3 comentários:
De .Governo : os Portugueses estão a + !. a 21 de Dezembro de 2011 às 13:38
Sensatez

O que disse o vice-presidente da bancada do PS e tanta celeuma levantou é o óbvio:
um Governo que se preocupasse exclusivamente com os interesses dos portugueses
e não fosse um mero núncio local dos interesses dos "mercados"
deveria ter como absoluta prioridade a renegociação da dívida.

Percebe-se finalmente o que são as tais "gorduras do Estado": são os portugueses.

Manuel António Pina, Finalmente alguém sensato e Nós, as "gorduras", JN.


De .vender anéis... EDP e + privatizações!! a 23 de Dezembro de 2011 às 11:19
Do capitalismo de Estado

A EDP registou, em 2010, lucros de cerca de 1000 milhões de euros e entregou ao Estado mais de 150 milhões de euros de dividendos.
O Estado português vai agora desfazer-se dos 21,35% que lhe restam nesta empresa absolutamente estratégica por uns 2,69 mil milhões de euros considerados impressionantes.

É fazer as contas e ver a miopia, lesiva do que resta da soberania democrática, de um encaixe que é um grau de areia no deserto de
uma dívida na realidade não soberana e que terá de ser, mais tarde ou mais cedo, reestruturada.

Assinale-se também a ironia estafada de ver a última fase da privatização de uma empresa construída pelo Estado democrático português ser ganha por uma empresa pública chinesa,
expressão de uma variedade autoritária de capitalismo de Estado, lição para os que ainda dizem, à esquerda e à direita, que o capital não tem nacionalidade.

Promete-se crédito, o que na China é sinónimo de bancos públicos.
De resto, esta pontual viragem para a China ainda corre o risco de vir, muito mais tarde, a ser interpretada como um marco no reconhecimento nacional de que esta Zona Euro já deu o que tinha a dar.

(-por João Rodrigues às 23.12.11, Ladrões de B.)


De .neoliberais: Privatizar para Estado dit a 23 de Dezembro de 2011 às 11:35
Dúvidas, dúvidas
(- por Sérgio Lavos, Arrastão, 22.12.2011)

Aos indignados com as condolências do PCP na morte de Kim Jong-il: qual é a diferença entre a ditadura norte-coreana e a ditadura chinesa?

Se agora viesse a empresa (estatal) de electricidade norte-coreana comprar a participação do Estado português na EDP, já se poderia dizer que é o normal funcionamento dos mercados e portanto o PCP estaria desculpado?

Será que um partido não pode enviar uma saudação a um povo que perdeu o seu líder mas um Governo pode ceder o património do Estado a uma empresa pública de uma ditadura?

E, já agora, como explicar esta venda a uma empresa com capitais 100% públicos no âmbito da política de privatizações
- obrigatórias, de acordo com o credo neoliberal - deste Governo?
Ah, a indignação selectiva dos nossos "liberais" - e alguns conservadores - de direita... um primor de hipocrisia.

Adenda:
No Blasfémias, alguém fica contentíssimo com a entrada da ditadura chinesa na economia europeia, sobretudo porque compra uma empresa em vez de financiar o diabo do "estado social".
Ah, estes bravos defensores do capital são espectaculares.
A democracia, a liberdade?
Pormenores, grãos de areia na fantástica engrenagem neoliberal.
Quem diria que o modelo chinês - um país, dois sistemas - seria o escolhido para o capitalismo do futuro?

Adenda 2:
Os comunistas portugueses são obtusos. OK.
E os chineses, serão o quê?

Adenda 3:
Vamos todos ignorar o "detalhe" da China "estar longe de ser uma democracia". Vamos!
E a seguir, 'bora lá ignorar o "detalhe" da Coreia do Norte "estar longe de ser uma democracia" - deve haver com certeza alguma empresa pública nossa em que o Kim Jong-in esteja interessado.

---------: começou a época dos saldos

O mercado livre
por Sérgio Lavos

Até agora, os privados detinham 78,65% e o Estado português 21,35% da EDP,
empresa sem concorrência no mercado português e detentora de um sector estratégico da economia nacional.
Hoje, a réstia de monopólio desse sector foi vendida a uma empresa detida a 100% pelo Estado chinês.
Está certo.

O mercado livre a funcionar significa, neste caso, um Estado estrangeiro - e por acaso, apenas por acaso, uma ditadura
- comprar uma parte importante da nossa economia e abdicarmos da nossa soberania neste sector.

Deve ser a isto que os nossos "liberais" chamam "desregulação radical"...

(- tags: começou a época dos saldos, crise)


Comentar post