve ser questionada". Tudo "a bem da Nação!", a filtragem e o não questionamento, como nos bons tempos da outra senhora.

Simultaneamente, o meio Grupo quer "cosmopolitismo" na "mentalidade e moldes" da programação da RTPI.

Segundo Borges, o termo "cosmopolita" é criação dos estóicos e opõe a ideia de "cidadão do Cosmos" e "cidadão do Universo" à de mero cidadão da sua cidade ou do seu país. Cosmopolitismo é, pois, cidadania universal.

Teremos, assim, indo avante a proposta de Duque & Cª,
uma RTPI "cidadã do Universo" às segundas , quartas e sextas e
a "filtrar" e "trabalhar" a informação para "despertar e consolidar o interesse por Portugal" às terças, quintas e sábados.
Sobram os domingos, mas Duque há-de também arranjar-lhe qualquer coisa que fazer nesse dia "a bem da Nação".» [JN] Manuel António Pina.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres