2 comentários:
De MoKa a 29 de Março de 2012 às 11:48
E se alterar o método de voto? Tipo aquilo que na Alemanha quer fazer com os vencimentos dos trabalhadores que não são oriundos da UE? Quem não é ganha menos que os outros para o mesmo trabalho... (Eu penso que a dona Alemanha queria mesmo era dizer que quem não é «melão» ganha menos, mas não teve, ainda, coragem).
Nós aqui, que somos «tão bons alunos» podiamos pegar na ideia e adaptá-la ao voto nas próximas eleições: Quem não nasceu na zona de residência só tem direito a meio voto... ou outra coisa do género, como se usa capachinho não vota e leva um carolo, ou por idades, sexo, religião, cor da pele, ou tipo de sapato que leva no dia das eleições...
Podíamos voltar a pensar em portugueses de primeira, de segunda e de terceira (os dos Açores)...
Ou outra alemâzice qualquer a que a história recente da europa, por exemplo da Alemanha, nos habituou e que hoje parece querer repetir-se adaptada aos tempos de hoje evidentemente... e que os Homens parecem ter esquecido ou fazerem-se de esquecidos.


De Zé T. a 27 de Março de 2012 às 10:03
Concordo que deverá haver mais União (com ou sem 'partidos'), com princípios de apoio comuns, ...pela defesa das pessoas, cidadãos, contribuintes, ambiente, transparência, racionalidade e uso eficiente de recursos... também podem contar comigo.
Agora por pavoneios, 'saraus' e massas acríticas d'améns ... dispenso.


Comentar post