De desgoverno infame. contas e opacidade a 25 de Setembro de 2014 às 15:00
DENÚNCIA DO SILÊNCIO DA INFÂMIA

Não estamos a ser governados por gente séria.

A revelação de Manuela Ferreira Leite, em programa televisivo na 5ª feira à noite, foi seguida por um silêncio quase sepulcral.
Nenhum dos jornais que se auto-proclamam como "referência" mencionou o assunto. A excepção honrosa foi o jornal i .
Pela boca da ex-ministra das Finanças e antiga dirigente do PSD ficou-se a saber que:

1) o governo P.Coelho-P.Portas fez uma reserva oculta de 533 milhões no Orçamento de Estado de 2014;

2) que tal reserva daria para cobrir folgadamente as consequências do chumbo no Tribunal Constitucional. "Ainda sobrariam 200 milhões", disse ela;

3) que, portanto, a sanha persecutória do governo contra os reformados, com cortes drásticos nas pensões, não tem qualquer razão de ser;

4) que desconhece a que se destina o enorme "fundo de maneio" de 533 milhões à disposição da actual ministra das Finanças.
"No meu tempo este fundo era apenas de 150 milhões", disse Ferreira Leite.
Verifica-se assim que a infâmia do governo Coelho-Portas é ainda maior do que se pensava.
Há recursos orçamentais vultosos que são sonegados, reservados a finalidades desconhecidas do público.
E, apesar disso, o governo pratica uma nova e brutal punção sobre os magros rendimentos dos pensionistas.

Marcelo já disse no Domingo na TVI que esta verba ESCONDIDA se destinava em 2015 a fazer foguetórios para as eleições legislativas
baixando um poucochinho os impostos e dando uns caramelos para adoçar a boca aos tugas que ainda se dão ao trabalho de ir votar.
Com esta democracia não vamos a lado nenhum. Enganei-me:
vamos parar a uma miséria que nos vai transformar na Albânia da UE !


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres