5 comentários:
De olhe que não, olhe que não... a 16 de Outubro de 2012 às 18:08
"A culpa não é nossa é deles, eles que resolvam".
Tá mal, tá mesmo mal... está enganado!
O que importa é o:
"Quem se endividou não fomos nós, foram eles. Eles que paguem".
Percebe a diferença?
A "culpa" é moral... A "dívida" é dinheiro.
Portanto que se lixe a culpa, o que interessa ao povo é o dinheiro!
e quem o "gastou" a mais, não o devia ter feito pois o povo não os mandatou para desgovernar o país, portanto que o pague ou seja pessoalmente responsabilizado por isso.
Desde quando é que é aceitável que se vocemecê desbaratar o dinheirinho ou gastar acima das suas posses e se endividar é que "nós" temos a ver com isso?
Parece-me aqui haver uma tentativa de desresponsabilização civil e criminal dos políticos pelo mau exercício dos dinheiros públicos... É por isso que se usa o poder de forma tão desastrosa para não dizer assassina.


De Ladainha e falta de coragem a 16 de Outubro de 2012 às 20:02
Qual será a diferença entre desculpabilização e responsabilização. dito de outro modo, qual é a diferença entres auto-governação e gestão de negocio?
Qual é a diferença entre gestão própria e gestão através de terceiros?
Qual é a diferença entre o exercício da democracia directa e democracia representativa?
A responsabilidade é do representante ou do representado?
Porque o povo não pede contas a quem exorbitou do mandato e os coloca na cadeia?
Concluindo: a responsabilidade quer se queira quer não é do povo e não duvidem é o povo que, de uma maneira ou de outra, com juros usurários ou juros justos, tem de pagar. tudo o resto são tretas e por mais que se grite como andamos a fazer há cerca de 30 anos "Os ricos que paguem a crise" nunca serão eles a paga-la


Comentar post