De ..Portugal: ''Democracia falhada'' a 22 de Dezembro de 2011 às 11:35
Uma Democracia Com Falhas não é uma Democracia!

A prestigiada revista "The Economist" considerou hoje, pela primeira vez, que Portugal vive uma "democracia com falhas" (ler AQUI)...
a notícia não surpreende a não ser os políticos que vivem da auto-ilusão com a imagem que eles próprios criam e vendem!...
é, contudo, muito interessante e importante que a comunidade internacional perceba que as consequências de
uma economia improdutiva, hipotecada e resgatada à dependência do exterior
não é útil sequer como aliada no plano da política internacional!...
e assim, no seio da indiferença subserviente e aquietados pelo medo do desemprego,
iremos, de alienação em alienação, perder todas as competências, toda a iniciativa, todo o mérito e toda a liberdade...
porque... com fome, não se pensa!... mas, com medo e sem esperança, também não!

(por Ana Paula Fitas em 21.12.2011)comentários:
---- NYX(des)VELADA disse...
Olá Ana,

Triste notícia - mas não deixa de ser uma realidade com algum tempo. Há cerca de um ano Manuel Alegre dizia
"não aceitar que políticos portugueses manifestem disposição para governarem em simultâneo com uma intervenção do FMI em Portugal". Ontem, a sua "boa ousadia" permitiu-lhe
afirmar o que ninguém quer assumir:
«O que este Governo está a fazer é algo nunca visto, que nem mesmo nos tempos do salazarismo,
nem mesmo nesse tempo um governante alguma vez disse que os portugueses deviam sair do país»/
«Este Governo não está à altura da sua responsabilidade histórica.
Dá a impressão que quer dissolver o povo e que quer dissolver o país».

Eu subscrevo...
Um grande abraço!
---- Rogério Pereira disse...
Cara Ana Paula Fitas, ocorre-me partilhar o que escrevo no meu perfil, onde escrevi assim:

"Antes fui Viriato. Resolvi mudar. Vou aparecer dentro desta outra personagem. Agora é inspirada no "pai da democracia".
Clistenes é seu nome. Assumo a sua imagem. Hesitei entre ele e Solon, por este ter produzido lei que além de perdoar dívidas e as hipotecas que pesavam sobre os pequenos agricultores, aboliu a escravatura por motivos de dívida.
Optei, apesar disso, por Clistenes, a quem se deve a lei que instituiu que o poder deve pertencer a um colectivo e que quem ameaça a Democracia deve ser condenado ao ostracismo.
Ele e eu, abominamos a tirania e os tiranetes..."



Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres