Pobreza, desemprego e más políticas na U.E.

Um Sorriso ... amarelo ?!

 

    Com tendência para continuar a subir, segundo o Eurostat, o desemprego atingiu os 14,8%, ficando Portugal logo atrás da Espanha e da Grécia, ao nível da Irlanda (ler aqui). Com cálculos rigorosos, de onde sejam extraídos estágios e trabalhos precários, não ficaremos longe dos 20% e este cenário, efectivamente dramático para as condições de vida dos cidadãos, exige uma intervenção política urgente, incontornavelmente assente na real orientação social da economia.
    A verdade é que o tempo da austeridade "cega", centrada na mera lógica da contabilidade financeira, não pode continuar a prolongar-se sob pretexto algum... além disso, a Europa já não tem (nem pode ter!) argumentos para impôr aos Estados que a integram o sacrifício das suas populações, sob pena do total desmantelamento da sua fragilizada arquitectura política... e mais do que isso, da eclosão de uma gravissima crise social de que a contestação e a violência são apenas um dos lados da moeda, no contexto da emergência generalizada da pobreza...


Publicado por Xa2 às 07:59 de 14.03.12 | link do post | comentar |

9 comentários:
De Desemprego e salários de Miséria. a 20 de Março de 2012 às 08:53
SALÁRIO MÍNIMO NACIONAL !
NÃO HÁ VERGONHA MÍNIMA !

A CGTP coloca como uma das suas principais reivindicações o aumento do salário mínimo! Faz muito bem a CGTP !
Mais de 11% dos trabalhadores por conta de outrem recebem o salário mínimo, ou seja 485 euros por mês!
Uma miséria ! So isto vale bem uma greve geral de todos!

Um Acordo assinado por todos os Parceiros e o Governo em 2006 previa que em 2011 se chegasse aos 500 euros!
Este Acordo foi mandado ás urtigas pelos patrões e pelos dois últimos governos!
Assinaram na devida altura, mas depois fizeram orelhas moucas a todas as propostas de subida!
Cínicamente vão dizendo que é por causa da crise!
Que vergonha! Os aumentos anuais não chegavam a um euro por dia, mais concretamente o aumento seria de 25 euros em 2011! O preço de uma bica em zona turistica! O preço que qualquer empresário paga pelos seus cafés!

Mas qual quê, a indignação foi de pouca monta!
Aumentar o salário mínimo é quase uma exorbitância para o patronato português e para este Governo!
Mas toda a gente sabe que o não aumento deste salário é uma das causas de pobreza e desigualdade em Portugal.
Então porque se dizem tão preocupados com a pobreza, elaborando planos de emergência social e chorando lágrimas de crocodilo pelos pobres?

E sabemos que a maioria da oferta de emprego neste momento é o salário mínimo! Não têm vergonha mínima na cara!
A pobreza para este governo faz parte dos danos colaterais da grande cruzada que leva a cabo para salvar os banqueiros, e os velhos e novos senhores que novamente estão a dominar o País. A resposta tem que ser dada por todos!
A resignação não é caminho!
(Ver Acordo da Concertação Social, é de 5.12.2006 !!: http://www.ces.pt/download/203/FixEvolRMMG2006.pdf )


(-por A.Brandão Guedes, BemEstarNoTrabalho, 15.3.2012)


De Movimento Sem Emprego (e precários). a 20 de Março de 2012 às 14:43

O Movimento Sem Emprego realiza um plenário desempregados na Margem Sul do Tejo


O MOVIMENTO SEM EMPREGO vai realizar um plenário de desempregados na Margem Sul do Tejo, no Edifício da Junta de Freguesia de Corroios, junto ao mercado de Miratejo, no dia 15 de Março, às 19h00. No fim do plenário, os jornalistas terão a oportunidade de contactar os participantes no plenário.

Este grupo de trabalhadores que alterna a sua condição entre o desemprego, o sub-emprego ou a precariedade, afirma estar empenhado na criação de um movimento para o combate político e para a defesa dos direitos deste sector social.

Com o desemprego a bater todos os recordes, os organizadores esperam que a luta política ajude a inverter a tendência para
o isolamento das pessoas que ficam nesta situação e aposta tudo no envolvimento do maior número possível de desempregados, seja no tipo de acções como a que vai ter lugar no Centro de Emprego do Conde Redondo,
seja no chamado que estão a fazer para a manifestação e assembleia popular marcada para o dia 22 de Março, no decorrer da greve geral.

Dia 15 de Março, 19h00, Edifício da Junta de Freguesia de Corroios, junto ao mercado de Miratejo
http://maps.google.com/maps?q=JUNTA+DE+FREGUESIA+DE+CORROIOS%2C+Largo+do+Mercado%2C+Corroios%2C+Portugal&hl=en&ie=UTF8&ll=38.649322%2C-9.143194&spn=0.000852%2C0.001742&sll=38.641537%2C-9.15115&sspn=0.003306%2C0.004823&oq=Junta+de+Freguesia+de+Corroios&hq=JUNTA+DE+FREGUESIA+DE&hnear=Largo+do+Mercado%2C+Corroios%2C+2855+Seixal%2C+Set%C3%BAbal%2C+Portugal&t=h&fll=38.649561%2C-9.143075&fspn=0.000856%2C0.001742&z=20&layer=c&cbll=38.649322%2C-9.143194&panoid=8LdTgTfAqV0KQ2CK hs0aMQ&cbp=12%2C12.05%2C%2C0%2C-2.49

Dia 22 de Março, 15h00, Praça do Rossio,
Coluna de Desempregados na Manifestação convocada pela Plataforma 15O e participação na Assembleia Popular

P`lo Movimento Sem Emprego
Ana Pacheco,
Ana Rajado,
Chullage,
Renato Teixeira,
Myriam Zaluar,
Nuno Silva e
Ulício Cardoso

Para mais informações contactar:
Ana Rajado 967872436,
mobilizar@movimentosememprego.info

Site: http://www.movimentosememprego.info
Página no Facebook: http://www.facebook.com/groups/movimentosememprego/

Evento no Facebook (Plenário de desempregados - Margem Sul do Tejo): http://www.facebook.com/events/349869798364580/

Evento no Facebook (Coluna de Desempregados na Manifestação da Greve Geral): https://www.facebook.com/events/241646325927197/

Twitter: https://twitter.com/MovSemEmprego


De . REVOLTA dos Trab...classes Média e Pob a 15 de Março de 2012 às 10:49
ESTES (des)GOVERNANTES PERSEGUEM, DISCRIMINAM E PENALIZAM FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS E OS TRABALHADORES EM GERAL

Eu NÃO aguento mais !

Exijo respeito e equidade na distribuição dos sacrifícios !

A REVOLTA ESTÁ INSTALADA !

Através de uma máquina de propaganda bem oleada (paga com os nossos impostos), iniciaram a campanha de desacreditação e estigmatização dos funcionários públicos e trabalhadores em geral, criando a clivagem social que hoje se verifica, agravada com as posições políticas do Presidente da República, indignas de qualquer estadista digno desse nome.

Com a preciosa ajuda dos media, comentadores e economistas neoliberais, estão a ser manipulados dados oficiais e bombardeiam os trabalhadores em geral e os do Estado com mentiras e calúnias, reduzindo a escombros a imagem e a autoestima desses trabalhadores.

Em simultâneo, congelaram salários, roubam subsídios a que têm direito inalienável (férias e Natal) e carreiras, reduziram as comparticipações da ADSE, retiraram direitos constantes dos contratos de trabalho e impuseram um absurdo sistema de avaliação (SIADAP) que impede as progressões durante 10 anos. Actualmente, na função pública, só é possível atingir o topo da carreira após 100 anos de serviço.
Para além disso, aumentaram os descontos para a ADSE e CGA - transformando os trabalhadores e os do Estado nos cidadãos que mais descontam em Portugal e atiraram com muitos deles para a mobilidade especial (um sistema de desemprego encapotado).

Com tanta perseguição, em tão pouco tempo, empobreceram os funcionários públicos e os trabalhadores em geral, reduziram o poder de compra respetivo (estima-se que, com este governo da direita, a função pública e os trabalhadores em geral, tenham perdido mais de 30% do poder de compra) e feito duplicar a taxa de desemprego que já ronda 1.200.000 portugueses. É OBRA!

Cortando nos salários 3,5% a 10% (média 5%), sem se importarem com a falta de equidade, com a injustiça e com a inconstitucionalidade dessa medida.

Enquanto isto, este governo do PPD e PP, o triste exemplo que dá aos trabalhadores castigados desempregados e reformados é de, ele próprios e seus colaboradores/correligionários, continuarem a receber subsídios de Natal, de férias e a não contribuir para solucionar a crise.

Apesar de tantos sacrifícios não resolveram os problemas do país e, POR IMPOSIÇÃO DOS BANQUEIROS, acabaram por pedir um empréstimo (resgate) de milhões de euros. Resultado: PORTUGAL LEVOU COM A TROIKA EM CIMA, QUE ESTE GOVERNO VINHA PEDINDO QUANDO AINDA ESTAVA NA OPOSIÇÃO!

É manifesto que os sacrifícios que que estão a ser impostos às classes média e pobre, não estão a corresponder aos resultados esperados!

Derrubaram o anterior governo minoritário, prometeram mundos e fundos e, em poucos meses, transformaram a função pública e o mundo do trabalho num verdadeiro inferno.

Durante a campanha eleitoral, prometeram que não cortariam os salários dos funcionários públicos, e Passos Coelho declarou mesmo, de forma perentória, que a ideia de cortar os subsídios de férias ou de Natal era um DISPARATE. EXTRAORDINÁRIO ! Lembram-se?

Porém, assim que tomaram posse, anunciaram o corte de metade do subsídio de Natal (14.º mês) de todos os trabalhadores portugueses e pensionistas, provocando, por arrasto, mais uma redução nos vencimentos dos trabalhadores em geral e da função pública.

Passado pouco tempo, comeram mais queijo e decidiram manter o corte médio de 5% nos salários, acrescentado o tal DISPARATE aos sacrifícios já impostos.

Ou seja, para além dos cortes nos salários... DECIDIRAM ROUBAR OS SUBSÍDIOS DE FÉRIAS E DE NATAL (13.º e 14.º MESES) AOS TRABALHADORES DO ESTADO E AOS PENSIONISTAS.

Resultado: devido à crescente perda do poder de compra, aos congelamentos, ao aumento dos descontos e à redução dos salários, os funcionários públicos, em menos de um ano, perderam cerca de 30% dos seus rendimentos, e agora vão perder mais dois salários (mais14%).

Inebriados pelas suas ideias neoliberais e sempre apoiados por grupos oligarcas, não se importaram com a injustiça, com a falta de equidade e com a inconstitucionalidade das suas medidas.

Até ...


De .REVOLTA-te PORTUGAL e livra-te da corja a 15 de Março de 2012 às 10:55

Eu NÃO aguento mais !
... .............
Até se esqueceram que "os subsídios de Natal e de férias são inaliáveis e impenhoráveis" (redação do art.º 17.º do Decreto-Lei n.º 496/80, de 20 de Outubro, aprovado e publicado pelo Governo de Francisco Sá Carneiro).

Para se justificar, Passos Coelho veio mesmo afirmar que os funcionários públicos ganham mais do que os privados, o que, como provam estudos e dados oficiais, é mais uma mentira ostensiva e um insulto aos trabalhadores do Estado (estudos credíveis e bem fundamentados concluem precisamente o contrário).
Mais...

Miguel Relvas declarou publicamente que os 13.º e 14.º meses dos trabalhadores das câmaras municipais vão servir para pagar as dívidas das autarquias, como se agora os trabalhadores fossem obrigados a pagar do seu bolso os gastos dos municípios.

Ou seja, para este, os funcionários das autarquias vão ter de pagar, por exemplo, a construção e manutenção de escolas, a construção de vias, passeios e demais infraestruturas, os serviços de abastecimento de água ou a recolha do lixo que os outros fazem. GENIAL! ATÉ CUSTA A ACREDITAR, MAS É VERDADE!

E ainda gozam com a nossa cara! Aprovaram recentemente o Orçamento do Estado às gargalhadas!

Decidiram, com o apoio de Cavaco Silva, alimentar a clivagem social e esmagar os funcionários públicos, mostrando sem rodeios e com total descaramento, que os direitos descritos na Constituição Portuguesa (a lei fundamental do país) só são válidos para os portugueses que trabalham no setor privado.

E não ficarão por aqui!... Brevemente vão alegar mais buracos e derrapagens para reduzir novamente os salários e eliminar quaisquer subsídios que ainda subsistam. Só vão descansar quando os funcionários públicos e trabalhadores estiverem a viver no osso e nos limites da sobrevivência, como já está acontecer com muitos portugueses que, sem trabalho, sem dinheiro para comer e, muito menos, para ir ao médico e tratar-se, acaba por morrer. Não foi por acaso que no passado mês de Fevereiro houve mais de 14.000 mortos em Portugal ! Dá que pensar !...

NO MEIO, APARECEM ESTES: Têm receitas e soluções para tudo, mas não resolvem nada.

Com uma retórica enfadonha, cheia de números e percentagens, passam a vida a defender mais cortes nos salários e mais redução no poder de compra da função pública, como se os cortes já efetuados ou anunciados não fossem suficientes.

PARA ESTES, OS TRABALHADORES EM GERAL, DO ESTADO E OS PENSIONISTAS, SÃO APENAS UMA DESPESA E UM PESO PARA O PAÍS.

Esquecem-se de que estão a falar de cidadãos e trabalhadores portugueses que ganham salários em troca do seu trabalho, que pagam os impostos respetivos (os únicos que, de certeza, não fogem ao fisco), e que, tal como os outros, têm famílias e o direito de viver em Portugal.

Medina Carreira, para além de comparar os direitos constitucionais a uma refeição indigesta, trata os funcionários públicos por "essa gente", mostrando um autentico desprezo por estes cidadãos.

Mira Amaral e Eduardo Catroga, enfim!... Esses não se cansam de pedir mais sacrifícios PARA OS OUTROS porque, eles mesmo, como sabemos, levam vida de "nababos"!!!

Ferraz da Costa, um trabalhador incansável (?), está sempre a insistir que os trabalhadores e a função pública tem de trabalhar mais, mesmo com cortes nos salários e sem os subsídios de férias e de Natal, etc. Enfim, é esta a porcaria do capitalismo selvagem que temos!!!

Mas, será que estas criaturas não sabem que a escravatura foi abolida, no Século XVIII, em Portugal e na Europa?

Há muitos outros que podiam figurar neste grupo, mas estes já são suficientes para justificar a indignação e a revolta que atualmente dominam os funcionários públicos, os pensionistas e as suas famílias.

E AINDA HÁ ESTES:
São egoístas, covardes e chicos espertos.

São cidadãos anónimos que se escondem atrás dos computadores e andam pelos fóruns online dos jornais e redes sociais da internet, emitindo opiniões depreciativas e discriminatórias sobre os funcionários públicos e trabalhadores em geral.

Inebriados pelo seu egoísmo e estupidez natural, estão convencidos que irão viver melhor à custa dos sacrifícios dos outros. (?!!)
...


De União e Revolta d Trabalhadores e Desemp a 15 de Março de 2012 às 11:02
...

Designam os trabalhadores em geral e do Estado por "gentalha", "cambada", "escumalha", etc., e aplaudem entusiasticamente todas as medidas dos governantes, desde que, é claro, as medidas não os afetem.

Estes energúmenos egoístas são fruto de campanhas fortemente alimentadas pelo capitalismo selvagem, por Passos Coelho e por muitos comentadores dos media, por eles pagos. SÃO OS INIMIGOS DO POVO PORTUGUÊS !

Esquecem-se que foram os funcionários públicos que lhes deram assistência quando nasceram, que lhes deram instrução primária, secundária e universitária, que os socorrem, tratam e operam quando adoecem, que zelam pela segurança deles, que lhes asseguram os direitos legais e judiciais, que constroem e mantêm as infraestruturas públicas que lhes dão conforto, que lhes darão de comer se tiverem fome, que recolhem o lixo que fazem e que os protegerão ou socorrerão em caso de sinistro ou catástrofe, com risco da própria vida.

É por causa de tudo isto que estamos fartos...
É PRECISO GRITAR "BASTA"! Os funcionários públicos são portugueses como os outros e merecem respeito.
São pessoas e cidadãos. Não são escravos de ninguém, nem estão a mais neste país.

Estes governantes estão a tirar a qualidade de vida, a dignidade, a honra e o bom nome dos funcionários públicos. Estão a destruir os serviços públicos e atirar com os seus trabalhadores para o desespero, para a fome e para a pobreza, para a miséria.

Por causa destes governantes, os trabalhadores do Estado até já DEIXARAM DE TER DIREITOS CONSTITUCIONAIS .

AGORA, A CONSTITUIÇÃO PORTUGUESA - A LEI FUNDAMENTAL DO PAÍS - SÓ SE APLICA A ALGUNS ...

O único governante que, antes destes, cortou os salários da Função Pública foi Salazar (ministro das Finanças e depois presidente do conselho/ DITADOR ) e não chegou a tanto !

POVO de PORTUGAL,

VEM PARA A RUA MANIFESTAR A TUA INDIGNAÇÃO E REVOLTA POR ESTA POLÍTICA DA DIREITA neoliberal-populista-financeira QUE ROUBA ÀS CLASSES MÉDIA E POBRE PARA DAR AOS RICOS .

Pela REVOLTA dos TRABALHADORES, desempregados e pensionistas contra os ABUTRES-VAMPIROS e seus sabujos.


De Demita-se Lacaio dos oligarcas e Finança a 15 de Março de 2012 às 12:32
Demita-se, senhor Primeiro-Ministro
(Nicolau Santos, Expresso )

Sr primeiro-ministro, depois das medidas que anunciou sinto uma força a crescer-me nos dedos e uma raiva a nascer-me nos dentes?. Também eu, senhor Primeiro-Ministro. Só me apetece rugir!...

O que o Senhor fez, foi um Roubo! Um Roubo descarado à classe média, no alto da sua impunidade política!
Por isso, um duplo roubo: pelo crime em si e pela indecorosa impunidade de que se revestiu. E, ainda pior: Vossa Excelência matou o País!

Invoca Sua Sumidade, que as medidas são suas, mas o déficite é do Sócrates! Só os tolos caem na esparrela desse argumento.
O déficite já vem do tempo de Cavaco Silva, quando, como bom aluno que foi, nos anos 80, a mando dos donos da Europa, decidiu, a troco de 700 milhões de contos anuais, acabar com as Pescas, a Agricultura e a Industria.
Farisaicamente, Bruxelas pagava então, aos pescadores para não pescarem, e aos agricultores para não cultivarem.
O resultado, foi uma total dependência alimentar, uma decadência industrial e investimentos faraónicos no cimento e no alcatrão. Bens não transaccionáveis, que significaram o êxodo rural para o litoral, corrupção larvar e uma classe de novos muitíssimo-ricos.

Toda esta tragédia, que mergulhou um País numa espiral deficitária, acabou, fragorosamente, com Sócrates.
O déficite é de toda esta gente, que hoje vive gozando as delícias das suas malfeitorias.
E você é o herdeiro e o filho predilecto de todos estes que você, agora, hipocritamente, quer pôr no banco dos réus?

Mas o Senhor também é responsável por esta crise. Tem as suas asas crivadas pelo chumbo da sua própria espingarda.
Porque deitou abaixo o PEC4, de má memória, dando asas aos abutres financeiros para inflacionarem a dívida para valores insuportáveis e porque invocou como motivo para tal chumbo, o carácter excessivo dessas medidas. Prometeu, entretanto, não subir os impostos.
Depois, já no poder, anunciou como excepcional, o corte no subsídio de Natal. Agora, isto!
Ou seja, de mentira em mentira, até a este colossal embuste, que é o Orçamento Geral do Estado.

Diz Vossa Eminência que não tinha outra saída. Ou seja, todas as soluções passam pelo ataque ao Trabalho e pela defesa do Capital Financeiro.
Outro embuste. Já se sabia no que resultaram estas mesmas medidas na Grécia:
no desemprego, na recessão e num déficite ainda maior.

Pois o senhor, incauto e ignorante, não se importou de importar tão assassina cartilha.
Sem Economia, não há Finanças, deveria saber o Senhor.
Com ainda menos Economia (a recessão atingirá valores perto do 5% em 2012), com muito mais falências e com o desemprego a atingir o colossal valor de 20%, onde vai Sua Sabedoria buscar receitas para corrigir o déficite?
Com a banca descapitalizada (para onde foram os biliões do BPN?), como traçará linhas de crédito para as pequenas e médias empresas, responsáveis por 90% do desemprego?

O Senhor burlou-nos e espoliou-nos. Teve a admirável coragem de sacar aos indefesos dos trabalhadores, com a esfarrapada desculpa de não ter outra hipótese.
E há tantas!
Dou-lhe um exemplo: o Metro do Porto. Tem um prejuízo de 3.500 milhões de euros, é todo à superfície e tem uma oferta 400 vezes!!! superior à procura. Tudo alinhavado à medida de uns tantos autarcas, embandeirados por Valentim Loureiro.
Outro exemplo:
as parcerias publico-privadas, grande sugadouro das finanças públicas.
Outro exemplo: Dizem os estudos que, se V.Exa cortasse na mesma percentagem, os rendimentos das 10 maiores fortunas de Portugal, ficaríamos aliviadinhos de todo, desta canga deficitária. Até porque foram elas, as grandes beneficiárias desta orgia grega que nos tramou.

Estaria horas, a desfiar exemplos e Você não gastou um minuto em pensar em deslocar-se a Bruxelas, para dilatar no tempo, as gravosas medidas que anunciou, para Salvar Portugal!

Diz Boaventura de Sousa Santos que o Senhor Primeiro-Ministro é um homem sem experiência, sem ideias e sem substrato académico para tais andanças. Concordo!
Como não sabe, pretende ser um bom aluno dos mandantes da Europa, esperando deles, compreensão e consideração.
Com tudo isto, passou de bom aluno, para lacaio da senhora Merkel e do senhor Sarkhozy, quando precisámos de um Mestre


De .Banco Triodos eco-ético-soc. micro-cred a 14 de Março de 2012 às 13:08
Banco ambientalista em expansão na Europa

(publicado no portal Esquerda.net , via Esquerda-republicana, Rui C.Silva,12.3.2012)


Nos seus folhetos publicitários, o Banco Triodos faz questão em informar os seus potenciais clientes:
"Não estamos cotados em bolsa.
Não especulamos com o vosso dinheiro e
a prática de bónus milionários não faz parte da nossa filosofia.”

O principal setor de atividade deste banco é o crédito a projetos de inovação no domínio ambiental como a agricultura e comércio de produtos biológicos, as energias renováveis, o apoio ao comércio justo, a arquitetura de regeneração urbana (ex:complexo Tour & Taxis, Bruxelas), a construção de edifícios energeticamente sustentáveis e o investimento em empresas inéditas, como a escola de condução económica Key Driving.

Mas, para além do domínio ambiental este banco aposta também em investimentos de cariz
ético-social, como o microcrédito, fundações que combatem a exclusão social, um projeto de distribuição de instrumentos musicais em segunda mão na Palestina e documentários cinematográficos dedicados a causas ambientalistas e sociais.

Este banco holandês classificado como banco ético entrou em atividade em 1980, o que demonstra que a especulação e a ganância não são condições necessárias para se construir um negócio bancário rentável (ver ação nos painéis da Nasdaq em Nova Iorque).

O Triodos ainda não está presente em Portugal. Possui delegações apenas na Holanda, Alemanha, Reino Unido, Bélgica e Espanha.
No entanto, espera-se que o exemplo deste banco contagie outras instituições bancárias, sobretudo quando se constata que já atingiu os 355 mil clientes e que os seus lucros relativos a 2011 são cerca de 51% acima dos lucros de 2010.


De França: inicio do fim do neo-liberaimo ? a 14 de Março de 2012 às 13:01
O regresso da social-democracia europeia ?
(-por Alex.Abreu, Ladrões de B., 14.3.2012)
....
É por isso muito interessante que o candidato presidencial do PSF, que aliás vai liderando as sondagens,
retome agora uma plataforma programática e um discurso claramente social-democratas, incluindo propostas como
a já famosa taxa marginal de imposto de 75% para os rendimentos anuais superiores a um milhão de euros;
a manutenção no sector público de todas as empresas ainda detidas maioritariamente pelo Estado francês;
a diferenciação do imposto sobre o rendimento das empresas consoante a dimensão (35% para as grandes, 30% para as pequenas e médias, 15% para as muito pequenas);
a interdição dos bancos franceses exercerem a sua actividade em paraísos fiscais;
a penalização das empresas “que abusem do recurso ao trabalho precário”;
o enfoque do investimento público na criação de emprego;
entre outros exemplos (acessível aqui, em francês).

Tudo isto enquadrado por um discurso muito diferente do que tem sido habitual nas últimas décadas entre os partidos do centro-esquerda europeu:
logo na segunda página da brochura de Hollande que tenho entre mãos, pode ler-se
“a situação actual tem responsáveis: logo para começar, a finança, que assumiu o controle sobre a economia, sobre a sociedade e mesmo sobre as nossas vidas (…)”.
...


De Izanagi a 14 de Março de 2012 às 19:23
As propostas do candidato francês parecem interessantes, ainda que não inovadoras. E è aqui que a porca torce o rabo. Porque aquilo já foi dito por muito político que logo que ganharam as eleições foram atacados de lapsos enormes de memória, justamente as que abarcavam tais propostas.
Lá, em França, como cá, em Portugal, o problema não é dos políticos, mas sim dos eleitores, que são bipolares: PSD hoje, PS amanhã e o resultado é que está à vista. Seguramente que seria diferente, se essa "dualidade" fosse rompida por um parido outsider.


Comentar post

DESTAQUE DO MÊS
14_04_botão_CUS
MARCADORES

todas as tags

CONTACTO

Email - Blogue LUMINÁRIA

ARQUIVO

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS
blogs SAPO