De NeoLiberais ou Fascistas 'globaisinhos' a 6 de Janeiro de 2014 às 11:28

O INTERESSE NACIONAL TEM DIAS...
por Tomás Vasques, em 02.01.14

Muito boa gente submete-se ao discurso oficial*, construído por Passos Coelho e Cavaco Silva, nos últimos 3 anos. O discurso da “situação” assenta em meia dezena de falácias, repetidas até à exaustão, para parecerem verdades:
1) um governo do partido socialista provocou a crise em que vivemos;
2) para sairmos desta crise não há alternativa às medidas tomadas pelo actual governo, em consonância com os nossos “parceiros europeus”;
3) Prosseguir estas medidas (de empobrecimento da maioria dos portugueses) é de interesse “nacional ”;
4) os socialistas deviam compreender esta “realidade”, abandonarem os seus “interesses partidários”, e coligarem-se com o PSD e o CDS, para melhor se cumprir o “interesse nacional”;
5) Só perigosos esquerdistas e radicais, gente do passado, não entende a “bondade” da “solução” de futuro radioso que Passos Coelho e Cavaco Silva nos dão.

*Para perceber a falácia do “discurso oficial” releia-se o discurso de tomada de posse, neste segundo mandato, do senhor presidente da República, em que o "interesse nacional", na altura, passava pelo derrube do último governo, e todas as declarações do actual primeiro-ministro durante a campanha eleitoral.

-----------

RAPAZES MODERNAÇOS.
por Tomás Vasques, em 08.10.13

Há por aí uns rapazes, armados em modernaços, que gritam, mais coisa, menos coisa:
“reformados? Cortem nessa cambada de inúteis que andam a viver à custa do orçamento”;
“viúvas? A tomarem chá das cinco e a receberem o dinheirinho ao fim do mês”;
“greves? Lá vem essa seita de gente bem remunerada a dar cabo da economia do país. Vejam lá se os desempregados fazem greve?”;
Tribunal Constitucional? Bando de socialistas e comunistas que não querem perceber que não há dinheiro para pagar luxos”.

Estes rapazes nasceram fora do seu tempo
Se tivessem nascido há 60 ou 70 anos não precisavam de gritar, como gritam.
Viviam na paz e no sossego do seu “ambiente natural”. (o da "união nacional" / "a bem da nação" : o salazarismo fascista).


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres