2 comentários:
De O que faz falta a 22 de Fevereiro de 2013 às 19:24
A única alternativa é a revolta popular e correr com toda a corja politiqueira actual, refundar os partidos desde a base até às cúpulas tudo o mais que se diga e que se faça não passa de meras tretas de entretenimentos e falacias.
Encobrem-se uns aos outros, partilham podres e as benesses deles resultantes. não servem a rés-publica , mamam na teta do Orçamento.
O FMI e a banca comercial servem-se de uns e de outros para beneficiar sempre os do costume, aqui na Europa como sucedeu na america latina ou em África A receita e as doses são sempre iguais.


De «privatize-se a puta que os pariu» a 22 de Fevereiro de 2013 às 14:32
Privatize-se Manchu Picchu, privatize-se Chan Chan, privatize-se a Capela Sistina, privatize-se o Partenon, privatize-se o Nuno Gonçalves, privatize-se a catedral de Chartres, privatize-se o 'Descimento da Cruz' de António da Crestalcore, privatize-se o Pórtico da Glória de Santiago de Compostela, privatize-se a cordilheira dos Andes, privatize-se tudo, privatize-se o mar e o céu, privatize-se a água e o ar, privatize-se a justiça e a lei, privatize-se a nuvem que passa, privatize-se o sonho, sobretudo se for diurno e de olhos abertos. E finalmente, para florão e remate de tanto privatizar, privatizem-se os Estados, entregue-se por uma vez a exploração deles a empresas privadas, mediante concurso internacional. Aí se encontra a salvação do mundo... e, já agora, privatize-se também a puta que os pariu a todos".

José Saramago - Cadernos de Lanzarote, Diário III, p. 148


Comentar post