8 comentários:
De Renovar a Política e os partidos a 29 de Maio de 2012 às 14:58

Debate público, dia 31, às 21h, no Hotel Sofitel

A Europa depois de 6 de Maio

Os resultados eleitorais do passado dia 6 de Maio em França, Grécia, Alemanha, Itália e Reino Unido representaram uma demonstração dos povos daqueles países de que se opõem aos programas de austeridade em vigor em praticamente toda a União Europeia.

Para analisar as consequências que aqueles resultados podem vir a ter nas políticas económicas dos países da União Europeia e da zona euro,
a Renovação Comunista promove um debate público no dia 31 de Maio, pelas 21H00, no hotel Sofitel (Avendida da Liberdade, 127, metro Avenida).

Serão oradores Paulo Fidalgo (presidente da RC), Duarte Cordeiro (deputado do PS), Ana Drago (deputada do BE), Rui Tavares (deputado europeu) e André Freire (politólogo).

http://www.comunistas.info


De +Verdade+credibilidade eleições PS. a 29 de Maio de 2012 às 15:08

Camaradas,

Partilhamos convosco uma carta aberta enviada ao Secretário-geral e Secretariado Nacional do PS,
com a proposta de três medidas essenciais para reforçar a veracidade, rigor e credibilidade das eleições internas do PS

Tratam-se de medidas administrativas que portanto, não requerem quaisquer alterações de estatutos, mas que se implementadas, melhorarão substancialmente a qualidade da democracia interna do partido.

O conteúdo da carta está em http://bit.ly/eleicoesinternasnops

Convidamos todos os camaradas a lerem esta carta, e se concordem com as medidas propostas, a expressar o seu apoio às mesmas, no formulário no final da carta.

Obrigado

Saudações socialistas,

JoãoNogueiraSantos@gmail.com https://www.facebook.com/joaons
Micael Sousa https://www.facebook.com/micaelsousa
Celso Guedes de Carvalho https://www.facebook.com/celso.guedes.carvalho

Nota:
A carta está aberta ao apoio todos os militantes Socialistas.
Acreditamos que traduz algumas das mudanças que a Esquerda Socialista quer para o PS

Se quiserem deixar comentários sobre as propostas, podem-no fazer através do Facebook aqui (onde também está publicada) ou respondendo por Email


De Partidos + transparentes. a 29 de Maio de 2012 às 15:19
Três medidas essenciais para reforçar veracidade, rigor e credibilidade das eleições internas do PS

Caro Secretário Geral do Partido Socialista,

A história e os valores do Partido Socialista, bem como a importância do partido no nosso sistema democrático, obrigam a que sejamos um partido irrepreensível nos métodos de eleição dos seus representantes.

A recente revisão de Estatutos que se traduzem numa maior democracia interna e credibilidade dos seus actos eleitorais é um passo na direcção certa.
Mas esse passo tem de ser complementado com medidas de controlo que assegurem que as eleições internas são verdadeiras, escrutinadas e portanto representativas da vontade dos militantes do PS.
Nesse sentido, apelamos a que a Direcção do PS implemente as seguintes três medidas:

1.Instituir já para as próximas eleições federativas como regra obrigatória para votar, a apresentação do Bilhete de Identidade/ Cartão de Cidadão (para além obviamente do cartão de militante),
que comprove que quem vai votar, é efectivamente o militante que se apresenta para votar, excluindo todas as outras possibilidades menos rigorosas (e portanto facilitadores da fraude), dessa forma alinhando a prática interna do PS com as práticas das eleições de âmbito nacional.

2.Publicitar no website do PS, o número de militantes inscritos nos cadernos eleitorais, por secção, concelhia e federação.
Sempre que existirem eleições deve, complementarmente, ser publicado o universo eleitoral, ou seja, os números de militantes com quotas pagas, por secção, concelhia e federação, prática usada nas eleições de âmbito nacional.

3.Como referido no ponto 1, sabemos que há muitos milhares de falsos militantes inscritos, algo permitido por estatutos permissivos que agora foram corrigidos.
Nesse sentido, deve o partido planear para num espaço de um ano, iniciar um processo de refiliação de todos os militantes, obrigando à apresentação de documentos de identificação iguais aos que se exigem aos novos militantes.
Não é aceitável que o partido aceite ter na sua base, falsos militantes que sabemos que são usados para deturparem a verdade eleitoral.

No final desse processo de refiliação, devem ser tornados públicos o número de militantes por secção, concelhia e federação de forma a todos conheçam a base de militantes do PS,
devendo o partido passar a publicitar anualmente esses dados com a respectiva informação de variação face ao ano anterior, um elemento fundamental para perceber variações anómalas que possam ser fiscalizadas pelo partido.

A crise em que o país e a Europa caiu foi também causada por uma crise na democracia, a começar pela dos partidos que não a souberam cuidar e aperfeiçoar.
Essa crise tem também de ser tratada, e o PS tem uma oportunidade única de ser um partido líder na transparência e rigor dos seus actos eleitorais internos, um elemento fundamental para o PS e a nossa Democracia recuperarem a confiança dos portugueses.

Defender a veracidade, o rigor e a credibilidade das eleições internas é defender a Democracia, um dos valores máximos do Partido Socialista.

Ficamos a aguardar vossa resposta, na convicção de que merecerá a melhor aceitação.

Saudação Socialistas,


De Pq chegámos aqui ? a 29 de Maio de 2012 às 15:27
...
Da moção que suporta a minha candidatura e caso concordem com as propostas enunciadas, assinem a declaração de aceitação e enviem-na para analuz.pslisboa@gmail.com

Cordiais Saudações Socialistas,
24 Maio 2012 ---------------------

POR UM PS COM VISÃO, RUMO E LIDERANÇA
---- Porque chegámos aqui?
Desde 1995 até 2011, com excepção do período entre 2002 e 2005, todos os Governos Constitucionais de Portugal foram da responsabilidade do Partido Socialista.
A situação dramática que Portugal enfrenta actualmente tem causas externa, mas também tem enormes causas internas.

A crise económica internacional somada às sucessivas más políticas dos governos que lideraram Portugal desde o último pedido de empréstimo ao FMI em 1983, fez com que o país esteja agora novamente na iminência da bancarrota.
O modo como a democracia está implementada em Portugal faz com que ela seja um obstáculo ao desenvolvimento económico.

O Estado é caracterizado por um enraizamento cada vez mais profundo de grupos de interesse e lóbis que defendem os seus interesses particulares contra o interesse geral.
Assim, em vez de se incentivar a criação de riqueza e a sua redistribuição pelos mais carenciados, promove-se a satisfação de clientelas com poder de influência.

Por outro lado, para mostrarem obra, os anteriores governos aumentaram enormemente a despesa pública, sem limites ao endividamento, impondo um pesado ónus às gerações futuras através do mecanismo de parcerias público-privadas (PPP).

Urge que o Partido Socialista assuma sem equívocos a sua grande responsabilidade pelos erros de governação que levaram à situação actual onde é a troika da "ajuda" externa que, em boa parte, está a governar Portugal.

Só assim o Partido Socialista poderá voltar a pedir aos Portugueses confiança para a boa gestão da causa pública, em tudo o que se refere à estrutura, ao funcionamento e ao desempenho das instituições do Estado.

---- Reforma do sistema eleitoral
A democracia não se esgota nas urnas, tem de se consolidar na forma como o governo exerce
o poder.
A legalidade que advém do voto nem sempre legitima a acção de quem governa.

Para a maioria dos portugueses, a reforma do sistema eleitoral é um problema secundário quando comparado com a deterioração dramática da sua situação económica que está a levar a uma grave crise política e social.
No entanto, uma análise mais cuidada mostra que a desorientação e indecisões dos sucessivos
governos medíocres amolgaram seriamente a democracia e conduziram à miséria e desolação
da sociedade portuguesa.

Urge reorganizar o modo de funcionamento da democracia em Portugal.
A sociedade civil não se revê nos partidos nem nos políticos porque eles não nasceram da
sociedade civil, nasceram de cima para baixo.

Actualmente os principais partidos são partidos de cartel, ou seja, precisam do Estado para
sobreviver e distribuir tachos.
...


De MoKa a 28 de Maio de 2012 às 18:50
Será que este processo é mais um que vai parar ao Tribunal de «Oeiras»?
Ou como diria o outro na adaptação de uma célebre frase aos dias de hoje:
«de recurso em recurso até à prescrição totall!»


De MoKa a 28 de Maio de 2012 às 18:46
Com os «mansos» de sempre a pagar há muita mais gentinha a «mamar»...
No ano de 2011 o IFAP atribuiu subsídios no valor de € 9.823.004,34 às empresas e membros das famílias da tauromaquia:
> Ortigão Costa - 1.236.214,63 €
> Lupi - 980.437,77 €
> Passanha - 735.847,05 €
> Palha - 772.579,22 €
> Ribeiro Telles - 472.777,55 €
> Câmara - 915.637,78 €
> Veiga Teixeira - 635.390,94 €
> Freixo - 568.929,14 €
> Cunhal Patrício - 172.798,71 €
> Brito Paes - 441.838,32 €
> Pinheiro Caldeira - 125.467,45 €
> Dias Coutinho - 389.712,42 €
> Cortes de Moura - 313.676,87 €
> Rego Botelho - 420.673,80 €
> Cardoso Charrua - 80.759,12 €
> Romão Moura - 248.378,56 €
> Brito Vinhas - 53.686,78 €
> Romão Tenório - 283.173,89 €
> Sousa Cabral - 318.257,79 €
> Varela Crujo - 188.957,35 €
> Assunção Coimbra - 330.789,44 €
> Murteira - 137.019,76 €
Estamos ou não a ser toureados? Huuuuum!!!!!!!!!!!


De Arena Portuguesa a 29 de Maio de 2012 às 08:57
é ... .Arena... de medrosos e de gangsters.

Justiça de Fafe, de RioMaior ou CampoPequeno
- qual a alternativa para cavaleiros, peões, touros, mansos e chocas ??

Poeira, Capas e Bandarilhas já chega...

é tempo de fazer como os forcados e os pegar pelos cornos ...
mas a generalidade dos cidadãos, juízes e 'deputados'/políticos da treta têm medo de se ferir ...


De Tempo de fazer Limpeza a 28 de Maio de 2012 às 16:37
CÓCÓS, POIOS, BOSTA, CAGALHÕES, ... EXCREMENTOS - tudo isso .... para esses INDIGNOS representantes do Povo e SABUJOS lacaios ou MARIONETES dos Financeiros d'aquém e d'além mar.


Comentar post