De Parreira a 10 de Agosto de 2013 às 18:32
Lamenta-se tanto a ignorância de quem escreveu este artigo, como de quem o está a citar sem mais...De facto ao contrário do que é afirmado, aos pensionistas militares será ROUBADO 10% da pensão, porque as suas reformas NÃO ESTÃO indexadas ao salário dos trabalhadores no ativo . Já agora convêm lembrar, que aos militares, para além da sujeição a especiais deveres, são subtraídos direitos de cidadania conferidos aos restantes cidadãos (incluindo os funcionários publicos ), nomeadamente: (disponibilidade permanente para o serviço, i.e., mobilidade sem quaisquer restrições, sem direito a horas extraordinárias, e a fazer greve). E, para além disso, são impostas restrições no âmbito mais vasto dos direitos, liberdades e garantias – limitações aos direitos de: liberdade sindical, expressão, reunião, manifestação, petição coletiva , capacidade eleitoral passiva, representação coletiva no foro judicial. E agora estão a ser tratados na reforma como se não tivessem passado por isto tudo...


De vitimas? a 11 de Agosto de 2013 às 12:50
São umas vítimas. Estou cheio de pena. Um trabalho tão árduo neste últimos 39 anos.
Imaginem um médico que durante toda a carreira profissional não viu um doente, ou um futebolista de um equipa de futebol nunca jogou, ou um condutor da Carris que nunca conduziu ( tudo isto durante 38 anos de atividade profissional). Semelhante só mesmo um militar que durante todo o período em que esteve no ativo ( e aceitemos que são 36 anos como os demais funcionários públicos), nunca disparou um tiro. Deve ser de levar uma pessoa ao suicídio. Coitados. È uma ingratidão da governação que não lhes arranjou uma guerra para poderem praticar o seu "métier".
Lamentável


De Parreira a 11 de Agosto de 2013 às 15:37
Sobre as missões das Forças Armadas deixo-lhe o link talvez dê para esclarecer: http :/ comum.rcaap.pt bitstream /123456789/1650/1 NeD65_CarlosFonsecaCabrinha.pdf

Quanto aos direitos de cidadania, que os militares não possuem e que os torna portugueses de 2ª, talvez você só compreenda com um desenho, isto se estiver de boa fé. Mobilidade sem quaisquer restrições: dão-lhes uma guia de marcha e se está colocado em Lisboa no dia seguinte está colocado nos Açores, a família que se lixe (isto não fazem a mais nenhum agente do estado). Sem direito a horas extraordinárias, e a fazer greve): É trabalhar H24 , sabe o que é? é ir ás 3 da manhã recuperar um naufrago no mar pendurado num guincho, enquanto você dorme, sem receber nenhuma compensação financeira por isso. Quem trabalhava na Lisnave recebia mais 300% pelas horas extraordinárias. Greve? não é para militares. para além disso, são impostas restrições no âmbito mais vasto dos direitos, liberdades e garantias – limitações aos direitos de: liberdade sindical, expressão, reunião, manifestação, petição colectiva , capacidade eleitoral passiva, representação colectiva no foro judicial. Quanto aos tiros. Fui atingido em combate...é uma rica medalha, Agora enquanto não morro, estou sujeito ao que uns criminosos que chegaram ao poder quiserem fazer.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres