2 comentários:
De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 13 de Setembro de 2013 às 16:39
Há sempre quem goste de ser mal tratado e volte sempre ao lugar e a quem o maltrata.
Já no «antigamente» se contava aquela piada em que a mulher dizia para o marido: »Tu já não me bates... é porque já não gostas de mim!».
Hoje com a teia em que se tornou este regime, que não é uma democracia, mas uma «ditadura democrática», prossegue-se o princípio da estória piadética anterior...
O voto no contexto actual não serve para exercer um direito democrático e legítimo. Serve apenas para manter e eleger sempre os mesmos ou a alternância dos mesmos.
Infelizmente hoje votar não é um dever é pactuar com a podridão que nos desgraçou, desgraça e vai continuar a desgraçar os «Zés» e o País.
E não me venham cá com «cantigas que se não votarmos somos os culpados pelos políticos que temos, porque é precisamente o contrário. Hoje votar é que nos responsabiliza pela merda de políticos e de políticas que temos.
Primeiro à que mudar o sistema e restaurar a democracia e a independência de Portugal.


De .Temos de ser Cidadãos activos. a 9 de Setembro de 2013 às 12:48
... « A esmagadora maioria do povo está ausente de toda e qualquer participação associativa, mesmo ao nível do bairro, foge, como é dito o diabo da cruz,
de toda e qualquer participação (na apresentação de propostas e candidaturas,) na fiscalização e no controlo da gestão de recursos da freguesia ou do município (e do país).
Como queremos que as coisas possam ser diferentes? »
...
« O principal responsável é o povo (é cada um de nós) que NÃO assume as suas responsabilidades no exercício de cidadania (ser cidadão é ter direitos e responsabilidades, exercer uns e outras), em cada dia e a todos os níveis.

Enquanto continuarmos a deixar andar “o condomínio” ao deus dará, continuamos a pagar muito caro tal desleixo. » --por Zé Pessoa, 09.09.13

É isso mesmo !!


Comentar post