De sobr«offshores»: Leiam, vejam, divulguem a 23 de Novembro de 2011 às 10:58
O bordel tributário da Madeira
-------------------------------------------
Entrevista de Ricardo Alexandre a João Pedro Martins, autor do livro
«Suite 605: A história secreta de centenas de empresas que cabem numa sala de 100 m2».

(- por Andreia Peniche, http://arrastao.org/2405523.html#comentarios )
----------------------------------
E agora, Cavaco, Coelho, Gaspar, Relvas, Álvaro e restante "clube" !

O que vão fazer ?

1-Vão olhar para o lado e assobiar em inglês ?

2-Pôe-se em campo, para fechar o bordel ?

3-Condenam o mensageiro às galés ?

4-O soba da Madeira, prepara-se para gastar de três a cinco milhões de euros em festarolas, iluminações de Natal e fogo de artifício !

E o que faz o Gaspar ?

5-E o PS, sob a direcção do (in)Seguro, que a cada dia se revela um fogo fátuo, (mas muito "violento" !!!!! Ai que medo...) ?

O director regional dos assuntos fiscais da Madeira, segundo o autor, está acusado pelo Ministério Público (acusado e não indiciado !) do crime de evasão fiscal utilizando empresas madeirenses, das Ilhas Virgens Britânicas e do Reino Unido, e mantém-se no cargo ?

E o que faz o Gaspar ?

30% da população da Madeira, segundo estudos do Banco de Portugal, está abaixo do limiar da pobreza e o "off-shore" está a impedir a Ilha e todo o País de receberem fundos comunitários porque o PIB aparece falsamente inflacionado.

E o que faz o Gaspar ?

São "só" dois mil milhões de euros, que poderiam cobrir os subsídios de férias e de Natal dos funcionários públicos, que o Gaspar diz que, se não fossem roubados pelo governo, isso implicaria o "despedimento de 50.000 ou 100.000 funcionários".

E o que faz o Gaspar ?

E o que faz a Assembleia da República ?

Saúdo a Andrea Peniche pela divulgação do vídeo !
(e o entrevistador Ric.Alex., o autor J.P.Martins e recomendo o livro: « Suite 605 »)

Um verdadeiro serviço público !


De .Políticos, contas e competência... a 23 de Novembro de 2011 às 13:42
«
Gastar é Fácil
(-por Manuel Falcão, Metro, 22.11.2011)

... no caso do PS, a situação das finanças partidárias é caótica ...
... muitos dirigentes (e administradores)... geram mais despesa do que a receita que conseguem obter.
... o grande problema de muitos políticos é que o dinheiro que usam (e de que abusam), não é deles - seja no partido, seja no Estado.
... o resultado é sempre o mesmo: aumentar taxas, impostos (nas empresas é: aumentar preços, as margens de lucro, as comissões, esmagar fornecedores, ...), inventar forma de ir buscar mais dinheiro ao bolso dos contribuintes (e consumidores ...).
... o mais chocante é a forma como alguns (ex-)políticos centraram a sua actividade empresarial privada exclusivamente em actividades especulativas (, intermediação e lóbi) e em obtenção de contratos de favor (concessões públicas, 'parcerias público-privadas', rendas, subsídios e isenções).

Uma democracia, para funcionar, precisa de (cidadãos, empresários e) políticos (activos mas) competentes, sérios e dedicados à causa pública. Nos últimostempos têm sido raros.
»
Zé T.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres