1 comentário:
De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 10 de Junho de 2013 às 15:08
1) É natural que quando se tira do «saco», para dar a quem nunca lá pôs nenhum..., que o «saco» esvazie mais depressa.
- É o que tem acontecido desde a «nacionalização» das chamadas «Caixas de Previdência», em que os Governos, desataram a «dar» reformas a quem nunca tinha descontado... Não estaria mal se esse dinheiro fosse reposto pelo O. E., mas não foi;
2) É natural que quando se tira do «saco», para dar a quem não fez o tempo e os descontos necessários..., que o «saco» esvazie mais depressa.
- É o que tem acontecido desde que os Governos desataram a «sacar», mediante legislação feita especificamente para o isso, reformas e pensões antecipadas: chamem-se elas subsídios vitalícios ou outras artimanhas que tais;
3) É natural que quando se tira do «saco», para dar a quem não fez o tempo e os descontos necessários..., que o «saco» esvazie mais depressa.
- É o que tem acontecido desde que muitos dos que agora foram integrados no sistema da CNP, mas que os descontos que então tinham feito para lhes assegurar as reformas, foram aplicados para baixar o deficit público, em vez de entrarem no «saco»...
4) e 5) e 6) Muitos exemplos mais se poderiam aqui explicitar, mas não vale a pena porque «todos» sabem do «saque» que tem sido feito ao dinheiro que alguns portugueses viram descontados nos sues vencimentos e alguns patrões foram obrigados a pagar por cada empregado que tinham na empresa e, que lhes fora garantido que seria para lhes garantir, a eles, sim a eles - os que descontaram, as suas reformas num futuro próximo: o do limite de idade.
E mesmo assim já havia as chamadas profissões de desgaste rápido (habitualmente muito bem pagas durante o seu exercício) e com benesses de escalão reduzidos enquanto exerciam e se «desgastavam» na sua profissão. Querem exemplos? Pois então lá vai um: os futebolistas...
Querem mais? Digam que eu digo. Um abraço seus «mansos»!


Comentar post