O corte das reformas explicado aos tansos

Os cortes são, portanto, para todos os reformados do Estado. Todos? Isso, todos. Mas mesmo todos, todinhos? Todinhos, com exceção de juízes, magistrados do Ministério Público, militares e diplomatas, claro. Claro porquê? Claro porque as reformas desses estão indexadas ao salário dos trabalhadores no ativo. E isso quer dizer o quê? O que está lá escrito, preto no branco: as reformas desses estão indexadas ao salário dos trabalhadores no ativo. As palavras já ouvi, mas que querem dizer? Eu traduzo: Muzyk yn de brede sin fan it wurd. OK, OK, mas porquê beneficiar exatamente militares? Porque são das Forças Armadas. E...?! Parecem-me duas boas razões. Que duas? O forças e o armadas. E os juízes e os magistrados, também são forças armadas? Não, esses é por estarem vivos. Mas todos os funcionários que recebem reforma estão vivos, ou não? Sim, respiram, estrebucham, mas não há razões para os privilegiarmos por isso. E então os juízes e os magistrados que vida especial têm? Uma vida que faz prova de vida, a prova de vida deles. Prova de vida deles?! É, há sempre um Tribunal Constitucional que declara isto inconstitucional aqui, um Ministério Público que abre inquérito acolá, eles estão vivos e estão sempre a dizê-lo. Então? Então, nós reconhecemo-los. Reconhecem como? Com pensões especiais para que não estejam tão vivos. Última pergunta, e os diplomatas? Esses é mais por uma questão estética, ficam sempre bem num grupo.

DN



Publicado por Izanagi às 18:59 de 08.08.13 | link do post | comentar |

10 comentários:
De .Segurança Social - história e problemas a 2 de Setembro de 2013 às 17:44
Para ajudar a esclarecer a situação da (in) SEGURANÇA SOCIAL :

1. Até 1974 NÃO EXISTIA a SEGURANÇA SOCIAL mas a PREVIDÊNCIA SOCIAL;

2. Fiz parte da 1ª e 2ª Comissões que em 1976/77 preparou a Reforma da Previdência criando a Segurança Social, o Centro Nacional de Pensões, os Centros Regionais das Segurança Social integrando-se nesses as Caixas de Previdência;

3. A 2ª Comissão integrou, além de mim próprio, Maria de Belém Roseira, Leonor Guimarães, Fernando Maia e Madalena Martins;

4. NÃO HOUVE qualquer nacionalização e as próprias Casas do Povo e o regime dos rurais só em 1980 foram integradas na Segurança Social;

5. O ESTADO não tinha que meter dinheiro na Segurança Social pois o seu funcionamento foi e é assegurado pelas contribuições das entidades empregadoras e trabalhadores;

6. Outra coisa tem a ver com a CAIXA GERAL DE APOSENTAÇÕES pois a mesma foi financiada exclusivamente pelas contribuições dos agentes do Estado a quem os funcionários confiaram mês a mês os seus descontos igualzinho aquilo que acontece com a conta poupança que vai capitalizando ao longo do seu período de vigência;
----xxxxxx----------

-o que é que o Governo e a Oposição têm a dizer sobre o que consta abaixo e sobre a real situação financeira da Segurança Social, se é que se atrevem...

Vale a pena ler, isto a ser verdade (parece que sim) agora sabemos porque não chega para todos....

A INSUSTENTABILIDADE DA SEGURANÇA SOCIAL

A Segurança Social nasceu da Fusão (Nacionalização) de praticamente todas as Caixas de Previdência existentes, feita pelos Governos Comunistas e Socialistas, depois do 25 de Abril de 1974.
As Contribuições que entravam nessas Caixas eram das Empresas Privadas (23,75%) e dos seus Empregados (11%).

O Estado nunca lá pôs 1 centavo.
Nacionalizando aquilo que aos Privados pertencia, o Estado apropriou-se do que não era seu.
Com o muito, mas muito dinheiro que lá existia, o Estado passou a ser "mãos largas"!

Começou por atribuir Pensões a todos os Não Contributivos (Domésticas, Agrícolas e Pescadores) e
ao longo do tempo foi atribuindo Subsídios para tudo e para todos.
E tudo isto, apenas e só, à custa dos Fundos existentes nas ex-Caixas de Previdência dos Privados.
Os Governos não criaram Rubricas específicas nos Orçamentos de Estado, para contemplar estas necessidades.
Optaram isso sim, pelo "assalto" àqueles Fundos, como este governo está afazer, retirando, em menos de 3 anos, mais de 4 mil milhões de euros do Fundo de Pensões da Segurança Social, que foram direitinho para os Bancos.

Cabe aqui recordar que os Governos de Salazar, também recorreu a esses Fundos várias vezes.
Só que de outra forma: pedia emprestado e sempre ia pagando, mas estes roubam. Roubam o POVO, que tomam como seu inimigo

Em 1996/97, Guterres nomeou uma Comissão, com vários especialistas, entre os quais os Profs. Correia de Campos e Boaventura de Sousa Santos, que em 1998, publicam o "Livro Branco da Segurança Social".
Uma das conclusões, que para este efeito importa salientar, diz respeito ao Montante que o Estado já devia à Segurança Social, ex-Caixas de Previdência, dos Privados, pelos "saques" que os governos de direita anti-social, sendo de salientar os 4 anos da AD (1979/83, 10 anos do "Cavaquismo" (1985/95), sempre fizeram.

Pois, esse montante apurado no livro, até 31 de Dezembro de 1996, era já de 7.300 Milhões de Contos, na moeda de hoje, cerca de 36.500 Milhões ?.
De então para cá, os Governos continuaram a "sacar" e a dar benesses, a quem nunca para lá tinha contribuído, e tudo à custa dos Privados.

Faltará criar agora outra Comissão para elaborar o "Livro NEGRO da Segurança Social", para, de entre outras rubricas, se apurar também o montante actualizado, depois dos "saques" que continuaram de 1997 com os Governos de direita de Durão Barroso e Santana Lopes (202/205 e agora o claramente anti-social de Passos Coelho de 2011 a... que só em dois anos, já transferiu da Fundo de Pensões da Segurança Social, directamente para os Bancos, mais de 4.ooo milhões de euros.

Falta agora ACABAR COM AS REFORMAS VITALÍCIAS DOS, PRESIDENTES DA REPÚBLICA, DEPUTADOS E DE TODOS OS POLÍTICOS QUE, SEM VALOR CONTRIBUTIVO DE, NO MÍNIMO, DE 36 ANOS, ESTÃO REFORMADOS COM VALORES ABUSIVOS. ...


De .Segurança Social e desGovernos... a 2 de Setembro de 2013 às 17:51
... (a Segurança Social )...

Entretanto o próprio Estado admite funcionários que descontam 11% para a Segurança Social mas não para a CGA e ADSE.
COM ESTAS ESTRUTURAS, FOI CRIADO UM DEFECIT PARA AS CONSIDERAR INÚTEIS E SEM JUSTIFICAÇÃO DE EXISTiR
“A TAL PARIDADE CAMUFLADA DE UMA POLÍTICA NEOLIBERAL DE DESTRUIÇÃO DO TECIDO SOCIAL.
Assim, o Estado deveria descontar, como qualquer Empresa Privada, 23,75% para a SS? Mas...
Claro que não!...

Outra questão se pode colocar ainda.
Se os Funcionários que o Estado tem admitido, descontam para a Segurança Social, como e até quando irá sobreviver a CGA e a ADSE?
Há poucos meses, um conhecido economista, estimou que tal valor, incluindo juros nunca pagos pelo Estado, rondaria os 70.000 Milhões?!
Ou seja, pouco menos, do que o Empréstimo da Troika!...

Ainda há dias falando com um Advogado amigo, em Lisboa, ele me dizia que isto vai parar ao Tribunal Europeu dos Direitos do Homem.
Há já um grupo de Juristas a movimentar-se nesse sentido. Quem, quais juízes?
A síntese que fiz, é para que os mais Jovens, que estão já a ser os mais penalizados com o desemprego, fiquem a saber o que se fez e faz também dos seus descontos e o quanto irão ser também prejudicados, quando chegar a altura de se reformarem!...

Falta falar da CGA dos funcionários públicos, assaltada por políticos sem escrúpulos que dela mamam reformas chorudas, com uma dúzia de anos de descontos e menos,
o que tem constituído um autêntico saque ao Fundo de Pensões da Segurança Social!!!

Quem pretender fazer um estudo mais técnico e completo, poderá recorrer ao Google e ao INE.


SEM COMENTÁRIOS...mas com muita revolta....
OS FATOS HISTÓRICOS ESTÃO REGISTADOS !!!

Sabem que, na bancarrota do final do Século XIX que se seguiu ao ultimato Inglês de 1890, foram tomadas algumas medidas de redução das despesas que ainda não vi, nesta conjuntura, e que passo a citar:

A Casa Real reduziu as suas despesas em 20%; não vi a Presidência da República fazer algo de semelhante.
Os Deputados ficaram sem vencimentos e tinham apenas direito a utilizar gratuitamente os transportes públicos do Estado (na época comboios e navios); também não vi ainda nada de semelhante na actual conjuntura nem nas anteriores do Século XX.

SEM COMENTÁRIOS...

Aqui vão algumas razões porque os países do norte da Europa progridem...

Governo Português:
3 Governos (continente e ilhas)
333 deputados (continente e ilhas)

308 câmaras
4259 freguesias
1770 vereadores

30.000 carros

40.000(?) Fundações, Observatórios e Associações

500 assessores em Belém

1284 serviços e institutos públicos
...
O POVO PORTUGUÊS NÃO TEM CAPACIDADE PARA CRIAR RIQUEZA SUFICIENTE, PARA ALIMENTAR ESTA CORJA DE GATUNOS!

É POR ESTAS E POR OUTRAS QUE PORTUGAL É O PAÍS DA EUROPA EM QUE SIMULTANEAMENTE SE VERIFICAM OS SALÁRIOS MAIS ALTOS A NÍVEL DE GESTORES/ADMINISTRADORES E O SALÁRIO MÍNIMO MAIS BAIXO PARA OS HABITUAIS ESCRAVIZADOS.
ISTO É ABOMINÁVEL!

ACORDA, POVO! ESTAS, SIM, É QUE SÃO AS GORDURAS QUE TÊM DE SER ELIMINADAS.


De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 11 de Agosto de 2013 às 19:52
O Parlamento aprovou em junho novas regras que obrigam à divulgação pública dos benefícios pagos pelo Estado a particulares. Mas estas regras não se aplicam aos benefícios dos políticos.
Tolinho, quem eu?


De As subvenções não são um direito adquiri a 11 de Agosto de 2013 às 15:59
Como muito bem lembra a Clara F. Alves no Expresso. Pelo menos, não são um direito maior e adquirido que os 10% que querem roubar a quem recebe 601 euros por mês. Nesse sentido, é defensável que todos os políticos fiquem sem a sua subvenção pelo exercício de cargos partidários e recebam apenas a reforma que resulte dos seus descontos.

E podem começar por cortar aos que fizeram negócios com o BPN, por exemplo, o Senhor Presidente e o Senhor Ministro. Sim, esse mesmo, o que comprou, para ele a um euro, mas que para a sua “empresa” comprou a 2,2. Um excelente gestor, estou certo. Tão excelente que até é nomeado Ministro.

Pelos Machete’s deste país, acabe-se com a subvenção, com efeitos retroactivos, dos políticos.


De Parreira a 10 de Agosto de 2013 às 18:32
Lamenta-se tanto a ignorância de quem escreveu este artigo, como de quem o está a citar sem mais...De facto ao contrário do que é afirmado, aos pensionistas militares será ROUBADO 10% da pensão, porque as suas reformas NÃO ESTÃO indexadas ao salário dos trabalhadores no ativo . Já agora convêm lembrar, que aos militares, para além da sujeição a especiais deveres, são subtraídos direitos de cidadania conferidos aos restantes cidadãos (incluindo os funcionários publicos ), nomeadamente: (disponibilidade permanente para o serviço, i.e., mobilidade sem quaisquer restrições, sem direito a horas extraordinárias, e a fazer greve). E, para além disso, são impostas restrições no âmbito mais vasto dos direitos, liberdades e garantias – limitações aos direitos de: liberdade sindical, expressão, reunião, manifestação, petição coletiva , capacidade eleitoral passiva, representação coletiva no foro judicial. E agora estão a ser tratados na reforma como se não tivessem passado por isto tudo...


De vitimas? a 11 de Agosto de 2013 às 12:50
São umas vítimas. Estou cheio de pena. Um trabalho tão árduo neste últimos 39 anos.
Imaginem um médico que durante toda a carreira profissional não viu um doente, ou um futebolista de um equipa de futebol nunca jogou, ou um condutor da Carris que nunca conduziu ( tudo isto durante 38 anos de atividade profissional). Semelhante só mesmo um militar que durante todo o período em que esteve no ativo ( e aceitemos que são 36 anos como os demais funcionários públicos), nunca disparou um tiro. Deve ser de levar uma pessoa ao suicídio. Coitados. È uma ingratidão da governação que não lhes arranjou uma guerra para poderem praticar o seu "métier".
Lamentável


De Parreira a 11 de Agosto de 2013 às 15:37
Sobre as missões das Forças Armadas deixo-lhe o link talvez dê para esclarecer: http :/ comum.rcaap.pt bitstream /123456789/1650/1 NeD65_CarlosFonsecaCabrinha.pdf

Quanto aos direitos de cidadania, que os militares não possuem e que os torna portugueses de 2ª, talvez você só compreenda com um desenho, isto se estiver de boa fé. Mobilidade sem quaisquer restrições: dão-lhes uma guia de marcha e se está colocado em Lisboa no dia seguinte está colocado nos Açores, a família que se lixe (isto não fazem a mais nenhum agente do estado). Sem direito a horas extraordinárias, e a fazer greve): É trabalhar H24 , sabe o que é? é ir ás 3 da manhã recuperar um naufrago no mar pendurado num guincho, enquanto você dorme, sem receber nenhuma compensação financeira por isso. Quem trabalhava na Lisnave recebia mais 300% pelas horas extraordinárias. Greve? não é para militares. para além disso, são impostas restrições no âmbito mais vasto dos direitos, liberdades e garantias – limitações aos direitos de: liberdade sindical, expressão, reunião, manifestação, petição colectiva , capacidade eleitoral passiva, representação colectiva no foro judicial. Quanto aos tiros. Fui atingido em combate...é uma rica medalha, Agora enquanto não morro, estou sujeito ao que uns criminosos que chegaram ao poder quiserem fazer.


De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 12 de Agosto de 2013 às 12:08
E ainda no caso dos jogadores de futebol que coitados ficam aleijadinhos quando acabam de jogar aos trinta e tal anos... e portanto não podem trabalhar noutros lados nem noutras profissões.
Os Licenciados podem trabalhar fora da área em que se especializaram como em caixas de supermercados, fastfood etc... os futebolistas, reformam-se...
Então não é que somos todos iguais?
Não há TC que nos valha?
S´para algumas coisas é que existe as igualdades e as paridades, para as outras só existem as filhas das paridades que é paga e não bufas!


De Lixado a 8 de Agosto de 2013 às 19:08
É esta a Mer*a da democracia que os ditos partidos de esquerda ( será que posso incluir o PS ) defendem?
E os militantes desse partidos, o que dizem ? continuam a apostar nos seus lideres, que subscrevem estas merd** e outras semelhantes, em que o povo é o único prejudicado?


De Zé das esquinas, o Lisboeta a 11 de Agosto de 2013 às 15:48
Podes, podes, e acreditam, acreditam...


Comentar post

DESTAQUE DO MÊS
14_04_botão_CUS
MARCADORES

todas as tags

CONTACTO

Email - Blogue LUMINÁRIA

ARQUIVO

Novembro 2019

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS
blogs SAPO