OS TIRIRICAS PORTUGUESES

Em 2010 foi eleito no Brasil e com a segunda mais, expressiva, votação da história brasileira, um deputado sem nada ter prometido. Por isso, foi coerente e foi o que menos enganou os eleitores.

Em março passado deu uma entrevista a um jornal internacional inglês onde afirmou “"Você passa o dia inteiro aqui fazendo nada, apenas esperando para votar em algo enquanto as pessoas discutem e discutem".

Lamentavelmente os nossos tiriricas são os que discutem, discutem produzem legislação que ou não se aplica, ou se aplica contra quem os elegeu, ou permite que corruptos e ladrões fiquem sem julgamento.

Conclusão: somos, a léguas, muito mais enganados; custa-nos, a milhas, demasiadamente, mais caro; significa que, com ou sem consciência, tornamo-nos também tiriricas. Neste caso, tiriricas estúpidos e repetitivos. Eles, os da Assembleia, pelo menos, são espertos, comem-nos por patinhos.

Se não queremos assumir o papel de tiriricas estúpidos, nas próximas eleições, não devemos votar em ladrões nem em mentirosos saltimbancos.

Não sendo o conhecimento suficiente de que os/as candidatos/as dão garantias de honestidade de trabalho não podemos neles/as votar. Votamos nulo ou não votamos.

Por mim, na minha freguesia e no meu concelho, nenhum candidato merece o meu voto. Não voto em ladrões nem em mentirosos e voce, caro/a leitor/a?



Publicado por DC às 11:14 de 09.09.13 | link do post | comentar |

2 comentários:
De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 13 de Setembro de 2013 às 16:39
Há sempre quem goste de ser mal tratado e volte sempre ao lugar e a quem o maltrata.
Já no «antigamente» se contava aquela piada em que a mulher dizia para o marido: »Tu já não me bates... é porque já não gostas de mim!».
Hoje com a teia em que se tornou este regime, que não é uma democracia, mas uma «ditadura democrática», prossegue-se o princípio da estória piadética anterior...
O voto no contexto actual não serve para exercer um direito democrático e legítimo. Serve apenas para manter e eleger sempre os mesmos ou a alternância dos mesmos.
Infelizmente hoje votar não é um dever é pactuar com a podridão que nos desgraçou, desgraça e vai continuar a desgraçar os «Zés» e o País.
E não me venham cá com «cantigas que se não votarmos somos os culpados pelos políticos que temos, porque é precisamente o contrário. Hoje votar é que nos responsabiliza pela merda de políticos e de políticas que temos.
Primeiro à que mudar o sistema e restaurar a democracia e a independência de Portugal.


De .Temos de ser Cidadãos activos. a 9 de Setembro de 2013 às 12:48
... « A esmagadora maioria do povo está ausente de toda e qualquer participação associativa, mesmo ao nível do bairro, foge, como é dito o diabo da cruz,
de toda e qualquer participação (na apresentação de propostas e candidaturas,) na fiscalização e no controlo da gestão de recursos da freguesia ou do município (e do país).
Como queremos que as coisas possam ser diferentes? »
...
« O principal responsável é o povo (é cada um de nós) que NÃO assume as suas responsabilidades no exercício de cidadania (ser cidadão é ter direitos e responsabilidades, exercer uns e outras), em cada dia e a todos os níveis.

Enquanto continuarmos a deixar andar “o condomínio” ao deus dará, continuamos a pagar muito caro tal desleixo. » --por Zé Pessoa, 09.09.13

É isso mesmo !!


Comentar post

DESTAQUE DO MÊS
14_04_botão_CUS
MARCADORES

todas as tags

CONTACTO

Email - Blogue LUMINÁRIA

ARQUIVO

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS
blogs SAPO