1 comentário:
De .União e indignação global/ Europeus. a 15 de Outubro de 2012 às 11:22
Protesto contra a troika

Manifestantes em Lisboa asseguram que "acordaram"
[Ana Miereles, Lusa, 14-10-2012]

Manifestantes que permaneceram até ao final do protesto convocado para sábado para a Praça de Espanha, em Lisboa, asseguram que, embora nunca tenham estado "a dormir", "acordaram" para "dizer não à 'troika'".

A manifestação cultural "Cultura é Resistência", associada ao apelo "Que se lixe a troika! Queremos as nossas vidas!", que ao final da noite ainda reunia largos milhares na Praça de Espanha, terminou perto das 01:00 de hoje com o canção-poema "Acordai", de Fernando Lopes Graça, interpretada por um coro em seis línguas.

A canção foi entoada em grego (enquanto uma bandeira da Grécia esvoaçava entre a assistência), espanhol, italiano, alemão, inglês e francês, e posteriormente cantada em português.

Antes, os Deolinda apelaram às pessoas para estarem "presentes, ativos e vigilantes" e "deixarem de inventar desculpas".

O público acompanhou a banda nas três músicas que tocou e aplaudiu quando a vocalista Ana bacalhau mudou o tema "Amanhã não vou trabalhar" para "Amanhã não vou 'troikar'".

Uma manifestante que não se quis identificar disse à Lusa que depois de ter estado presente na manifestação convocada pela central sindical CGTP em frente à Assembleia da República, também para esta tarde, decidiu ir até à Praça de Espanha porque "é tempo de as pessoas se manifestarem de forma visível".

"Felizmente com emprego", a manifestante realçou que "esta crise é complicada" para "a geração mais velha e também para a geração mais nova".

Os músicos que participaram ao longo do dia nos vários concertos juntaram-se em palco, no final, ao som de "Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades", de José Mário Branco, e de "Grândola, Vila Morena", de zeca Afonso.

"Os artistas estão ao lado do povo", asseguraram.

Em declarações à lusa, o músico Carlos Mendes, um dos promotores desta iniciativa cultural e política, disse estar "profundamente emocionado e motivado par fazer mais coisas".

O músico reconheceu que a adesão ao protesto "ultrapassou a expectativa" e afirmou que não há divergência entre "a velha guarda e a nova guarda", pois ambas têm "uma luta única: 'troika' para a rua e Orçamento do Estado chumbado".

Os manifestantes começaram pelas 01:00 de hoje a desmobilizar pacificamente.

Fonte do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP informou, cerca das 01:30, não haver registo de incidentes nas manifestações convocadas para sábado em protesto contra as medidas de austeridade.

Noutras cidades do país, como Viseu, Faro, Coimbra, Porto ou Viana do Castelo, realizaram-se outras manifestações de protesto, divulgadas nas redes sociais e, em alguns casos, com atuações de artistas incluídas na programação.


Comentar post