UMA SOCIEDADE CANINA?

Vemos, ouvimos e lemos … que a demografia dos hominídeos anda pelas ruas da amargura e que por este andamento daqui por meia dúzia de décadas só existirão viventes de terceira e quarta idade a residir este cantinho à beira do atlântico plantado.

Constatam as estatísticas e os nossos olhos confirmam que, tirando as crias produzidas pelos jovens casais oriundos de África ou dos ex-países de leste que ainda vão dando à luz nas maternidades, acrescentando o registo civil e movimento às escolas primárias, tudo o mais, parece que, virou mundo cão.

Não se espantem, eu explico:

Quando há cerca de trita e cinco anos casei e fui habitar o apartamento onde ainda hoje vivo contavam-se, no prédio, umas duas dúzias de crianças e um ou dois canídeos. Nestes dias da graça do senhor, da crise e de uma democracia apodrecida conto, no mesmo prédio, a existência de duas crianças e mais de duas dezenas de cães.

Considerando que há já muito tempo os nossos (des)governantes nos andam a morder as canelas dos nossos rendimentos (dos que ainda vamos tendo a sorte de o manter);

Tendo em conta o que se vê nos jardins, cada vez menos casais a passear crianças  e, em vez disso, a passear cachorrinhos.

Não tardará que seja um número reduzido de cães a eleger os ditos que nos desgovernam. Afinal de contas eles andam mesmo por aí!

Onde é que eu já ouvi isto?



Publicado por Zé Pessoa às 13:31 de 01.04.13 | link do post | comentar |

2 comentários:
De .Demografia e cidadania. a 2 de Abril de 2013 às 10:35
Bom texto.

Em duplo sentido : já somos minoritários em alguns dominios e noutros somos diminuídos e mordidos ... por "aqueles CÃES" !!

Mas há um outro factor que falta acrescentar :
quando um espaço/domínio é abandonado/enfraquecido, pela lei das compensações,
este será OCUPADO por outros "seres vivos" ...
e há populações em expansão crescimento local e em migração :
comunidades e famílias de muçulmanos, de chineses, de africanos, de pobres/pedintes, ... e de criminosos.
Ex:
em Marselha e Paris já se fecham ruas para fieis rezarem virados para Meca;
... na linha de Sintra a categoria dominante já passou a ser a de pobres e pardos/escuros ...

Agora imagine o que será a sua comunidade daqui a alguns anos ...
e o que acha que andam a fazer os nossos governantes e mídia/comentadores relativamente à DEMOGRAFIA e à (ainda) sua sociedade e país.


De .Demografia, Trabalho, Subsídio,... Lei. a 4 de Abril de 2013 às 11:11

o ministro da queca

«Hoje uma mulher que pretenda ser mãe, mais do que a disponibilidade financeira, reclama por disponibilidade para uma maior dedicação.
Se tempo tivesse para os acompanhar teria mais filhos»; «Queremos usar verbas europeias para suportar a empregabilidade parcial»; «Uma mãe ou um pai pode vir mais cedo para casa, pode eventualmente vir a trabalhar apenas meio-dia que o Estado suporta o restante».

Palavras de Pedro Mota Soares, o Ministro da Sexualidade/Solidariedade e Segurança Social, preocupado com a quebra da natalidade em Portugal.

Um autêntico benemérito, este ministro do governo mais liberal que Portugal já teve, criador de incentivos à procriação, com oferta de emprego a tempo reduzido, salário cheio e tempo de sobra para o lazer, durante o qual tanto se pode tratar dos filhos como de cuidar de fazer mais alguns.
Se conseguir executar este plano deixará obra de vulto. Deverá, pois então, passar à História com o epíteto do «Ministro da Queca».

Adenda:
Apesar do adiantado da hora a que foi escrito e editado, este post já suscitou alguma agitação nas redes sociais, acusando-se o autor de ter redigido um texto «ridículo», na versão mais branda, e «idiota», numa abordagem menos light.
Reconheço as críticas, aceito a censura e,
apesar de não ser ainda subsidiado (o que espero vir a conseguir), assumo a paternidade da coisa.
Tentando emendar a mão e contribuir, de forma positiva, para este tema,

sugiro ao Senhor Ministro que especifique, no diploma LEGISLATIVO que venha a consagrar esta sábia reforma, se o direito ao subsídio é anterior ou posterior à procriação.

E que, se possível, evite entregar a redacção da lei ao Dr. Paulo Rangel,
de modo a não termos que andar a discutir, nos próximos anos, se se trata de um subsídio «de» procriação ou «da» procriação.

(-por rui a. , Blasfémias, 3/4/2013)


Comentar post

DESTAQUE DO MÊS
14_04_botão_CUS
MARCADORES

todas as tags

CONTACTO

Email - Blogue LUMINÁRIA

ARQUIVO

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS
blogs SAPO