6 comentários:
De .Elites dolosas, lóbis e 'inimputáveis'. a 30 de Novembro de 2011 às 14:02
Américo Amorim:
um modesto trabalhador com grandes despesas pessoais

«O "Jornal de Notícias" escreve que os Serviços de Inspecção da Direcção de Finanças de Aveiro (DFA) detectaram irregularidades na Amorim Holding2, pertencente ao empresário Américo Amorim, relativas aos anos de 2005, 2006 e 2007.

Os inspectores encontraram despesas pessoais, que ascendem a centenas de milhões de euros, incluídas na contabilidade da holding.

O rol de despesas é extenso e vai desde viajens da família para destinos turísticos a despesas com massagens, passando por tampões higiénicos e mercearia.»
[DN]

---------
- Quem é o investidor a acarinhar ?!
o empresário de mérito ?!
o empreendedor a louvar ?!
o comendador ?!


Este é um típico exemplo (e apenas a ponta visível do 'iceberg' escondido) da nossa alta burguesia e grandes empresários, especuladores, banqueiros, ...

- são (quase) todos FUJÕES aos IMPOSTOS e às suas responsabilidades como contribuintes e cidadãos, ...

sendo que alguns ainda são AGIOTAS, Burlões, Ladrões, Criminosos, ...

e fazem fortíssima pressão/ LÓBI nos jornais, TVs, comentadores, fundações privadas, universidades/ institutos, seminários ...

e junto dos governantes para OBTEREM mais ainda do ESTADO, mais benesses, concessões, rendas, isenções, leis e decretos à medida dos seus interesses privados ...

e que prejudicam a 'economia nacional', o próprio Estado e a maioria da população/ cidadãos.


De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 30 de Novembro de 2011 às 14:11
Devia haver mecanismos legais e prticos de retirar distinções e benesses concedidas, mediante á vida viesse a mostrar que estas tinham sido mal atribuídas por comportamentos posteriores mostrarem que afinal, esse anterior reconhecimento, não era devido...
Américos Amorins com muitos outros nomes do universo nacional são exemplo de que o «dinheiro» compra tudo, até as honrarias de estado ou sobretudo essas.
«Isto» onde vivemos, não é um país, é um quintal e dos maus.


De .Alta CORRUPÇÃO nas COMPRAS e ...? a 30 de Novembro de 2011 às 18:01
Portas perdoa 189 milhões no negócio das 'Pandur'

(por DN.pt Hoje)

Empresa apresentou proposta de 705 milhões de incentivos à economia, mas contrato apenas estabeleceu 516.

O Estado português deixou fugir 189 milhões de euros de investimentos na economia portuguesa que resultavam da compra das viaturas Pandur para o Exército e para a Marinha.

Em Novembro de 2004, a empresa fornecedora dos veículos apresentou uma proposta final de 705 milhões relativa a compensações.
Este valor, porém, foi corrigido para 687 milhões.
No contrato de contrapartidas assinado por Paulo Portas, como ministro da Defesa do Governo de Pedro Santana Lopes, o valor voltou a baixar para os 516 milhões.

Nem a Comissão Permanente de Contrapartidas (CPC) nem Paulo Portas quiseram esclarecer a questão.
Um estudo de um professor do ISCTE levanta dúvidas sobre os critérios que a CPC utilizou e que foram homologados pelo ministro.
Actualmente, a Comissão tem cinco técnicos para fiscalizar investimentos na ordem dos três mil milhões de euros.
-----------------------

- Acham que esses milhões, que não entraram nos cofres do Estado, se evaporaram porque as partes eram caridosos anjinhos ?!

- ou será que serviram para pagar muitas Luvas, intermediação, anuências, alterações de relatórios/ contas/ pareceres técnicos e bocas caladas... (de militares, governantes, políticos, advogados, bancos, ...) ?!


De Será que é uma mera coincidência? a 29 de Novembro de 2011 às 16:25
Será que é uma mera coincidência?
O meu cão dorme em média 20 horas por dia.
Tem toda a comida preparada para ele.
Ele pode comer qualquer coisa que lhe apeteça.
A comida é-lhe dada sem custo.
Vai ao veterinário uma vez ao ano, ou quando necessário, sempre que algum mal lhe aparece.
E não paga nada por isso e nada lhe é pedido.
Mora numa zona central, com boa vizinhança e numa casa que é muito maior do que ele necessita, mas não precisa limpar nada.
Se ele fizer porcaria, alguém limpa.
Ele escolhe os melhores lugares da casa para fazer a sua soneca, e recebe essas acomodações completamente grátis.
Vive que nem um rei e sem que isso lhe acarrete qualquer despesa extra.
Todos os seus custos são pagos por outras pessoas que tem de sair de casa para ganhar a vida todos os dias.
Eu estive a pensar sobre isto, e de repente concluí...
- O meu cão é um deputado!


De memória curta a 29 de Novembro de 2011 às 16:22
Falta aí um «caramelo» na fotografia...
Por: Camilo Lourenço
BPN: memória curta, Março de 2001.
A revista "Exame", que na altura dirigia, dizia na capa que o Banco de Portugal tinha passado um cartão amarelo ao Banco Português de Negócios.
Dias depois recebi um telefonema de Pinto Balsemão. Assunto: o ex-ministro Dias Loureiro tinha-lhe telefonado por causa do artigo e, na sequência dessa conversa, queria falar comigo.
Acedi prontamente.
A conversa com o ex-ministro foi breve... mas elucidativa: Dias Loureiro estava desagradado com o tratamento dado ao BPN; o assunto tinha criado um problema com a imagem do banco; não havia qualquer problema com o Banco Português de Negócios; Oliveira e Costa, ex-Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, e à época Presidente do Conselho de Administração daquele Banco (hoje em prisão preventiva) referiu que estava muito "incomodado" com a matéria da capa (para a qual tinha contribuído, com uma entrevista) e pensava processar a revista (como efectivamente aconteceu).

Depois da conversa comuniquei a Pinto Balsemão que não tinha ficado esclarecido com as explicações de Dias Loureiro e que, por mim, a "Exame" mantinha o que tinha escrito.
O que aconteceu depois é conhecido...

Ao ouvir Dias Loureiro na RTP fiquei espantado.
Porque o ex-ministro disse que ficara tão preocupado com o artigo que foi, de "motu propriu", ao Banco Central comunicar que a instituição devia estar atenta.
Das duas uma: ou Dias Loureiro soube de algo desagradável entre a conversa comigo e a ida ao Banco de Portugal; ou fez "fanfarronice" nessa conversa para esconder os problemas do BPN.
Há uma terceira hipótese... Feia. Mas depois do que vi no assunto BPN já nada me espanta!


De .. a 29 de Novembro de 2011 às 11:32
A injecção da Banca

http://sorisomail.com/email/224587/the-codice--a-injeccao-da-banca.html

vídeo sobre Governo que ajuda banqueiros e empobrece os trabalhadores... cantado por Quim Barreiros


Comentar post