5 comentários:
De assimetrias & desigualdades a 25 de Novembro de 2011 às 09:54
Julgava eu que a mocinha da Assembleia da República, Assunção Esteves, detinha o recorde da pensão mais precoce, aos 42 anos, pois não paro de me surpreender, o Lima aquele que está a dormir na choldra por precaução ainda se reformou mais cedo, aos 39 com uma pensão vitalícia de 2.200 euros, a única fonte de sustento que aquela pobre alma parece ter, a fazer fé na sua declaração de rendimentos. Ou muito me engano ou ainda vamos pagar os milhões de euros que o sem-abrigo ficou a dever ao BPN.
E depois é o partido e o governo desta gentinha que nos vem dizer que andámos a viver acima das nossas possibilidades ou que é preciso elevar o limite de idade de acesso à reforma para os 67 anos, vai, lá vai. Metam-no definitivamente dentro, dêem-lhe de comer e uma enxerga para dormir e poupam uma grande parte desses 2.200 euros que eu estou farto do politicamente correcto, vão roubar chumbo que cobre já há pouco, são cem cães a um osso.


De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 25 de Novembro de 2011 às 11:09
É uma vergonheira... Estas benesses que a classe política legalizou para si própria, não é?
Poderiamos até chamar a estas pensões e subvenções o RSI dos ricos, não acham?
Estão ao mesmo nível ou a um nível (moral claro!) ainda mais baixo...
Anda meio-mundo a «comer» à conta dos «Zés», uma verdadeira escandaleira!


De Dalai Lama a 24 de Novembro de 2011 às 10:28
"Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem dinheiro para recuperar a saúde.
E por pensarem ansiosamente no futuro se esquecem do presente de forma que acabam por não viver nem o presente, nem o futuro.
E vivem como se nunca fossem morrer... e morrem como se nunca tivessem vivido."


De Auditoria cidadã à Dívida a 23 de Novembro de 2011 às 16:46

AUDITORIA CIDADÃ à DÍVIDA

Cara Amiga / Caro Amigo,

No passado dia 15 de Novembro, foi dada uma conferência de imprensa (por favor ver http://auditoriacidada.info/video/confer%C3%AAncia-de-imprensa-da-iac-2011-11-15-0) tendo sido dada a conhecer a IAC - Iniciativa para uma Auditoria Cidadã à Divida Pública, cujo apelo está disponível em http://auditoriacidada.info/node/33.

A actividade da Iniciativa para uma Auditoria Cidadã à Divida Pública consiste em
exigir às entidades públicas a informação que é direito dos cidadãos em democracia.
Ao mesmo tempo, a Iniciativa de Auditoria Cidadã à Divida Pública pretende realizar um trabalho rigoroso de pesquisa - compilando e interpretando dados já públicos e outros que se tornem públicos a partir de agora -
com vista ao esclarecimento urgente da sociedade portuguesa sobre as características de uma dívida que se tornou central na nossa vida colectiva.

Em Dezembro deste ano, no dia 17 ocorrerá no cinema S. Jorge a Convenção de Lisboa, que instituirá o processo de Auditoria Cidadã à Dívida Pública apelando-se à necessária participação de todos.

Assim, caso considere pertinente, convidamo-lo/a a demonstrar publicamente o seu apoio à IAC, o que poderá ser feito em http://auditoriacidada.info/node/90 ou em http://www.facebook.com/iac.auditcit?sk=app_140173579422727.


De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 23 de Novembro de 2011 às 15:27
E com efeitos retroativos, no que refere a subvenções vitalícias, reformas e aposentações...


Comentar post