De Mujica e Uruguai: exemplos. a 19 de Novembro de 2015 às 16:38

7/11/2015

Uruguai: um exemplo no meio do caos...

Com o dobro da superfície de Portugal e apenas 3,5 milhões de habitantes, o Uruguai é um país surpreendente a vários níveis.

O Uruguai é considerado o país mais laico (desde 1917) da América Latina, foi pioneiro ao permitir o divorcio por iniciativa da mulher em 1913 e no voto feminino em 1927, legalizou o aborto em 2012 e legalizou o cannabis em 2013.

O seu antigo e carismático presidente, José Mujica, conhecido popularmente como Pepe Mujica, explica alguns dos seus pontos de vista em relação ao seu país, numa entrevista.

Legalização do cannabis.

Como avalia a implementação da lei da maconha (cannabis) no Uruguai?

Nós não gostamos de maconha nem de nenhum vício. Mas pior que a maconha é o narcotráfico. Cada vez se trafica mais, se gasta mais dinheiro em polícia, em colocar pessoas nas prisões.

Nós queremos encontrar outro caminho. Se você quiser mudar, não pode continuar a fazer a mesma coisa, tem de encontrar outra maneira.

A legalização parcial permite-nos identificar os consumidores e assim aconselhá-los e tratá-los.

(No dia 10 de Dezembro de 2013, o Uruguai tornou-se o primeiro país a legalizar o cultivo, a venda e o consumo de cannabis)

Legalização do aborto.

Também considera positivo o saldo da legalização do aborto?

Ninguém está a favor do aborto, mas por muitas razões as mulheres, sozinhas ou com problemas, continuam a realizá-lo. Se as deixarmos sozinhas, isoladas, é uma cobardia, uma irresponsabilidade. Sobretudo se é for pobre.

Quando deixamos o assunto do aborto no mundo clandestino, a única coisa que estamos a fazer é colocar em maior risco as mulheres.

(Em dezembro de 2012, a Lei de Interrupção de Gravidez foi aprovada com o apoio do presidente Mujica. O Uruguai é o quarto país que autoriza o aborto na América Latina, de pois de Cuba, Guiana e Porto Rico)

O que funcionou e o que não funcionou nesses dez anos de Frente Ampla?

Tínhamos 39% de pobreza há dez anos, e agora temos 11%. Tínhamos 5% de indigência, agora temos 0.5%. Fizemos um avanço considerável nesse ponto, mas não foi o suficiente para eliminar a pobreza e a indigência. Do ponto de vista energéticos, o Uruguai terá, em dez ou talvéz 15 anos solucionado o problema de energia electrica.

(Em 2016, o Uruguai será o país do mundo com maior oferta eólica do mundo)

O que explica a longevidade de projetos políticos como a Frente Ampla?

Significa que as maiorias estão comendo melhor e dormindo melhor. Por isso votam nelas. É uma resposta lógica. Mudará no dia em que, nós as forças progressistas, voltáramos as costas à nossa razão de ser, de lutar por sociedades mais equilibradas, mo dia em que fracassar-mos, a história vai mudar, e as pessoas vão votar noutra coisa.

(A Frente Ampla é composta por uma coligação eleitoral de centro-esquerda que integra vários partidos políticos e organizações da sociedade civil)

O que acha do sr. ter uma vida humilde ter ganho tanta projeção internacional?

Isso entristece. Eu vivo como vivo a maioria do povo do Uruguai. Luto pela liberdade, Isso significa ter tempo. Ter tempo para as coisas que gosto. Se tiverem uma vida muito complicada, muitas casas, muitos empregados, muitos carros, muita segurança, então estou vivendo gastando tempo para aceder a todas essas coisas. Eu quero uma vida sóbria, não pobre, apenas para viver com o impressendível e necessário para que me sobre tempo para fazer as coisas que gosto.

Reeleição? Não gosto e sempre me opus. Não pelo presidente, mas sim pela corte a seu redor. Não sou reeleicionista porque os presidentes emanam uma atmosfera de poder. E debaixo dessa atmosfera cultiva-se um afã de poder. É bom varrer, passar a vassoura e colocar outros no poder.

(Sábias palavras...)



(Publicada por Octopus )






Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres