Feliz Natal e votos de melhores anos

 photo Pai-Natal-Tuga_zpscadd9f1c.jpg

Pai Natal Tuga, Porto (foto de A. Moura, via O Jumento)


Publicado por Xa2 às 19:25 de 20.12.13 | link do post | comentar |

2 comentários:
De Gangues religiosos, mercantis e polítics a 17 de Dezembro de 2013 às 13:09

Nota de Natal ou o gangue do menino Jesus

por Jorge Valadas


Um século atrás escrevia o amigo Carlos Marx:
«A miséria religiosa é, ao mesmo tempo, a expressão da miséria real e o protesto contra a miséria real. A religião é o suspiro do indivíduo oprimido, o coração dum mundo sem coração, ela é também o espírito dum mundo sem espírito».

Estou a citar mais ou menos de memória…
Tudo isto estava, e está, certíssimo!
Mas o que o Carlos não podia imaginar nem desvendar, era como este «suspiro» se ia tornar mercadoria e como a «expressão da miséria real» se ia tornar chorudo negócio de poder e poder de negócios. E aqui estamos hoje, com estes business de Deus.
De realçar também que a obsessiva preocupação com o avanço do Islão cobre e serve de cobertura para o avanço dessas forças obscurantistas mais próximas da «nossa cultura », como por aí se ouve dizer… As quais, estão a crescer tanto ou quase tanto como o Islão integrista. Só que, por razões obviamente não obscuras, este crescimento não é assinalado pelos adeptos iluminados do «choque de civilizações».
Um amigo brasileiro envia-me estas linhas de desabafo. São reflexões que me parecem levantar questões importantes, com desacordos e acordos que fazem pensar.
E que vêm mesmo a propósito em tempos de compras e de árvores de Natal. Num mundo mercantil sem coração, sem espírito !
&&&
O avanço das igrejas protestantes neo-pentecostais ao estilo texano é um termômetro do que está a acontecer em Brasil...

Um dos fundadores do PT, o escritor e teólogo Frei Betto, um frade católico ligado à teologia da libertação (frade petista um tanto progressista), fez recentemente críticas a estas Igrejas ao falar a cerca de mil lideranças católicas no 9º Encontro Nacional Fé e Política, no final de semana, no campus da UCB (Universidade Católica de Brasília). Se mostrou preocupado com os “segmentos religiosos [evangélicos] que estão cada vez mais partidarizados”. A Frente Parlamentar Evangélica, à qual Frei Betto se referiu, é presidida pelo deputado João Campos (PSDB/GO [Partido da Social-Democracia Brasileira, direitista e neoliberal, estado de Goiás]). É composta por deputados (a maioria) e por senadores de diferentes partidos, no total de 79.

Esta Frente Parlamentar Evangélica tem se destacado por ser contra, por exemplo, as propostas de igualdade aos homossexuais ou de atendimento especial a mulheres vítimas de estupro. Se pauta principalmente por uma leitura ultra-conservadora da Bíblia. Um de seus integrantes, pastor Marco Feliciano [um ex-travesti convertido, segundo a lenda popular], é presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara. Estão agora a colocar projetos de lei que permitem às entidades religiosas questionar a constitucionalidade de leis e projetos de leis no Supremo Tribunal Federal. Se aprovada, esta proposta é o primeiro golpe de morte desferido ao estado laico brasileiro. Cabe aqui lembrar que o governo dos pelegos sindicais do PT fez alianças com estas igrejas que muito as fortaleceram durante os dois mandatos de Lulla e o primeiro de Dilma. O governo das tecnocracias de esquerda se tornou uma incubadora deste fascismo, que começa a quebrar a casca.

Os FUNDAMENTALISTAS evangélicos já congregam cerca de 42 milhões de seguidores no país (22,2% da população, dados do censo de 2010 do IBGE), dos quais 14 milhões pertencem à Igreja Assembléia de Deus, a mais fanática e militante de todas, pertencente ao pastor Silas Malafaia. Estas igrejas já controlam um patrimônio estimado de 72 bilhões de reais (aproximadamente 37-40 bilhões de dolares), arrecadam cerca de 20 bilhões de reais ao ano, e são donas de faculdades particulares, canais de TV e radio, fundos de pensão, estúdios e gravadoras musicais, etc. Como possuem 79 parlamentares... já conseguem vetar leis de apoio a mulheres vitimas de abuso, a homossexuais, minorias religiosas. Não possuem nenhuma plataforma propositiva, sua atuação consiste apenas na "defesa da familia" e valores conservadores. Entretanto, sob a rubrica de "governo dos justos" já começam a formar proj. politic


De Fundamentalistas religiosos 'cristãos' e a 17 de Dezembro de 2013 às 13:13
-----Gangues religiosos, mercantis e políticos (no Brasil, EUA, África e ...)

Nota de Natal ou o gangue do menino Jesus

por Jorge Valadas
...
...
...começam a formar projeto político e seu sonho de transformar o Brasil em um "país cristão".

Enquanto isso, todos os dias chegam noticias de se agredirem terreiros de candomblé, quebrarem e queimarem templos indígenas. Ou discriminarem homossexuais; e noticias de pastores que acobertam maridos que espancam esposas, pastores envolvidos com drogas, lavagem de dinheiro, estupros, e coisas assim. Perseguem professores que ensinam Darwin nas escolas e organizam boicotes coletivos o leituras de livros considerados "apologetas do satanismo e do homossexualismo" em escolas e faculdades.

Estamos já preocupados com isto há anos, mas a coisa começa a assumir uma dimensão que nos assusta muito. Já presenciamos situações tensas dentro de trens. Não se pode mais falar abertamente de certos assuntos em lugares públicos sob o risco de brigas e gritarias com os radicais. Já aparecem analistas políticos advertindo sobre o risco de um fim do estado laico e um governo futuro formado por coalisões religiosas de direita. Para se ter uma idéia, até sheikhs de comunidades islâmicas se sentem preocupados com isso (porque os evangelicos detestam muçulmanos tambem)! Um deles relatava ter sido seguido nas ruas e ameaçado por sujeitos fanaticos.

Para estas igrejas, toda religião (e cultura humana) que não seja judaica-cristã é satânica. Não faltam pregadores que incitam à intolerância, aos moldes dos Protocolos dos Sábios do Sião, ao insuflar seus fiéis a uma cruzada contra a imensa "conspiração satânica" que governa o mundo (que incluiria, para eles, desde vegetarianos, gays, homeopatas, acupunturistas, feministas, misticos, e tudo que distoa).

Será que a crise da racionalidade moderna, do valor de troca, e consequentemente, das ideologias de modernização sobre ela fundada, proporciona uma volta à religião? Cabe perguntar isso, se a crise da metafísica da ciência-razão não leva de volta os individuos à metafísica-teológica, da qual a primeira herdou a estrutura. Cristianismo, com sua trindade como matriz da lógica dinheiro-mercadoria-mais-dinheiro. Islão como sistema de reprodução simples patriarcal (unitarismo que representa dinheiro abstrato e Estado mas com outro esquema de reprodução). Essa é uma boa suspeita.

A espiritualidade e a religiosidade popular são fatos sociais e antropologicos naturais às sociedades humanas, e que nunca irão desaparecer - apenas mudar de formas. Podem ruir as religiões organizadas e hierarquicas, mas os sujeitos vão criar seus simbolos e suas inter-relações entre si e com a natureza de outras maneiras.

A religiosidade popular inumeras vezes pode também ser campo de lutas, e uma boa heresiazinha, teologias da libertação ou comunistaristas podem cumprir um papel de mobilização social útil, ajudar a veicular novas relações. Como movimentos tolstoianos, ou o islamismo anti-institucional de um ali shariati (eliminado pelos Ayatolás; no Brasil há mesmo rappers muçulmanos negros que são esquerdistas), ou o uso das religiões africanas e indigenas como elementos de identidade de lutas no Brasil... enfim, tudo isto é uma grande doidice, mas também terreno de conflitos, a depender de formas sociais, apropriações e lutas sociais.

Mas neste turbilhão de coisas, fica dificil ter uma opinião sobre isto tudo. Só se sabe que a coisa anda de mal a pior por aqui, e estas igrejas pregam o pior darwinismo social. São máquinas econômicas de arrecadar dinheiro, de des-solidarização, de repatriarcalização. Conseguem hoje dar mais dores de cabeça do que a velha Igreja Catolica Apostólica moribunda. Os padres católicos parecem uns liberais perto destes pastores furiosos que pregam aos gritos como verdadeiros fuhrers em suas igrejas, e levam os fieis a urrar como torcidas de futebol. Bem o que Adorno analisava sobre os discursos fascistas do pastor Martin Luther Thomas. Aliás, foi de lá, do Texas, que estes movimentos horriveis e intolerantes de exploração da fé popular sairam para a América Latina e Africa Ocidental.

Ricardo Flores


Comentar post

DESTAQUE DO MÊS
14_04_botão_CUS
MARCADORES

todas as tags

CONTACTO

Email - Blogue LUMINÁRIA

ARQUIVO

Novembro 2019

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS
blogs SAPO