De .Aberrações Públicas- Divulgar e Acabar a 5 de Abril de 2013 às 17:45
: REFORMA DOS ORGÃOS DE SOBERANIA

Para que os responsáveis políticos ponderem, não só em relação à reforma de funcionamento de alguns orgões de soberania,
nomeadamente,
quanto às remunerações que auferem no desempenho dos cargos políticos e públicos,
ao excessivo número de deputados e de assessores dos ministros, secretários de Estado e da Presidência da República.

Também a reforma da Justiça é um imperativo nacional, uma vez que a que temos é excessivamente lenta e não criminaliza os políticos e os chamados crimes de "colarinho branco".

---------------------------------
Deputados ingleses... Pelos vistos, a palavra xulo não existe por estas bandas.... DEPUTADOS NO REINO UNIDO...!

Não é de estranhar, mas é interessante saber... como tudo é diferente...

Os deputados do Reino Unido, na "Mãe dos Parlamentos",

1 . não têm lugar certo onde sentar-se, na Câmara dos Comuns;

2 . não têm escritórios, nem secretários, nem automóveis;

3 . não têm residência (pagam pela sua casa em Londres ou nas províncias) -
Detalhe: e pagam, por todas as suas despesas, normalmente, como todo e qualquer trabalhador! -;

4 . não têm passagens de avião gratuitas, salvo quando ao serviço do próprio Parlamento;

5. E o seu salário equipara-se ao de um Chefe de Secção de qualquer repartição pública!

Em suma, são SERVIDORES DO POVO e não PARASITAS do mesmo.

----------------------------

A propósito, sabiam que, em Portugal, os funcionários não deputados que trabalham na Assembleia têm um subsídio equivalente a 80 % do seu vencimento?

Isto é, se cá fora um técnico ganhasse 1000,00 €, lá dentro ganharia 1800,00 €.
Porquê? Profissão de desgaste rápido???

E por que é que os jornais não falam disto?

-----------------

E porque é que um trabalhador nos Serviços de Registos/notariado, ou nas Finanças, ou ... recebe «emolumentos» (tipo participação nas Receitas cobradas aos clientes/cidadãos) que às vezes equivalem a um outro vencimento ?! ... enquanto os trabalhadores das carreiras gerais nada mais recebem (em funções e categorias semelhantes). ?!

E porque é que existem tantas carreiras especiais ?!,
tantas remunerações e regras diferentes ?!,
tanta confusão e falta de transparência na 'organização' e procedimentos dos serviços públicos ?!

Não será a «velha política» de « dividir para reinar» e de « quem parte e reparte e não fica com a melhor parte, ou é tolo ou não sabe da arte (...)»


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres