4 comentários:
De .online Não és tão ANÓNIMO como pensas. a 15 de Junho de 2016 às 17:02
(via AspirinaB, 11/6/2016):

You may not be anonymous as you think you are online; reveals a new study published on Frontiers in ICT. Your browsing behavior can indicate your personality and provide a unique digital signature which can identify you, sometimes after just 30-minutes of browsing.


"Our research suggests a person's personality traits can be deduced by their general internet usage. This differs from other studies that have only looked at the use of social media platforms, such as Facebook and Twitter," said Dr Ikusan R. Adeyemi, a research scholar at the Universiti Teknologi, Malaysia, and lead author of this new study.

He continued; "That we show these behavioral signatures exist opens up new research into understanding online behavior."

Research linking personality traits to computer usage has typically focused on social media. For example, extrovert people tend to use these platforms to enlarge their boundary of friends and influence, while introvert individuals spend more time on social media to compensate for a probable lack of physical interaction.

However, a person's general online browsing behavior can also reflect their choice, preference and reflexes, which is largely controlled by their unique psychological characteristics.

This latest study recruited volunteers from the Universiti Teknologi, Malaysia and monitored their internet usage. This included many factors such as the duration of the internet session, number of websites browsed and total number of requests made.

In addition, the volunteers completed a test to reveal their personality characteristics over five categories: openness to new experience, conscientiousness, extroversion, agreeableness and neuroticism.

The analysis of this data revealed strong links between a person's personality and browsing behavior. For example, an individual's level of conscientiousness could be distinguished within a 30-minute session of online browsing.

"Online marketing organizations can use our findings to reliably tailor their product to a specific audience; it can be used to develop an intelligent internet service that can predict and personalize a user's experience," explained Dr. Adeyami, "It can also be used as a complementary way of increasing security for online identification and authentication. Law enforcement agencies can also apply our findings in the investigation of online crime cases."

Further research by Dr Adeyami and his colleagues at the Universiti Teknologi hope to reveal more patterns across the five personality traits investigated, which will help to map an individual's personality signature and increase our understanding of online behavior.

------------------
Story Source:

The above post is reprinted from materials provided by Frontiers. Note: Materials may be edited for content and length.

------------------------
Journal Reference:
1.Ikuesan Richard Adeyemi, Shukor Abd Razak, Mazleena Salleh. Understanding Online Behavior: Exploring the Probability of Online Personality Trait Using Supervised Machine-Learning Approach. Frontiers in ICT, 2016; 3 DOI: 10.3389/fict.2016.00008


De Blogs, redes, Eleições e Política. a 18 de Janeiro de 2016 às 11:11
Houve um tempo em que não poderia haver campanha eleitoral sem haver Blogs
(oficiais ou só de apoio) aos candidatos que se faziam a todas as eleições.
Hoje, a coisa transitou mais para as outras redes sociais, FaceB e Twitter.

Felizmente alguém ainda mantém a praxe dos blogs.


De Moralizar e Responsabilizar na Política. a 3 de Janeiro de 2016 às 19:11
O meu desejo para 2016: a moralização da vida política e pública

(Aventar, 31/12/2015 por Paulo Vieira da Silva (ex-dirigente do PSD /Porto)

Durante este ano fui alvo nas redes sociais e também no Aventar dos mais violentos ataques
com o objectivo de tentarem, colocar em causa, a minha honestidade, verticalidade e dignidade pessoal e profissional,
coincidentemente ou talvez não, após uma denúncia que apresentei relativamente ao vice-presidente e porta-voz do PSD, Marco António Costa. ( http://www.tvi24.iol.pt/politica/corrupcao/pgr-abre-inquerito-a-denuncia-sobre-marco-antonio-costa )

Dizem-me que, primeiro, vasculharam toda a minha vida, da minha família e das minhas empresas.

Como não apanharam nada viraram-se para as redes sociais, a que se juntou mais tarde o Aventar.

De forma cobarde, a coberto do anonimato da Internet, através de perfis falsos, área onde pensam ser especialistas,
tentaram colocar em causa a minha honestidade e idoneidade pessoal e profissional com escabrosas mentiras, ameaças e insultos vergonhosos, usando os mais variados argumentos.

Mas também aqui falharam dada a onda que se criou no país ao lado da minha causa pela moralização da vida política e pública.

Foram ” engolidos ” pelo país e pelos portugueses a quem estou eternamente grato pelo seu apoio.
Apesar de tudo isto ainda pululam por aí vários cobardes.

Um dos argumentos apresentados por esses cobardes, por sinal o mais ” light “, era que tinha feito a denúncia por uma questão de protagonismo pessoal.

Hoje, no último dia do ano de 2015, tenho que confessar que cedi a essa tentação tendo dado uma entrevista a umas das mais importantes revistas mundiais intitulada ” Homem Especial “.

Mas como sou sempre de assumir o que faço deixo aos leitores do Aventar, em primeira mão a capa da revista do mês de Janeiro, que a partir de amanhã estará à venda nas bancas em todo o mundo.

Termino com o meu desejo que em 2016 o nosso país passe a ter mais políticos que dignifiquem vida pública e politica.

Votos, para todos os autores e leitores do Aventar, de um excelente 2016 com saúde e sucessos.


De Liberdade vs 'trols' e ataques pessoais. a 3 de Janeiro de 2016 às 18:59
Há sempre alguém que resiste, há sempre alguém que diz não!

(03/01/2016 por Paulo Vieira da Silva, Aventar)

Informo que tomei esta difícil decisão de não permitir comentários aos meus textos após uma longa reflexão depois de uma campanha inqualificável em que fui alvo de ataques pessoais e profissionais sustentados em escabrosas mentiras, insultado e até ameaçado, quase diariamente, ao longo de vários meses.

Peço desculpa, por esta minha decisão, aos meus companheiros do Aventar e aos leitores que civilizadamente comentavam os meus textos, mas estou convicto que compreenderão esta minha difícil opção.

Eu sou um democrata, defensor absoluto do debate, da pluralidade de ideias e da liberdade de expressão, porém não posso permitir que alguns cobardes aproveitando-se da possibilidade de poderem comentar os meus textos usem esta funcionalidade para diariamente, várias vezes por dia, atacarem a minha honorabilidade e idoneidade pessoal.

Neste caso restavam-me duas possibilidades: deixar de escrever ou não permitir comentários aos meus textos. Optei inequivocamente pela segunda porque nunca me deixarei vencer por este tipo de gente cobarde, sem escrúpulos, para quem todos os meios justificam os fins.

Esta campanha contra a minha pessoa nas redes sociais, que continuou posteriormente no Aventar, teve início, coincidentemente ou talvez não, após a denúncia que apresentei relativamente a Marco António Costa.

Estes cobardes que se escondem atrás do anonimato da Internet têm como objectivo silenciarem-me, já o tentaram de várias formas e feitios, que um dia serão públicas, mas garanto-vos que não o vão conseguir.

Estarei sempre na primeira linha na luta pela moralização da vida politica e pública.

Reitero o meu pedido de desculpas aos meus companheiros deste blogue e à esmagadora maioria dos leitores, por esta minha decisao pessoal.

Termino dizendo aos cobardes que não me vão conseguir calar fazendo minhas as palavras do poeta Manuel Alegre:
« Há sempre alguém que resiste, há sempre alguém que diz não! »


Comentar post