De Dívida ilegit:eAlternativas: ReConstruir a 18 de Dezembro de 2012 às 12:28
À Esquerda Duas Teses Diferentes sobre o que é a Dívida Pública

(16/12/2012 por Raquel Varela

(Re)Construir Portugal: As alternativas à dívida pública.
Artigo completo aqui ( http://boasnoticias.pt/noticias_(Re)Construir-Portugal-As-alternativas-%C3%A0-d%C3%ADvida-p%C3%BAblica_13849.html )

Para José Castro Caldas, economista e membro da comissão da Iniciativa por Uma Auditoria Cidadã à Dívida Pública (IAC), Portugal deve olhar para a história recente da Argentina para evitar a repetição dos erros cometidos.
”É importante que as pessoas saibam qual é a origem da dívida pública para saber que parte da dívida deve ser paga e perceber que não estão condenadas a sacrificar tudo o que é importante na vida para servir uma dívida cuja legitimidade não é clara”, explica o economista ao Boas Notícias.

A historiadora Raquel Varela, coordenadora da obra “Quem paga o Estado Social em Portugal” (Bertrand), vai mais longe afirmando que toda esta dívida é ilegítima.
“O dinheiro da Troika não serve para pagar ordenados como afirma o Governo, serve para pagar rendas privadas,
os próprios juros da dívida pública,
Parcerias Público Privadas,
subsídios às empresas (nomeadamente através das reformas antecipadas),
transferência de fundos de pensões descapitalizados da banca e da PT para a Segurança Social (SS) – que apesar de abaterem o défice prejudicam a sustentabilidade da própria SS -,
ou a aplicação do Fundo da SS em aplicações financeiras de alto risco”
que resultaram em enormes prejuízos, garante.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres