De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 13 de Setembro de 2013 às 16:39
Há sempre quem goste de ser mal tratado e volte sempre ao lugar e a quem o maltrata.
Já no «antigamente» se contava aquela piada em que a mulher dizia para o marido: »Tu já não me bates... é porque já não gostas de mim!».
Hoje com a teia em que se tornou este regime, que não é uma democracia, mas uma «ditadura democrática», prossegue-se o princípio da estória piadética anterior...
O voto no contexto actual não serve para exercer um direito democrático e legítimo. Serve apenas para manter e eleger sempre os mesmos ou a alternância dos mesmos.
Infelizmente hoje votar não é um dever é pactuar com a podridão que nos desgraçou, desgraça e vai continuar a desgraçar os «Zés» e o País.
E não me venham cá com «cantigas que se não votarmos somos os culpados pelos políticos que temos, porque é precisamente o contrário. Hoje votar é que nos responsabiliza pela merda de políticos e de políticas que temos.
Primeiro à que mudar o sistema e restaurar a democracia e a independência de Portugal.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres