De Corrupção geral, interesses e Adm.Pub a 17 de Dezembro de 2013 às 10:34
É o tempo da corrupção geral?

(22/4/2009, por J.Rodrigues, Ladrões de B)

"Veio enfim um tempo em que tudo o que os homens tinham olhado como inalienável se tornou objecto de troca, de tráfico, e podia alienar-se. É o tempo em que as próprias coisas que até então eram comunicadas, mas nunca trocadas; dadas, mas nunca vendidas; adquiridas, mas nunca compradas - virtude, amor, opinião, ciência, consciência, etc. - em que tudo enfim passou para o comércio. É o tempo da corrupção geral, da venalidade universal". Karl Marx escreveu isto em 1847 num livro intitulado "Miséria da Filosofia". ... esta citação, ... tem o mérito de nos indicar uma das ameaças potenciais que pairam sobre o laço social em qualquer comunidade política: a arrogância expansiva que o dinheiro adquire, sobretudo quando está concentrado em poucas mãos, pode erodir as barreiras que protegem esferas da vida socioeconómica e política que não devem, que não podem, estar submetidas ao seu poder.

João Cravinho, ...inconformadas com a persistente impotência pública, considera que a corrupção política não pára de crescer no nosso país. Muitos dizem que isto é o resultado do peso excessivo do Estado. Trata-se de um diagnóstico tão previsível quanto preguiçoso. Se estivesse correcto, outros países europeus, com os países escandinavos à cabeça, seriam os mais corruptos e os menos transparentes. Nada é mais errado. A corrupção não se combate pelo esvaziamento do Estado, mas sim pelo encolhimento das possibilidades que o dinheiro tem de influenciar o processo democrático de definição das regras e da sua aplicação. A corrupção tem, entre outras, causas institucionais, intelectuais e morais complexas. Defendo que a neoliberalização do Estado português está hoje no seu centro.

O ciclo, com mais de 20 anos, de liberalização predatória, feito de abertura irrestrita às forças de mercado, de privatizações sem fim de sectores monopolistas e estratégicos ou de complacência face à apropriação privada de mais-valias fundiárias ou face à desigualdade de rendimentos, aumentou o perigo de captura do poder político por um poder económico privado crescentemente rentista. A mais recente geração de políticas de entrega aos privados de áreas da provisão pública, por exemplo, através de ruinosas parcerias público-privadas, cria um pernicioso caldo político feito de opacas desorçamentações, de tráfico de influências e de subversão da lógica dos serviços públicos. Estradas, aeroportos, matas, prisões, hospitais, rede eléctrica, património histórico, áreas protegidas. A lista de bens públicos em vias de serem capturados pelo sector privado não tem fim. As oportunidades para a corrupção também não.

No país mais desigual da União Europeia, os mais ricos têm cada vez mais recursos e incentivos para contornar as regras e para influenciar o processo político a seu favor. Além disso, a desigualdade tende a corroer a crença de que as instituições fundamentais da sociedade são justas, a sabotar a legitimidade social das regras instituídas e a dificultar a participação de todos na definição dos destinos comuns. Sabemos que uma cidadania activa, mais robusta em sociedades europeias menos desiguais, é um dos antídotos para os comportamentos predatórios.

A ética do serviço público, ..., só pode florescer se tivermos funcionários públicos autónomos e motivados. É por estas e por outras que a política de fragilização dos vínculos contratuais na administração pública, a política que "tritura" funcionários, num contexto de hegemonia de um discurso governamental que tem subestimado e desprezado a ética do serviço público e os profissionais e as práticas que a podem sustentar, só irá acentuar a fraqueza e a submissão do Estado perante a insolência do dinheiro.

Pelo contrário, as políticas socialistas de combate às desigualdades, de reafirmação do controlo público directo de sectores estratégicos, de combate à fraude e evasão fiscais, por exemplo, através da abolição do sigilo bancário, ou de apropriação pública das mais-valias fundiárias obtidas graças a investimentos de toda comunidade desenham linhas mais fortes entre o que pode ser comprado e vendido e o que é de todos e deve estar ao serviço de todos. Como sempre, só a justiça social e a ética do serviço público podem evitar que a afirmação de Ma


De Corrupção, má gestão, falta Transparênci a 17 de Dezembro de 2013 às 16:56
O porquê da tragédia dos Portugueses.
vídeos / gravações por temas:

http://www.youtube.com/watch?v=-TmY9OS2ix4 (6.554 visualizações)
Ponte Vasco da Gama - promiscuidade com os ex-ministros das Obras Públicas

http://www.youtube.com/watch?v=0RxdPJ0SvMs (5.258 visualizações)
Resgate da Banca - políticos e corrupção na compra de terrenos sem valor

http://www.youtube.com/watch?v=h8uNhkcOwsI (3.732 visualizações)
Sequestro da TROIKA - pagamento dos empréstimos bancários (fraudulentos)

https://www.youtube.com/watch?v=2FB4JbIFk-s (2.712 visualizações)
BPN / SLN (1) - Vigarices e Crimes Gigantescos

https://www.youtube.com/watch?v=-c2j3--VbRQ (1.88 visualizações)
BPN / SLN (2) - Confisco do dinheiro desviado (roubado) no Luxemburgo

http://www.youtube.com/watch?v=o-6E6qCb9zg (2.164 visualizações)
Alemanha emitiu €uros como "falsa moeda", em 1999

http://www.youtube.com/watch?v=J1Fu-T0duHY (1.509 visualizações)
Assembleia da República - promiscuidade, negócios e conflito de interesses

http://www.youtube.com/watch?v=Z73nEsBmyw0 (1.006 visualizações)
Assembleia da República - leis que geram corrupção

http://www.youtube.com/watch?v=jKsFjzGDIpI (1.331 visualizações)
Justiça cega? uma para os fracos e outra para os poderosos!

http://www.youtube.com/watch?v=qTC--24UiDM (966 visualizações)
Promiscuidade no Banco de Portugal - os fiscalizados são os fiscais

http://www.youtube.com/watch?v=2GzwDNsfC4c (770 visualizações)
Instauração das MÁFIAS, versus, Democracia e Corrupção

http://www.youtube.com/watch?v=y_1HND2uTik (734 visualizações)
Feudalismo dos Grupos Económicos - Luta contra o medo

http://www.youtube.com/watch?v=IABnS2FopOo (630 visualizações)
PDM - especulação, favores políticos, mercadoria fictícia

http://www.youtube.com/watch?v=rMTVaT5XKco (482 visualizações)
EXPO98 - corrupção, incompetência e loucura

http://www.youtube.com/watch?v=9lkRELFBI78 (622 visualizações)
PPP das Águas - garantia de lucro aos privados

http://www.youtube.com/watch?v=ZAn4iDzE43c (376 visualizações)
PPP da Saúde - loucura de vigarices

http://www.youtube.com/watch?v=j7YaYTTRMYw (323 visualizações)
Orçamento do Estado e Autarquias - promiscuidade e corrupção

http://www.youtube.com/watch?v=aymaXF74D2o (310 visualizações)
PPP Rodoviárias - sangria de fundos do Orçamento do Estado

http://www.youtube.com/watch?v=JQZQxsqwK-Q (474 visualizações)
EURO 2004 e Apito Dourado - corrupção, branqueamentos e prostituição

https://www.youtube.com/watch?v=b4ynyRYZO4I (266 visualizações)
A Grande Corrupção gera a Pequena Corrupção

Gravações integrais

http://www.youtube.com/watch?v=HcTxAcE0n2o (4.423 visualizações)
A Corrupção na Origem da Crise (1 de 5) - Vasco Lourenço

http://www.youtube.com/watch?v=aiTSJekHbxQ (18.266 visualizações)
A Corrupção na Origem da Crise (2 de 5) Paulo Morais

http://www.youtube.com/watch?v=7zool__iaGg (6.166 visualizações)
A Corrupção na Origem da Crise (3 de 5) Paulo Morais

http://www.youtube.com/watch?v=yVBHuQRrBOk (5.533 visualizações)
A Corrupção na Origem da Crise (4 de 5) Pedro Bingre)

http://www.youtube.com/watch?v=MBUs8sUVa7M (4.563 visualizações)
A Corrupção na Origem da Crise (5 de 5) Pedro Bingre

----------
Ponte Vasco da Gama - BOMBA ATÓMICA: promiscuidade com os ex-ministros das Obras Públicas


Resgate da Banca - políticos e corrupção na compra de terrenos sem valor


Sequestro da TROIKA - para garantir o pagamento dos empréstimos bancários (fraudulentos)


BPN / SLN (1) - Vigarices e Crimes Gigantescos


BPN / SLN (2) - Confisco do dinheiro desviado (roubado) no Luxemburgo

Alemanha emitiu €uros como "falsa moeda", em 1999


Assembleia da República - promiscuidade, negócios e conflito de interesses


Assembleia da República - leis que geram corrupção


Justiça cega ? uma para os fracos e outra para os poderosos!


Promiscuidade no Banco de Portugal - os fiscalizados são os fiscais


Instauração das MÁFIAS, versus, Democracia e Corrupção - subjugação dos governos nacionais


De .Deputados AR: dar o exemplo !! a 17 de Dezembro de 2013 às 17:03

"PEC" - (PROPOSTA DE EMENDA CONSTITUCIONAL), DE INICIATIVA POPULAR

Se hoje todos nós temos que trabalhar 35 anos para conquistar a reforma, os DEPUTADOS também podem fazer por merecer...


Peço a cada destinatário para encaminhar este e-mail a um mínimo de vinte pessoas da sua lista de endereços, e pedir a cada um deles para fazer o mesmo.

Dentro de três dias, a maioria das pessoas em Portugal terá esta mensagem. Esta é uma ideia que realmente deve ser considerada e repassada para o Povo.

PEC de iniciativa popular:

Lei de Reforma do Assembleia (proposta de emenda à Constituição)


1. O deputado será assalariado somente durante o mandato. Não haverá ‘reforma pelo tempo de deputado’, mas contará o prazo de mandato exercido para agregar ao seu tempo de serviço junto ao INSS referente ao seu trabalho como cidadão normal.


2 A Assembleia (deputados e funcionários) contribui para o INSS. Toda a contribuição (passada, presente e futura) para o fundo actual de reforma da Assembleia passará para o regime do INSS imediatamente. Os senhores deputados participarão dos benefícios dentro do regime do INSS, exactamente como todos outros portugueses. O fundo de reforma não pode ser usado para qualquer outra finalidade.


3. Os senhores deputados e assessores devem pagar os seus planos de reforma, assim como todos os outros portugueses.


4 Aos deputados fica vedado aumentar os seus próprios salários e gratificações fora dos padrões do crescimento de salários da população em geral, no mesmo período.


5. Os deputados e seus agregados perdem os seus actuais seguros de saúde, pagos pelos contribuintes, e passam a participar do mesmo sistema de saúde do povo português.


6. A Assembleia deve igualmente cumprir todas as leis que impõe ao povo português, sem qualquer imunidade que não aquela referente à total liberdade de expressão quando na tribuna da Assembleia.


7. Exercer um mandato na Assembleia é uma honra, um privilégio e uma responsabilidade, não uma carreira. Os deputados não devem "servir" mais de duas legislaturas consecutivas.


8. É vedada a actividade de lobista ou de ‘consultor’ quando o objecto tiver qualquer laço com a causa pública. “


----------
Se cada pessoa reenviar esta mensagem para um mínimo de vinte pessoas, em três dias a maioria das pessoas em Portugal receberá esta mensagem.

A hora para esta PEC - Proposta de Emenda Constitucional - é AGORA.

FAÇA COMO EU. REENVIE!!!


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres