3 comentários:
De .Assalto Fiscal aos pequenos. a 15 de Fevereiro de 2013 às 11:45
Bufaria fiscal, não, obrigado

(-por Sérgio Lavos, Arrastão 13/2/2013)

"Quem não exigir fatura arrisca multa do Fisco."

O fascismo financeiro quer fazer de nós bufos fiscais.
Não pedir factura significa recusar um sistema que se dedica a ESPOLIAR os contribuintes para continuar a alimentar os bancos, a corrupção e os interesses que VAMPIRIZAM o Estado.

A única resposta possível é a desobediência civil.

NÃO pedir factura não é uma escolha; é um imperativo moral e de cidadania.

tags: crime organizado
-----------------------------------

-E porque é que os talões/'recibos simples' de compra, com nome e nºcontribuinte do vendedor, não servem de recibo (oficial) ? !!

-Porquê complicar/ burocratizar tanto ?!
-----------

-E porque é que só gastos elevadíssimos, em apenas alguns produtos, poderão ser considerados para Abatimento de 2 ou 3centos de Euros à Colecta Fiscal ? !!

-E porque é que as empresas (IRC) podem fazaer abatimentos de tudo ... mesmo de compras de bens e serviços pessoais e domésticos... enquanto os trabalhadores por conta de outrem (IRS) não podem fazer o mesmo ?!!
----------

Em pequenas compras Vou continuar a não me importar com Recibos para Finanças !!


De .Pagar a Factura do ASSÉDIO Fascista a 15 de Fevereiro de 2013 às 12:30
A Factura ( a sua )

(-por Sérgio Lavos, Arrastão 15/2/2013)
Um dia haveria de citar na íntegra um post do Insurgente. Hoje é o dia. O texto de Ricardo Lima vale mesmo a pena, subscrevo-o sem reservas:

"Estou certo de que, neste momento, você já se indignou com os “fiscais da factura”.
Já arremessou o comando ao televisor, já se juntou ao tal grupo do facebook que pede a demissão da classe política e, num acto de rebeldia nata, já fez estremecer o café berrando indecências contra a progenitora do Ministro.
Mas você, caro Leitor, é uma besta. E eu vou-me abster de lhe pedir para que não se ofenda. Eu quero que se sinta ofendido.
Porque você, caro Leitor, é um idiota chapado.

Onde estava o meu amigo quando, fim de semana atrás de fim de semana, os mesmos agentes que nunca o impediram de ser roubado, cercaram as zonas de diversão nocturna incomodando quem quer que se faça passear numa viatura ? Provavelmente até concorda.
Provavelmente até aplaude as vistorias aos popós, que se vêm tornando frequentes e escreve belas monografias enaltecendo a segurança, como se cada condutor fosse um perigoso terrorista à espera de rebentar.
Provavelmente você viu aquele bar ser encerrado porque um artista se lembrou de acender um cigarro e aquela loja de conveniência fechar pelo simples facto de estar rodeada de bares e não ousou abrir a boca.

Sim, você que ejacula com as ASAEs e o seu fascismo gastronómico, para depois ir ao tasco da esquina queixando-se – e com razão – que as bifanas já não têm o sabor de antigamente.
Você que quer limpar os bolos das escolas e arredores e meter as crianças a comer verduras no almoço e bananas no café da manhã.
Você que branqueia os espancamentos nas esquadras e as rusgas nos subúrbios, que defende sem se questionar os gorilas de farda azul,
legitimando que quem mora num bairro social – ahh, esse antro de bandidos e marginais – seja sujeito ao mesmo procedimento que um check-in de aeroporto.
E por falar em aeroporto, já se sente mais seguro com por saber que o tipo que se senta ao seu lado só tem uma garrafinha de água ?

Você que pretende inspeccionar quem fuma com os filhos no carro ou com a empregada doméstica em casa.
Você que acha que esses ladrões desses empresários devem ser constantemente incomodados para não fugirem às suas obrigações,
que quer o Estado a inspeccionar as contas bancárias dos banqueiros e dos políticos, que festeja com as escutas da PJ ao Presidente do clube adversário.
Você que que vibra com as rusgas aos feirantes, com o encerramento das Smartshops,
que consentiu o ASSÉDIO à restauração até entrarem no seu café,
que consentiu o assédio aos agricultores até entrarem no seu quintal,
que aplaudiu o assédio ao comércio até chegar ao supermercado e perceber que o produto que queria comprar tinha sido apreendido.

Hoje, observando o culminar da tirania que tem defendido, sente-se incomodado.
Chega mesmo a sentir que o Estado se está a intrometer na sua vida.
Chega ao ponto de, na sua inocência, citar chavões dos tais extremistas, dos mesmo anarquistas que tem vindo a insultar no café, no facebook e nas caixas de comentários dos blogues que lê.

Mas você perdeu a guerra no dia em que deixou o Estado entrar na casa do seu vizinho.
Abriu o precedente - a caixa de pandora – para que ele um dia entrasse na sua.
E esse dia chegou.

Agora sente-se, relaxe, beba um copinho de maduro tinto, acenda um cigarro e desfrute.
Porque mais tarde ou mais cedo o Estado também o privará desses pequenos prazeres com tons de pecados.
Por razões de saúde, por razões de segurança, por razões que o próprio imbecíl que fizer essa lei desconhecerá.
Mesmo que isso implique entrar em sua casa,
mesmo que isso implique a sua detenção por resistir à autoridade suprema dos fascistas que o governam.

Como se diz em bom português, você fez merda, caro Leitor.
Agora aguente-se à bronca.
Aqui tem a factura do que pediu."


De .Video-vigilância e 'Anonymous'. a 15 de Fevereiro de 2013 às 16:31
TrapWire:
o sistema de vigilância melhor que o reconhecimento facial na mira dos Anonymous
13/08/2012
(-por: http://www.tugaleaks.com/trapwire-anonymous.html )

-Como desactivar o reconhecimento facial do Facebook
-Sistema Operativo Anonymous já disponível para download
-Anonymous respondem à notícia da SIC sobre a sua ideologia
-Documento do FBI: perfil psicológico da liderança dos Anonymous
-Ataque ao The Pirate Bay reivindicado por ex-membro dos Anonymous


Comentar post