De EUA: Armas, areia p.olhos, $$ p. bolso. a 7 de Maio de 2015 às 16:21
Os americanos e o Califado islâmico

«Lê-se e não se acredita.
Para o governo norte-americano, "não é possível lidar de forma duradoura com o problema do Estado Islâmico (EI) enquanto o problema Assad não for resolvido", afirmou Samantha Power, embaixadora dos Estados Unidos na ONU,
à cadeia PBS, acrescentando que "uma das razões por que os combatentes terroristas estrangeiros chegam à Síria é que eles querem combater Assad".

Se necessidade houvesse de evidenciar a tradicional falta de clarividência da política internacional dos Estados Unidos, eis uma prova cabal.
Nem Henry Kissinger, recordista das boutades diplomáticas, teria dito melhor.

Recuemos um pouco no tempo.
A emergência do Califado islâmico deve-se à desastrosa intervenção norte-americana no Iraque
e ao seu apoio descabelado às insurreições designadas pelos ingénuos como "primaveras árabes".
Foram os Estados Unidos e os seus aliados europeus
quem fez ressurgir o wahhabismo, a fonte ideológica do EI,
ao desmantelarem os regimes ditatoriais laicos no Iraque, na Tunísia e na Líbia.

Agora, após múltiplos avanços e recuos e apoio logístico alternado, ora às forças governamentais ora aos rebeldes,
preparam-se para suportar a destruição do que resta da Síria.
O resultado adivinha-se trágico, não só para o povo sírio, como para todo o Próximo Oriente.

O que surpreende, além da manifesta incompetência dos países ocidentais em lidarem com as situações no terreno e em entenderem as contradições sociais e religiosas naquela parte do mundo, é o desconchavo do seu argumentário.
Seguindo o silogismo da embaixadora Power, os terroristas afluem à Síria para combater Assad; logo, há que derrubar Assad para que não cheguem em maior número, convertendo-se os existentes aos ideais da paz e da democracia.

Se o assunto não fosse tão grave, apetecia sugerir à administração norte-americana a produção de uma série de aventuras sobre o EI no Disney Channel.»

(- Luís Nazaré, 7/5/2015, http://entreasbrumasdamemoria.blogspot.pt/ )


De Salvar Palmira e cidadãos do Terror. a 22 de Maio de 2015 às 16:45
Salvar Palmira

(-por Vital Moreira, 21/5/2015, http://causa-nossa.blogspot.pt/ )

Património da Humanidade pela UNESCO, Palmira, a jóia da civilização romana da Síria, está em vias de ser tomada e destruída pelo "Estado islâmico".

Os Estados Unidos e a União Europeia,
cujas intervenções no Iraque e na Síria geraram o "Estado islâmico",
têm agora a obrigação de salvar Palmira.
A história não nos perdoará.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres