De Boas festas pró pagode a 19 de Dezembro de 2011 às 14:18

Boas-Festas com muita saudinha

Pego num comentário que o Carlos deixou no post anterior de Festas-Boas para sacar o título e construir este texto que inicia a semana de Natal.

"Com muita saudinha" ou "e saúde da boa" são excelentes dicas para incluir nos discursos que estão em construção no poder.
Também podiam ser:
"vão-se catar" ou "tenham pacienciazinha" ou ainda "mantenham-se pequeninos mas honradinhos e mansos".

Aguardemos então os cara-de-pau que estão para invadir as televisões a desejar as Boas-Festas ao pagode pagante e tenhamos a clarividência de não estragar os ecrãs que nos farão muita falta para os ouvirmos, durante mais um ano, a dizer que
a primeira de todas as "Reformas Estruturais" será substituir o cinto de cabedal por um de elástico que permita esticar os furos para além do último aperto
e que a segunda se aplica aos certificados emitidos pelas Faculdades Portuguesas que passam a incluir um visto de imigração para os PALOPS e similares.

LNT, [0.602/2011]


De .Emigrar ou implodir P de vassalos !?!. a 19 de Dezembro de 2011 às 15:11
«EMIGRE o senhor (PM) !»
-----------------------------------
-----Nightwish
O problema é que, em pleno século XXI, se quer mandar as pessoas a quem se pagou educação todas para fora para ficarem aqui os remediados a fazerem trabalho que nunca poderá ser de excelência porque os melhores já fugiram.
Mas, para quem quer uma pequena china na europa serve perfeitamente.
Berram menos e até trabalham 12h por dia.

-----Zé Manoel
Ora nem mais.
Ao menos lá fora não trabalham em turnos de 12 horas, não é assim?
É que lá fora as leis cumprem-se.
Eu vou emigrar e fui a uma entrevista e sabe o que me disseram?
Pasme. Irei ter direito a 30 dias úteis de férias por ano, porque é essa a legislação do país para onde vou trabalhar.
E também me pagam bem pela "aventura" e por isso considero-me um "aventureiro", ao contrário de gente com filhos em colégios e que concorda com a exploração em turnos de 12 horas com pagamento de 600 euros.
Antes de ir, gostaria de lhe desejar um bom natal, pense muito e já agora que vá badamerda, seu fascista.

----xuxu
Tambem acho que a maioria dos portugueses estara de acordo com o PM.
Com um povo assim tao parvo e natural que isso tenha chegado ao estado a que chegou.

Eu pessoalmente (nao sou PM - como o Daniel diz é uma posicao totalmente diferente) recomendo a toda a gente emigrar (para o Norte da Europa, de onde escrevo isto).
E levar todo o dinheiro que tenha no banco, por duas razoes:
1. Porque não é seguro deixar o dinheiro em bancos portugueses
2. Para ajudar o sistema a implodir:
antes quero que Portugal imploda, do que seja sustentavel um sistema de vassalos (!!).

Coisas como a destruicao do SNS ( http://www.publico.pt/Sociedade/listas-de-esperam-para-cirurgia-disparam-1525618 )
estao a ser feitas de PROPOSITO (com a desculpa da troika).
Se é para ser assim, então que imploda.

-----berto
Falar em "esmagadora maioria de portugueses" os crónicos participantes no forum TSF, realmente é de gritos.
Os portugueses sempre foram aventureiros?
Ou foi porque o país nunca lhes proporcionou uma vida digna e por isso tiveram que ir embora?

O estado paizinho acabou?
O que é agora, o estado-padrasto?
O último a sair que apague a luz.

-----Anónimo
Qual é o problema?!?
QUAL É O PROBLEMA?!?
O problema é termos 30 alunos por turma!!
O problema é termos profs que durante 1 hora ou 90 minutos são monitores, pais e sei lá que mais antes de serem professores!

É mais fácil reunir um rebanho de gatos do que dar aulas nas condições actuais.
Na cabeça destes deficientes mentais que para aqui comentam e que dão entrevistas é mais fácil aumentar as turmas para 40, 60 ou 100 alunos e assim resolve-se o problema dos custos da educação.
Os excedentários que emigrem.

O PROBLEMA é termos um governo que praticamente fecha o Instituto Camões (aquela iinstituição que tinha a responsabilidade de promover a língua e cultura portuguesa no estrangeiro)
e dizer aos professores para substituirem algo que é da competência do Estado fazendo-se à estrada.

----Zé Manoel
Meu caro tem toda a razão.
Tenho uma familiar professora e ela queixa-se que tem 30 alunos numa sala do ensino básico.
É impossível dar-lhes uma educação de qualidade nessas circunstâncias.
De facto o melhor é mesmo emigrar porque o ar deste país anda insuportável!
Começa já a cheirar a fascismo do mais básico neste país.
Cheira a Salazar.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres