De Eleições e Activistas Políticos a 19 de Novembro de 2012 às 09:56
Próximas eleições Autárquicas ( e nacionais), - o que fazer, como, com quem, meios, ... ?:

Temos um sistema eleitoral que:
- privilegia os parttidos relativamente às listas independentes e candidaturas individuais, ...
- não valoriza votos nulos, nem brancos, nem ausências/ abstenções ...
- e que não é previsível mudar facilmente (a não ser por via de uma revolução, tipo Islândia era interessante).

. Assim que vias temos de participar politicamente para mudar/ influenciar eficazmente?

0- a 'não via', ficar quieto e continuar a levar pancada /ser esmagado... enquanto se espera por D.Sebastião ou um milagre, não é opção racional ... e, mesmo quem tem uma boa 'almofada' mais tarde ou cedo acaba e terá de fazer alguma coisa.

1- a via revolucionária:
há voluntários (com grandes hipóteses de ser preso ou morto), tipo Buiça do início do séc.xx, ? há células da Carbonária ou da LUAR ? ... o mais parecido com essas células, actualmente em Portugal, são amibas ... do sofã com tv jogos net.

2- a via de novo partido/movimento/lista próprio:
já há muitos, obtêm um resultado eleitoral miserável e sai caro aos bolsos dos mais activos ... vários ainda estão a pagar os empréstimos / dívidas das últimas aventuras.

3- via mudança interna:
manter/juntar-se a algum partido/força existente, ceder alguns valores/princípios/ objectivos/métodos, tentar obter o apoio de alguns semelhantes (iguais é impossível), fazer pontes, exigir e mudar algumas coisinhas... (é uma via lenta, dos mínimos, do valorizar os denominadores comuns e adiar para melhor oportunidade os objectivos/ideais próprios, até ter força ou apoiantes suficientes...).

Qualquer opção tem custos ... mas há que fazer escolhas.

Dia 15 fui a um 'debate' com 2 jovens deputados do PS e um, economista, surpreendeu-me, tipo:

«...o PS, nós social-democratas... temos culpa, deixamo-nos capturar pelo neo-liberalismo, pelo Blair, pelo socialismo moderno, ... nós subscrevemos o memorando (não esta versão ultra) mas devemos assumir que erramos e que não o queremos mais... quando se erra deve mudar-se de rumo ...»

«... alguns (mesmo dentro do PS) chamam-nos radicais mas eu, nós, consideramo-nos conservadores ...sim, conservadores e defensores dos princípios da social-democracia ... »

«... mas temos muito que combater (mesmo dentro do PS), combater as ideias, combater os discursos, as acusações, ... e combater os camaradas que se deixaram capturar por chavões e ideias neo-liberais... sim, porque o neo-liberalismo nas últimas décadas entrou em todos os sectores e as universidades formataram as cabeças de muitos ... »
...
- ...
Zé T.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres