6 comentários:
De Assédio de gr. empresas/ advogados. a 28 de Maio de 2015 às 09:32
A NOS continua a assediar-me...

Abri hoje o meu email e tinha correspondência do meu procurador em Portugal. A NOS enviou-me uma carta cheia de mentiras.
Reparem que me telefonaram, no dia 19 de Maio, a dizer que o caso estava resolvido e, alguns dias depois, confirmaram este facto a uma jornalista.
Mas como são incompetentes, esqueceram-se de tirar esta cartinha do molho da correspondência que enviam para assediar as pessoas.
A propósito, já vos disse que quando a NOS celebrou o "contrato" com a minha informação, o meu bilhete de identidade estava fora do prazo?
Pois é, não tinha validade. Viva a NOS, viva a incompetência!

Notem o nível de asco da correspondência! A carta diz que me deram oportunidades de eu pagar a prestações, o que aos olhos dos advogados da NOS, faz da NOS uma companhia adorável.
É pena que eu nunca tenha visto essa oferta; logo, mais uma coisa que faz da NOS uma companhia mentirosa.
Esta carta também me diz que, muito provavelmente, a NOS diz que investiga um caso, mas o modus operandi é nunca desistir de um caso por mérito
e seguir sempre a via do tribunal, sobrecarregando a justiça e passando o custo da sua incompetência para os contribuintes portugueses.

Eles decidiram desistir do meu caso porque eu fiz barulho nas redes sociais e o meu post foi partilhado por blogues como "O Insurgente".
Não teve nada a ver com o mérito dos meus argumentos.
Depois, como são estúpidos, esqueceram-se de tirar o meu nome da lista de vítimas e enviaram a carta.

Isto é uma clara violação da lei portuguesa, uma afronta à dignidade das pessoas, e uma péssima gestão de recursos.
Pensem nisso quando contemplarem comprar algo da NOS; pensem nisso quando quiserem investir na NOS.
Sabem o que eu quero? Eu quero que quando ouçam o nome NOS o associem a uma companhia mal gerida
que não terá problema nenhum em assediar-vos e perseguir-vos quando lhe der na real telha.

Mas nem tudo é mau, porque isto também é uma razão pela qual eu vou fazer queixa destes advogados
à Ordem dos Advogados e vou escrever à Ministra da Justiça a perguntar
por que razão os meus impostos estão a ser gastos para manter um sistema de justiça que serve uma companhia terrorista que gosta de perseguir cidadãos que obedecem à lei.

Caros governantes de Portugal, quando falam em competitividade, a que competição se referem?
É aquela em que as companhias competem entre si para ver quem trata pior as pessoas?
É para isto que nós vos pagamos salários?

Ó querido CEO da NOS, já sinto pena de si por ter empregados que contratam um escritório de advogados tão mau:
eles mentem, violam a lei, são mal-educados ao telefone.
Não faz mal, terei muito prazer em ser o vosso Quebra-NOS.
Querem luta? Encontraram a pessoa ideal! Bring it on...

carta de advogados 'da' NOS: [ «PENHORA E VENDA por falta de pagamento; processo ... ]

---------
Carlos Duarte, 26 de maio de 2015
LA-C,

Os gajos da NOS subcontratam a cobrança a um gabinete de advogados (devidamente avençado para o efeito) e a partir daí ligam à terra. Não sabem, nem querem saber. Mas quem diz NOS diz as outras grandes empresas (quase) todas.

A verdade é que enquanto pequenos lítigios de consumo entopem tribunais, coisas bem mais graves (como empresas que ganham a vida a viver à custa dos fornecedores) continuam alegremente a prosseguir, com o Estado à frente.

Luís Lavoura,

O tipo de contrato adequado é o existente; Vc. paga o serviço APÓS a sua prestação. O que deveria ou poderia existir era a figura da caução. Quando assinasse um contrato, pagaria uma caução de 1-2 meses. Caso deixasse de pagar, a empresa recorria à caução e o contrato extinguia-se de forma natural.

O que poderia ser proibido (e aí concordo) seriam as fidelizações. Tal como acontece no mercado liberalizado de energia, os contratos deveriam ser obrigatoriamente mensais. E os clientes que comprassem box's, router's e afins (o aluguer poder-se-ia manter, porque a posse é da companhia).
-------
Eu resolvi o meu problema com a NOS através deste centro
http://www.centroarbitragemlisboa.pt/sections/inicio

E também ameaçaram com tudo e mais um par de botas. No fim ganhei por nunca ter desistido.


De Desculpas depois da publicidade negativa a 28 de Maio de 2015 às 09:48
A NOS pede desculpa...

Eu estou em Memphis, Houston está inundada, e uma das primeiras coisas que comecei a fazer quando acordei é análise de risco: sair hoje ou amanhã? Decidi sair amanhã. Depois, recebi a carta da NOS, senti asco, escrevi um post no Destreza, que publiquei às 8:29 de Memphis, e fui à minha vida porque é nestas alturas que eu sou mais produtiva. Nem me dei ao trabalho de contactar a NOS.
Às 10:14, recebo um telefonema do Contencioso da NOS a dizer que houve um lapso e enviaram uma carta que eu devo ignorar, não sabiam se eu a tinha recebido ou não.
Para me descansar, disponibilizaram-se a enviar-me um email a dizer que eu não devia nada.
Chegou um email às 11:37 de Memphis.
Suponho que lhes demorou mais de uma hora a enviar o email porque este não é dos enlatados, como o atum. Este foi escrito especificamente para mim!
Ora, digam lá que eu não sou uma miúda importante? Sai a minha foto no jornal, há e-mails escritos especialmente para mim, recebo telefonemas no outro lado do Atlântico a pedirem-me desculpa. Se o John Barry fosse vivo, estaria a escrever a banda sonora para este filme...

A vida seria tão, mas tão mais bela se TODOS os gatos pingados que tivessem problemas com a NOS, e outras companhias como a NOS, tivessem este tipo de tratamento que eu tive hoje, SEMPRE.
Mas não, porque para eu ter este tratamento, tive de armar banzé!
Reparem que eu até tenho a reputação de ser uma grande sonsa porque eu sou calada e não tenho grande afinidade para conflitos e manufactura de escabeche--no entanto, tenho muito talento para partir pratos, quando a situação o exige. Este foi o caso!

Eu ando a vender Portugal aos estrangeiros, a dizer que é um sítio porreiro para se visitar; os meus amigos holandeses, franceses, americanos, etc. querem que eu lhes mostre Portugal porque acham-me uma rapariga porreira, e confiam em mim e no meu gosto.
Ainda no final de Abril dizia eu a uma amiga americana que ela podia ir a Portugal passar um mês ou dois de vez em quando, dado que ela está prestes a reformar-se e seria uma experiência gira para ela.
Agora tenho medo que ela vá e lhe aconteça qualquer coisa.

O mínimo que eu exijo pelo meu esforço e pelo esforço de todos os que trabalham para que Portugal ande para a frente é que
as maçãs podres que existem em Portugal, como estas pessoas que trabalham para a NOS e entopem a justiça portuguesa, apodreçam de uma vez por todas e desapareçam--shoooo, vão à vida, ó maçãs podres, estamos fartos de vós, ó NOS...
Se estas pessoas não sabem construir, não ajudem a destruir o país.

Não custa nada tratar as pessoas com respeito e respeitar a lei da terra.
É isso o que é ser um bom cidadão.
Experimentem--até faz bem à pele e tudo!
---------------

---Nitro:
Cara Rita, sou uma das muitas pessoas vitimas de fraudes da NOS.
No entanto não estou nos USA, e felizmente a minha situação não é tão grave quanto a da Rita; não acredito portanto que chame a atenção do público como o seu caso conseguiu.
Irei armar confusão, mas também pretendo estar preparado no campo judicial.
Chegou a entrar em contacto com algum advogado para gerir o seu caso? Obrigado

---Rita:
Não contactei nenhum advogado. O meu caso foi muito rápido por causa da publicidade.
No entanto, como eu disse neste post, vale a pena FAZER QUEIXA deste escritório à Ordem dos Advogados e exigir que se faça uma investigação às suas PRÁTICAS ABUSIVAS.
Quanto mais pessoas se queixarem, mais pressão será posta no sistema para as coisas mudarem.
O Ministério da Justiça também tem de ouvir queixas porque estas EMPRESAS ENTOPEM a JUSTIÇA portuguesa e custam dinheiro aos contribuintes.
Somos um país com poucos recursos, não há lugar a desperdícios desta ordem.
Boa sorte com a NOS


Comentar post