De 'Ajustam.' prá desgraça e exploração. a 19 de Junho de 2012 às 12:37
O ajustamento vai no bom caminho


«O "Correio da Manhã" escreve que o número de trabalhadores em Portugal que recebe o salário mínimo nacional duplicou em quatro anos.
Atualmente há mais de meio milhão - 605 mil pessoas - que ganham a retribuição mínima legal, número que tem crescido a par da crise que se abate sobre o País.

Segundo as estatísticas mais recentes da Segurança Social, no final de abril do ano passado, um em cada onze trabalhadores recebia 485 euros por mês: 10,9% da população ativa.
Este valor é isento de IRS mas sujeito a um desconto de 11% para a Segurança Social, logo corresponde a um ordenado líquido de 431,65 euros. »
[DN]
Para os Gasparoikas a miséria social é uma condição do sucesso económico.
«Proteste-se.»


De Nova Exploração Laboral e PR inconstituc a 19 de Junho de 2012 às 12:45
Cavaco e a legislação laboral


Cavaco justificou a promulgação da legislação laboral de uma forma que se diria peregrina, este por detrás das pressões aos sindicatos mas não assume nem a concordância nem a paternidade, refugia-se na maioria que a aprovou, na aplicação do memorando e na sugestão de que é para manter até que lhe digam o contrário.

Mas o ridículo surge na apreciação da constitucionalidade, Cavaco diz que não há indício de crime como se fosse um magistrado do sindicato patrocinado pela banca em busca da violação de um preceito do Código Penal. Nem há indícipo de crime nem veto político pois o presidente nem concorda, nem discorda.

A questão que se coloca é saber porque razão noutras situações, como a dos cortes dos subsídios, perante a evidência da violação da Constituição Cavaco Silva não aborda a questão da constitucionalidade, nem se dá ao trabalho de verificar se houve indícios.

Seria bom que o país tivesse na Presidência alguém com o sentido da coerência e que os sucessivos pareceres não possam ser questionados numa perspectiva de honestidade intelectual.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres