5 comentários:
De MoKa a 27 de Março de 2012 às 12:00
Quais Lisboetas é que se refere?
É que a Lisboa de hoje tem muito pucos Lisboetas, sabe?
E na sociedade atual, o comportamento é, infelizmente, de desrespeito por aquilo que não é «nosso» ou com o qual não nos identificamos.
Vivemos um época em Lisboa, não é dos Lisboetas, que as pessoas a habitam ou são instruídas mas não têm educação ou nem uma coisa nem outra... Vão ao Rossio ou ao Martim Moniz e comparativamente a Ameixoeira até parece muito bem.
O seu post que parece pertinente quando lido por uma pessoa de idade mais avançada, está contudo desfazado da realidade lisboeta de hoje... O seu post é ingénuo e mostra que está fora da realidade de hoje ou seja você está velho, já não entende que os dias de hoje já não podem ser vistos pelos seus padrões de vida. Pena não é?


De . a 27 de Março de 2012 às 12:34
MoKa

Até admito que esteja a ficar velho (estamos todos) e a ingenuidade nunca fez mal a ninguém (a não ser ao próprio) ... agora ''não entender os dias de hoje'' ?...

Higiene, Limpeza, Civismo, ... são padrões de hoje, são necessidades básicas para viver em sociedade... e há princípios que não devemos abdicar.

Zé T.


De contraditório egocentrismo a 28 de Março de 2012 às 12:22
Agradeço o comentário mas, permita-me que lhe diga que ele é revelador de uma grande contradição; é revelador de um sentimento de pertença, exageradamente, egocentrico - pretende que quem não nesceu lisboeta não defende, do mesmo modo, a cidade. Por outro lado deixa a ideia de que quem não nasceu lisboeta pode consporcar à vontade e nem uma palavra sobre a passividade dos "Mayores" eleitos, supostamente, para a defender


De MoKa a 29 de Março de 2012 às 11:22
Claro que pode entender o comentário assim... como tudo na vida vemos como queremos ver.
Mas o conteúdo que eu pretendia passar não era esse de não poder se sentir Lisboeta quem vive em Lisboa e nasceu noutro lado qualquer.
Veja o caso recente do Tabucci viveu, amou e escreveu sobre Lisboa e tratou-a melhor que muitos lisboetas, mas quando morreu foi um italiano que morreu...
E se tiver alguma filha (ou filho) casado e seu genro até pode ser um excelente genro, mas não é seu filho, pois não? E se acha que a realidade e a aparência é a mesma coisa, espere pelo dia em que a sua filha se divorcie dele... Um abraço!


De MoKa a 29 de Março de 2012 às 11:31
Esquecime de comentar sobre os «Mayores».
Esses políticos propõe-se a ser os «Mayores» de qualquer cidade porque o que eles querem é o cargo de «mayoral» estão-se completamente nas tintas para qual é a cidade porque devem (deveriam) ser responsáveis.
Lembre-se de Santana Lopes, ou de Sintra quer no que lá está que até mora no Lumiar, quer das candidaturas que perderam... E Lisboa, por ser a capital, é muito desejada, na maior parte das vezes não por se ter um projeto para a cidade, mas quase sempre, por ser um tramplim para outros voos políticos...
É que isto de se ser ou não «lisboeta» está como o resto do país: a saque.


Comentar post