1 comentário:
De Desmontagens a 25 de Dezembro de 2011 às 23:48
Pela lógica do artigo, facilmente concluiríamos que a Dinamarca, a Holanda, a Finlândia, a França, a Alemanha, estariam com imensas dificuldades, pois com o euro forte não conseguiriam exportar e ao invés, importavam bastante, prejudicando a sua balança de transações, empobrecendo o país.
Já, países, como o Bangladesh, as Filipinas, a Indonésia, ou aqui mais próximo como a Argélia, Marrocos, Tunísia, etc. estariam com uma qualidade de vida brutal, pois com uma moeda fraca, exportavam bastante e importavam pouco.
Será assim?

Outra falácia. A CEE veio destruir a pesca e a agricultura: Nada mais falso. A Espanha, A Grécia, a Itália, que também receberam subsídios para a agricultura e pescas, não só desenvolveram estas nos seus países, como no caso espanhol, desenvolveram também em Portugal, como é o caso atual da olivicultura, em que finalmente, graças aos investimentos espanhóis conseguimos ser auto-suficientes


Comentar post