De cortes de feriados e banalizações a 25 de Abril de 2012 às 18:18
NO 25 DE ABRIL: o sonho!

Há tempos tive um sonho que me incomodou muito, pese a pouca importância que normalmente dou aos sonhos, a maioria dos quais como acontece com toda a gente, nem me lembro no dia seguinte. Todavia, este ficou até ao meu levantar para o trabalho e não gostei nada!


Sonhei que um governo sem rosto queria suprimir o feriado do 25 de Abril.
As razões apresentadas eram as de sempre:
pouca gente comemorava a efeméride, era uma data histórica mas longínqua no tempo, o país precisava de mais trabalho, enfim, as novas gerações tinham outros eventos mais recentes para comemorar.
Sei que me esforçava todo para contrariar os argumentos apresentados, chegando a arfar e mexer-me violentamente na cama, falando palavras impercetíveis segundo me disseram mais tarde!

É óbvio que este sonho premonitório tem a ver com a nossa atual realidade política, nomeadamente com os cortes de feriados e com a banalização e ritualização da maioria, se não de todas, as comemorações!

As classes e grupos dominantes, para melhor atingirem os seus objetivos, procuram varrer da memória ou recuperar todos os acontecimentos carregados de subversão e rebeldia dos dominados!
Com um discurso aparentemente do bom senso, do lugar- comum, procuram retirar sentido ao que o povo em tempos deu sentido!

Todavia, os próprios adeptos de uma comemoração, neste caso do 25 de Abril, podem contribuir para o esvaziamento dessa mesma comemoração.
Em primeiro lugar pela ritualização do acontecimento. Um ritual que é muitas vezes o centro das comemorações.

A esquerda teima em ritualizar as comemorações do 25 de Abril mas tarda em retomar o processo da liberdade que em vários aspetos está em perigo e em retrocesso!
As condições em que vive hoje o país, devidas aos compromissos internacionais e a uma maioria política de direita quase radical, são de degradação das liberdades e direitos económicos e sociais.
Para a esquerda os direitos económicos e sociais são parte constituinte da liberdade.
Ora estes direitos estão a ser liquidados!

Neste quadro uma verdadeira comemoração de ABRIL é desenvolver um processo que altere a relação de forças, através de um compromisso social e político que permita um outro caminho para o País.
O caminho da dignidade, sem dúvida, mas também do crescimento, do combate á pobreza e ás desigualdades.
Sem este caminho a comemoração de Abril é puro ritual de velhos que comemoram apenas os sonhos passados!
Compete aos partidos políticos avançarem com este processo. Neste regime são os partidos os constituintes de alternativas de poder. Que andam a fazer?
(- por A.Brandão Guedes em Bestrabalho.blogspot.com)

Por isso, muito bem fez a '' Assoc.25 Abril '' (e vários 'históricos') que este ano decidiu boicotar as comemorações oficiais (PR-AR-Gov.) e fazê-lo junto do Povo.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres