Terça-feira, 21 de Julho de 2009

As sondagens mais recentes sobre o sentimento político no País concluem por um empate técnico entre os dois maiores partidos. Do meu ponto de vista, este resultado exprime o momento crítico de decisão que marca hoje a sociedade portuguesa.

Quatro anos de políticas determinadas de modernização colocaram Portugal num novo patamar competitivo. O contexto atingido, longe de ser perfeito, induz maior responsabilidade aos diversos actores individuais e colectivos. Esta nova exigência de responsabilidade e ambição é, a meu ver, a principal razão do impasse político. Um impasse que poderá ter um desenlace virtuoso se a mudança no contexto tiver tido impacto real na atitude e na confiança dos portugueses.

Acomodados numa longa tradição de foco na desculpa para não enfrentarem com determinação os desafios e as oportunidades, muitos portugueses hesitam ainda, talvez inconscientemente, entre escolher uma proposta de negação que cobre todos os fracassos ou uma visão de ambição e arrojo que exige uma maior exposição e compromisso.

O empate técnico que os estudos de opinião revelam entre os dois maiores partidos do sistema democrático em Portugal é muito mais do que uma similitude pontual de intenções de voto. É um empate entre os que querem arriscar e os que preferem travar. Entre os que querem competir no Mundo global e os que preferem, de facto, o refúgio do "jardim à beira-mar plantado". Entre os navegadores e os velhos do Restelo.

A História de Portugal está cheia de empates técnicos e de desempates, ora gloriosos, ora trágicos. Nenhum empate, por mais cristalizado que esteja, é eterno. Mais cedo ou mais tarde, o jogo vai decidir-se, por inspiração, acção do árbitro ou pontapés da marca de grande penalidade!

Será o desempate que se aproxima um momento de impulso ou um momento de recuo? Cabe a cada português avaliar o que pretende para o futuro do País e decidir em conformidade. A decisão colectiva será a prova dos nove da maturidade das nossas gentes para enfrentarem os desafios do Mundo global.

[Carlos Zorrinho, Correio da Manhã]


MARCADORES: ,

Publicado por JL às 01:00 | link do post | comentar

1 comentário:
De Português, aqui e agora a 21 de Julho de 2009 às 09:48
Tal como afirma o filosofo José Gil, é preciso ter coragem e não ter medo de existir como o próprio escreveu em “PORTUGAL HOJE, o medo de existir” – lançado num contexto e timing notável, aquando do governo de Santana, fomentando uma depressão nacional baseada na inveja e no medo lusitano.

É necessário que se assuma essa viragem e que se não recue, sobretudo agora quando tantos sacrifícios se fizeram para conseguir significativos avanços, tecnológicos , culturais e ambientais perfeitamente reconhecidos no plano internacional .


Comentar post

MARCADORES

administração pública

alternativas

ambiente

análise

austeridade

autarquias

banca

bancocracia

bancos

bangsters

capitalismo

cavaco silva

cidadania

classe média

comunicação social

corrupção

crime

crise

crise?

cultura

democracia

desemprego

desgoverno

desigualdade

direita

direitos

direitos humanos

ditadura

dívida

economia

educação

eleições

empresas

esquerda

estado

estado social

estado-capturado

euro

europa

exploração

fascismo

finança

fisco

globalização

governo

grécia

humor

impostos

interesses obscuros

internacional

jornalismo

justiça

legislação

legislativas

liberdade

lisboa

lobbies

manifestação

manipulação

medo

mercados

mfl

mídia

multinacionais

neoliberal

offshores

oligarquia

orçamento

parlamento

partido socialista

partidos

pobreza

poder

política

politica

políticos

portugal

precariedade

presidente da república

privados

privatização

privatizações

propaganda

ps

psd

público

saúde

segurança

sindicalismo

soberania

sociedade

sócrates

solidariedade

trabalhadores

trabalho

transnacionais

transparência

troika

união europeia

valores

todas as tags

ARQUIVO

Novembro 2019

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS